quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Amor Doce: Episódio 28_ Nathaniel

Um Jantar Quase Perfeito.

Chino: Olá! Tenho uma mensagem para avisar que a partir desse episódio, você poderá fazer replays livres com uma página especial, escolhendo o rapaz com quem você deseja estar.


Ok, obrigada!


Chino: Atenção! Você pode continuar adquirindo replays história normalmente. Essa nova função é válida apenas para os replays livres e por enquanto, só funciona via seu navegador, ou seja, a função não está presente no aplicativo no momento. Entendeu?


Sim, está claro.
Não, você pode repetir, por favor?


Chino: Legal! Bom jogo, até a próxima!


Até a próxima!


Lanchonete


Rosalya: Docete? Você está prestando atenção no que eu estou falando?


Hein? Sim, sim, estou ouvindo.


Rosalya: Ele está demorando para chegar... Será que não está perdido?


Não é costume dele fazer isso...


Leigh: Se ele demorar mais, a comida vai esfriar...


Ele não vai demorar, eu tenho certeza.


(O Nathaniel nuca me faria uma coisa dessas... Faria?)


Rosalya: Ah! Antes tarde do que nunca!


(Ah, finalmente, aqui está ele! Mas...)
(O quê?! Por que a Priya está com ele?!)


Nathaniel: Desculpe a demora, eu tive que pegar a Priya.


Priya: Eu espero que isso não seja um problema... Eu não tinha nada para fazer hoje à noite... O Nath gentilmente me propôs de acompanhá-lo.


Como?! (Só pode ser uma piada...)


Nathaniel: Eu pensei que você iria gostar da ideia, Docete.


(Ele nem percebe o quanto eu estou magoada...)
(Eu não posso ficar aqui, preciso ir embora.)
(Eu me levantei tão bruscamente que acabei derrubando a cadeira.)


Nathaniel: Mas o que...


Você não entende nada mesmo, não é?


Nathaniel: É... Eu...


E-Eu... Eu só queria ficar um pouco com você...!


(Se eu continuar falando cada vez mais alto, vou começar a chorar. E ele não deve me ver neste estado de jeito nenhum...)


Nathaniel: Oh, entendi... A culpa é minha. Eu não fui franco com você


Como assim?


(Eu não gostei nada do olhar que eles trocaram...)


Nathaniel: Eu e a Priya... nós estamos juntos.


"Juntos"? Em que sentido?


Rosalya: Oh, você não precisa reagir dessa maneira, Docete.


(Próximo)


Leigh: Eu não pensei que você fosse ter este tipo de comportamento... Deveria estar feliz pelo seu amigo.


M-Mas...


Melody: Venha, Docete. Eu te preparei a cama no acampamento, vamos sair daqui.


Melody?


Melody: Bom, vamos, o melhor é deixá-los a sós.


(Ela me puxou pelo braço.)


Eu não quero...


(Uau!)
(O que foi isso?!)
(Que pesadelo!)
(Eu ainda estou suando frio...)
(Eu acho que estou levando tudo muito a sério!)
(A Rosa me telefonou ontem para confirmar que um restaurante seria o local ideal para o nosso encontro. Eu devo ter ficado com isso na cabeça e por isso, o pesadelo. Tudo está indo longe demais...)
(Talvez seja uma boa ideia conversar com a Priya sobre o que estou sentindo... Talvez ela entenda e até me diga para não me preocupar...)
(Bom, mas esse assunto é muito íntimo e a Priya não é minha amiga... Não sei como poderia puxar o assunto com ela.)
(Eu vou ver amanhã.)
(Quando o despertador tocou, eu estava com uma sensação degradável no estômago.)
(Eu prometi a mim mesma fazer algo. Eu sei que vai ser complicado.)
(Mas essa situação já dua há muito tempo.)


Em Frente à Escola


(Mas olha quem está aqui... Que coincidência...)


Iris: Olá, Docete! Adivinha o que eu e a Priya fizemos hoje de manhã?


Um passeio de unicórnio?
Sim?


Priya: Eu estava tomando café na lanchonete e a Iris passou na minha frente. Eu propus que ela sentasse ao meu lado.


(Próximo)


Iris: Foi ótimo, mudou minha rotina. Geralmente, eu vou direto paraa  escola.


(Próximo)


Priya: Eu gosto de fazer isso de vez em quando. Fico mais tranquila para aguentar um dia inteiro de aula.


(Próximo)


Iris: E eu acho que farei novamente.


É mesmo uma boa ideia...


(A Priya não é apenas uma novata. Ela tem a capacidade de sempre inovar com ideias interessantes.)
(Não seja ciumenta, não seja ciumenta...)
(Eu estou curiosa para saber como a Ambre resolveu o seu problema capilar.)
(Eu a conheço bem, ela vai revidar.)



Escadaria


Melody: Você encontrou a Ambre hoje?


Não,a inda não.


Melody: Você vai ver, é... Surpreendente!


Ah!


Diretora: Ah, aqui está você, senhorita Melody.


(Próximo)


Diretora: O professor Faraize a aguarda no grêmio.


(Próximo)


Melody: Oh, já estou indo.


(Próximo)


Melody: Desculpe, Docete, preciso ir.



(Puxa... O que a Ambre acabou tendo que fazer após o encontro com a Priya...? Com certeza ela deve ter cortado os cabelos, não vejo outra saída.)



Porão


(O Castiel jogou um cigarro no chão rapidamente e apagou com um pisada.)


Castiel: Ah, é só você...


Simpático...


Castiel: Você entendeu o que eu quis dizer. Se fosse a tal da Delanay, eu estaria me apuros.


Você ainda fuma?


Castiel: Bem pouco, de tempos em tempos... isso me distrai.


Você está estressado?
Não é a melhor solução, sabe?
Vai acabar tendo problemas com isso!


Castiel: Olha só quem se preocupa comigo!


Não tem graça nenhuma...


Castiel: Bom, é verdade que eu não deveria exagerar. Eu já bebi café da manhã hoje, não é nada bom misturar cafeína com cigarro.


U-Um café??


(Ontem o Castiel foi embora com a Priya... Vai ver eles vieram juntos hoje pela manhã e acabaram tomando café com a Iris!)
(Bom, se eles estão mais próximos, significa que eu não tenho nada a temer.)


Castiel: Sim. Um café. Uma bebida de adultos, mas imagino que não deve ser para o seu bico.


(Eu nem estou com vontade de entrar no jogo dele, ainda estou sentida com o que fiquei sabendo.)


Castiel: Por que você está fazendo essa cara?


Você veio com a Priya?


Castiel: Como?


(Próximo)


Castiel: Não. Eu não sei o que isso tem a ver...


Eu só sei que ela foi tomar café hoje de manhã na lanchonete. E como vocês saíram juntos ontem à noite...


Castiel: Ah, entendi, a senhorita está com ciúmes.


C-Claro que não! Eu só achei que foi muita coincidência.


Castiel: Cuidado para não ficar imaginando coisas.



(Terminar a conversa.)


Sala de Aula A


Nathaniel: Resumindo, a utilização das rimas interpoladas não é fruto do acaso. É uma maneira de mostrar que o sentimento amoroso está presente de forma tão intensa que invade até a forma do poema.


(Próximo)


Kim: Sim, entendi... Tem a ver...


Nathaniel: Ah, olá, Docete!



(O Nath está cumprindo o que prometeu. E a Kim parece concentrada...)
(Eu bem que gostaria de falar sobre poemas de amor com ele também...)
(Hum, bem... O melhor é eu me compor, não é o momento de ficar sonhando.)


Nathaniel: Ah, olá, Docete!


(Próximo)


Kim: Olá!


Oi! Que legal ver vocês trabalhando juntos.


Nathaniel: Ainda temos muito que estudar, mas tudo está indo muito bem.


(Próximo)


Kim: Finalmente eu pude entender para que servem as rimas interboladas.


(Próximo)


Nathaniel: "Interpoladas", Kim...


(Próximo)


Kim: Ah, errei por pouco... Precisava falar nesse tom?


Opa...


(Ela foi embora furiosa.)


Ops... Eu acho que não deveria ter interrompido vocês.


Nathaniel: Não é você o problema.


(Próximo)


Nathaniel: A Kim é muito sensível. Eu tenho que tomar cuidado com tudo que falo, se quero mesmo que as coisas avancem...


Não fale assim, é da minha amiga que estamos falando...
Eu tenho certeza de que vocês vão acabar adestrado um ao outro, ahah!
Pelo menos você já sabe como agir.


Nathaniel: Eu entendo que você queira defendê-la, mas eu não digo isso por maldade. Eu estou realmente sentido por não haver um bom diálogo entre eu e ela.


Normalmente a Kim não é tão sensível assim. Eu acho que estamos lidando com o seu maior complexo, por iso é normal que ela reaja dessa maneira.


Nathaniel: Você deve ter razão. Eu sei que não vai ser nada fácil... Mas não vou desistir tão facilmente.


(Próximo)


Nathaniel: E você? Está tudo bem? Nenhum problema com as aulas?


As aulas? Estou me virando...
Bom, não seria nada mal revisar um pouquinho com você, ahah!


(Minhas notas são melhores que a da Kim, mas não posso dizer que sou a primeira da classe...)


Nathaniel: Eu não acho que você precise mesmo da minha ajuda.


(Próximo)


Nathaniel: Eu tenho a impressão de que você tem apenas problemas de convicção, estou errado?


Um pouco, talvez... Você leu isso na minha ficha?


Nathaniel: Eu não preciso ler na ficha, basta te olhar durante as aulas para perceber.


Você... Você fica me olhando durante as aulas?


(Eu não pude deixar de perguntar em voz alta. Também, não podia ser diferente, estou surpresa. E visivelmente o Nath acabou de se dar conta da ambiguidade contida na frase...)


Nathaniel: B-Bem... Quando eu digo isso, não significa que estou te vigiando, eu...



(Ok... Não vou imaginar coisas... Talvez ele tenha me olhado por olhar...)

(Afe, eu ainda não consigo dizer o que sinto, que raiva que me dá! Eu tenho certeza de que estou com a cara toda vermelha, devo estar ridícula.)


Nathaniel: Hum, bom, eu tenho que ir, eu... tenho coisas para fazer.



Ok, até mais tarde.


Clube de Jardinagem


Nina: Onde ele está????


Uau, Nina!
Ficou louca?! Você me assustou...



Nina: Lysandre... Onde está o Lysandre?


Eu não sei, acho que...


Lysandre: Estou aqui.


(Próximo)


Nina: ♥ Lyyysaaandre!! ♥


(Ela pulou nos braços dele, feliz da vida.)
(Ela não tem nenhum controle...)


Lysandre: Nina...


(Ele a segurou pelos ombros e a afastou. De leve, mas com firmeza.)


Lysandre: Você não pode entrar aqui, eu já te expliquei isso inúmeras vezes.


(Próximo)


Nina: Mas há séculos que não te vejo... Eu pensei que...


(Próximo)


Lysandre: Eu também já te falei isso. Estarei menos disponível para você.


(Próximo)


Nina: Mas por quê?! Você não me explicou direito!


(Próximo)


Lysandre: É assunto pessoal, não lhe diz respeito.


(Próximo)


Lysandre: Você não pode focar tanto na minha vida, Nina.


(Próximo)


Lysandre: Você deveria procurar um hobby. Se gosta mesmo das canções que eu faço com o Castiel, por que não tenta aprender a tocar um instrumento?


(Próximo)


Lysandre: Assim você poderia pensar em compor as suas próprias músicas...


(Como se a música fosse o verdadeiro interesse dela...)


Nina: E eu poderia fazer parte do seu grupo?? Que ótima ideia!


(Próximo)


Lysandre: Não foi isso que eu disse. Você deve se concentrar em outra coisa além de mim... Você entende?


(Próximo)


Nina: É por causa dela, não é?


(Ela apontou para mim.)
(Eu não tenho nada a ver com isso...)


Lysandre: Deixe a Docete fora disso, por favor. Ela não tem n...


(Próximo)


Professora Delanay: O que você está fazendo aqui?


(Uau! Ela tem o dom de chegar sem avisar...)


Nina: Eu? Eu vim ver o Lysandre.


(Próximo)


Professora Delanay: Eu nunca te vi por aqui. Qual é a sua sala?


(Próximo)


Nina: Estou no ensino fundamental.


(Próximo)


Professora Delanay: Ensino fundamental!?


(Próximo)


Professora Delanay: Nesse caso, você não tem nada que estar aqui. Peço que retire-se da escola.


(Próximo)


Nina: Não se preocupe, senhora, eu não estou incomodando ninguém.


(Próximo)


Professora Delanay: Não é esse o problema. Siga-me.


(Próximo)


Nina: Lysandre! Não deixe que me levem!


(Próximo)


Professora Delanay: Você deveria aconselhar sua irmã, jovem.


(Próximo)


Lysandre: Minha irmã?


(Próximo)


Lysandre: Não, ela não é m...


(Próximo)


Nina: Eu sou a presidente do fã-clube dele!


(Próximo)


Professora Delanay: O quê?! Cansei das suas bobagens. Venha por aqui.


(A Nina acabou seguindo a professora. Venha por aqui.)
(O Lysandre balançou a cabeça.)


Lysandre: Estou começando a não saber como lidar com a situação... Ela não ouve ninguém...


Você deveria ser mais direto. Pelo visto, ela só entende se for assim.
Deixe para lá, ela vai acabar se cansando e desistindo.
Você precisa entender que ela gosta muito de você.


Lysandre: Eu sei. Eu também tenho afeição por ela, mas tudo isto está indo longe demais.


(Próximo)


Lysandre: Além disso, eu não tenho muito tempo para me dedicar a ela...


Mas... O que consome tanto o seu tempo assim?


Lysandre: Eu não quero te incomodar com este assunto.


O-Ok.


Peggy: Olá!


Oi!


Lysandre: Olá, Peggy.


(Próximo)


Peggy: Vocês já devem estar sabendo qu um evento vai acontecer em breve na escola...?


Ah, sim, verdade, aquela nossa famosa investigação...


(Com a chegada da Priya e meu atual problema, eu acabei me esquecendo completamente desse tal evento...)


Lysandre: Eu não estou sabendo nada.


Não teve um anuncio oficial, tínhamos apenas ouvido algo sobre o assunto, há um tempo. Enfim, nem sabemos direito do que se trata.


Peggy: Pois então, em breve vou ter informações concretas e poderei publicar um artigo.


(Próximo)


Peggy: Ainda faltam alguns dados para eu escrever meu artigo. Por isso, tenho algumas questões para vocês.


(Próximo)


Lysandre: Sim, pode falar.


(Próximo)


Peggy: Vocês perceberam um comportamento estranho da parte do Boris, por acaso?


Hein? O que você quer dizer com "comportamento estranho"?


Peggy: Eu não sei, pode ser qualquer coisa...


Hum... Bem, eu não sei se isso conta, mas ontem ele parecia inquieto no final da aula de vôlei. Ele queria ir logo para a sala dos professores.
Pensando bem, é raro ele ir lá. Ele parecia apressado e pediu para que eu e a Priya arrumássemos tudo.


Peggy: Tem tudo a ver!!


O que tem tudo a ver? (E eu não esperava ouvir ela gritar desse jeito.)


Peggy: Se eu levar em consideração o que a Meody conseguiu captar no conselho de classe e o que o Alexy ouviu na saída do vestiário, então, sim... Só pode ser isso!


(Próximo)


Lysandre: Você poderia ser um pouco mais precisa? Não dispomos de todos os elementos...


(Próximo)


Peggy: Vocês saberão em breve! Meu artigo não deve demorar! Vou dar uma volta rápida na sala dos professores para colher as últimas informações...


(O Lysandre me olhou sem entender.)
(E a Peggy foi embora correndo.)


Lysandre: Se o Boris tem alguma coisa a ver com essa história, deve ser algo relacionado a educação física.


Hum... Pode ser, mas tenho minha dúvidas. Já tivemos a corrida de orientação. Não consigo imaginar a diretora refazendo algo no mesmo estilo. Principalmente ao lembrar como tudo terminou...


Lysandre: Até que foi divertido e confesso guardar boas lembranças daquele dia.


Eu também, ahah! Mas eu não acho que a dona Shermansky pensa a mesma coisa...


Lysandre: Acho que vamos descobrir logo, basta ver o entusiasmo da Peggy.


Disso não tenho dúvida...


Lysandre: Eu tenho que ir, preciso ver algo sobre o grupo com o Castiel. Até mais tarde.


Está certo!


Pátio


(Olha só!)
(A Ambre teve que fazer um novo corte de cabelo! E pelo jeito, ela aproveitou para mudar o look...)
(Ela não parece nada traumatizada... Uma pena...)


Ambre: Esse ciúme pairando no ar está me incomodando...


Hum... Se você acredita nisso, fazer o quê...?


Ambre: Finalmente aquela cobra da Priya acabou me ajudando. Estou ainda mais bonita agora... Eu não vejo a hora de ver a cara dela quando...


(Próximo)


Priya: Quando o quê?


(Ninja ataca novamente! Como ela consegue chegar assim, sem que ninguém perceba?)
(A Ambre não pode deixar de dar um pulo.)
(Ela quer nos fazer acreditar que está tranquila, mas com certeza não é o caso.)


Priya: Gostei do seu novo corte, combina com você...


(Próximo)


Ambre: Pare de rir de mim!


(Próximo)


Priya: Eu estou sendo sincera.


(Próximo)


Ambre: Vá, continue me provocando. Eu te garanto que sua atitude não vai durar muito tempo.


(Próximo)


Priya: Por quê? Você acha que ainda não está curto o suficiente?


(A Ambre ficou pálida e foi embora rapidamente.)


Priya: Está tudo bem com você, Docete?


É... está sim...


Priya: Você acha que eu estou agindo errado ao falar assim com a Ambre?


Eu não tenho nada a ver com isso... Não quero me meter nessa história.
Está um pouco, sim.
Não, não... Se eu pudesse, eu faria o mesmo, não iria pensar duas vezes.


Priya: Sim, imagino.


(Próximo)


Priya: Se você quiser, eu posso te ensinar duas ou três coisas...


(Próximo)


Priya: Já que não terminei ainda minha história com ela.


(Nossa! A Priya fala de um jeito que dá medo! Eu não tinha me dado conta desse lado dela.)
(Eu não gostaria de estar no lugar da Ambre...)
(Eu estou com vontade de conversar com a Rosa sobre isso, para ver o que ela acha.)


Sala de Aula A


Alexy... O que você acha da Priya?


Alexy: Hum...


(Próximo)


Alexy: Eu não cheguei a conversar muito, mas ela parece bem legal. Por quê? Você acha que ela é uma nova Debrah?


Eu não sei bem, é mais complicado do que isso. Mais... sutil.


Alexy: Ah, conte-me tudo. Eu te conheço, se você não contar, vai acabar explodindo.


Bom, no começo eu achava ela legal, legal até demais. Ela se sentia tão à vontade com todo mundo que me deixava intrigada.
E ontem, no final do dia, a Ambre tentou fazer uma brincadeira de mal gosto e... a Priya revidou de uma maneira...!


Alexy: Como assim?


A Ambre chegou por detrás da Priya na intenção de cortar os cabelos dela.


Alexy: Oh, louca!


Pois é... só que ela caiu na própria armadilha. Eu não sei que treinamento a Priya recebeu na vida, mas sem que a Ambre e eu tivéssemos tempo de entender o que estava acontecendo, ela conseguiu pegar rapidamente a tesoura e cortar o cabelo da Ambre.


Alexy: Mas...


(Próximo)


Alexy: Mas é sensacional! Você deveria é gostar ainda mais dela, não?


(Próximo)


Alexy: Agora eu entendo a mudança corte de cabelo da nossa rainha das pestes preferida...


Eu confesso que admiro a Priya... E não só pelo que ela fez com a Ambre.
Mas eu não sei... Elas tiveram uma discussão há poucos minutos. E a Priya parecia determinada a continuar sua vingança... Ela me assustou um pouco.


Alexy: Temos que entendê-la. Ela sabe que não pode deixar os outros fazerem dela gato e sapato, senão nunca vai se lembrar dessa sina.


Com certeza. Mas confesso que não gostaria de tê-la como inimiga...


Alexy: Eu confesso que depois de tudo o que você acabou de me contar eu também não tenho a mínima vontade.


(Próximo)


Alexy: Eu gosto da minha cabeleira fabulosa!


Eu tenho certeza de que você ficaria fofo com os cabelos curtos!
Ela pode escolher outra coisa para se vingar e não o cabelo...
Não duvido disso, ahah!


Alexy: Ah, é? Você acha? Quem sabe...



(Terminar a conversa.)



Pátio


Armin: Eu mostrei LoL ontem para o Nathaniel... Ele se vira bem, é impressionante!


Não duvido, ele aprende rápido. Foi assim quando ele aprendeu, em pouco tempo, a tocar bateria no show da escola.


Armin: Nem me lembre disso... Ainda não digeri bem aquele show...


Pense em outra coisa, já faz tanto tempo isso...
Confesse que foi muito divertido, se pensarmos bem.
Oh, coitadinho dele...!


Armin: Você tem razão.


(Próximo)


Armin: O problema é que, em troca, eu prometi ler um dos livros policiais dele... E confesso que não curto muito a ideia...


Ah, faça um esforço, a boa vontade não pode vir somente dele.


Armin: Só que entre eu e os livros...


Quem sabe você não descobre um novo hobby?


Armin: Eu te acho muito otimista!


(Próximo)


Armin: Proteja-se!


(Sem que eu tivesse tempo para entender alguma coisa, ele me pegou pelos ombros e me puxou para um canto.)
(A professora Delanay passou perto de nós, mas ela estava distraída.) 


Armin: Toda vez que eu a vejo, fico com medo. Isso desde que ela puniu o Alexy...


(Ele ainda está com as mãos nos meus ombros...)


Não entre em pânico assim, é o melhor meio de parecer suspeito de alguma coisa, ahah!


Armin: Você está certa, mas mesmo assim eu vou ficar bem longe dela. Prefiro não correr o risco.


(Próximo)


Armin: Nos vemos mais tarde!


(Terminar a conversa.)


Corredor 2


Kim: Que raiva!


O Nathaniel fez alguma coisa?
A revisão não está adiantando muito?
Você perdeu algo?


Kim: Como você adivinhou?


Digamos que estou acostumada a ver as pessoas perderem coisas... (E estou acostumada a ajudá-las a encontrar também...)


Kim: Eu perdi o meu transferidor. Eu marquei uma hora de aula particular de geometria com o senhor representante de turma, mas não poderei fazer sem...


Geometria? Mas essa matéria é do ensino fundamental...


Kim: Eu sei, mas o Nathaniel disse que seria didático-depa... peda...


Didático-pedagógico?


Kim: Sim, isso.


Talvez o Nathaniel possa te arranjar um, ele tem acesso ao material do estoque.


Kim: Você não entende... Ele já me vê como uma perdedora. Eu não quero dar motivos suplementares para que ele pense isso de mim.


Eu tenho certeza de que o Nath nunca iria pensar algo do tipo. Ele respeita demais as pessoas para pensar assim.


Kim: Sim, claro. Eu sei que ele é seu amigo, mas coque-se no meu lugar também.


Bom, quer saber? Eu vou tentar encontrar o seu transferidor.


Kim: Ah, muito obrigada! 


Eu não prometo nada, viu? É como procurar uma agulha no palheiro.


Kim: Eu sei. Eu vou procurar também. Eu tenho certeza de que vamos conseguir.



(Terminar a conversa)


Ginásio


Bia: Você ficou ainda mais bonita desse jeito.


Ambre: Obrigada, eu também acho. Inclusive o Castiel não parou de me olhar dos pés a cabeça. Eu acho que ele também gostou do resultado.


(Vá sonhando, inocente!)


Vestiário


Roisalya: Ei!


Ah, Rosa, estava te procurando.


Rosalya: Você convidou o Nathaniel para jantar conosco?


Bem, não... M-Mas não vai demorar!


Rosalya: Hum... Se você não fizer nada, serei obrigada a usar meus próprios meios.


Calma, eu vou fazer sim, prometo. (O que ela tem na cabeça quando diz que vai usar seus "próprio meios"?)


Eu gostaria de conversar sobre a Priya...


Rosalya: De novo? Essa garota não sai da sua cabeça, você pensa mais nela do que nos rapazes...


Não, mas escute...
Ontem ela conseguiu calar a boca da Ambre, foi impressionante.


Rosalya: Verdade?


(Eu contei toda a história para a Rosa, do plano de vingança da Ambre até o novo look dela.)


Rosalya: O QUÊ?! A Ambre mudou de corte?? Eu tenho que ver isso agora!


É só isso que te interessa de toda minha história? E o que você tem a dizer sobre a Priya?


Rosalya: Bom... Ela não é mole, não deixa ninguém pisar no pé dela! Para mim é uma qualidade. Eu acho que ninguém vai criar atrito com ela.


A Ambre parecia dedicada a se vingar...


Rosalya: A Ambre é muito burra para perceber que vai quebrar a cara. Mas agora eu tenho que conferir os cabelos curtos dela!


(Pelo jeito a Rosa não vê as coisas como eu vejo. Eu devo estar me preocupando sem razão.)
(É melhor eu entregar o transferidor para a Kim.)
(Deve ser o transferidor da Kim!)

(Só me resta "transferir" para ela... Ok, não está mais aqui quem falou...)


Sala de Aula A


Ei, Kim! Achei o transferidor.


Kim: Ah, obrigada! Você me tirou de apuros!


Boa sorte na sua aula de geometria.


Kim: Não vais er nada fácil... Se tem algo ainda mais entediante do que a poesia, com certeza é a geometria.


E ciências?


Kim: Ah, é, ciências também. E inglês, e...


(Próximo)


Melody: Você está seguindo o programa de revisão intensivo, Kim?


(Próximo)


Kim: Hein? Ah, estou, mas é o Nathaniel que está me dando as aulas.


(Próximo)


Melody: Ah, verdade?


(Será que a Melody vai ficar com ciúmes da Kim...?)


Melody: É algo que eu adoro nele. Sempre disposto a ajudar os outros. O Nathaniel é realmente maravilhoso.


(Hmff, eu concordo, mas ela devia moderar o próprio entusiasmo.)


Kim: Bom, eu preferia não ter que passar por isso, mas fazer o quê, não é mesmo?


(Próximo)


Melody: Vocês revisam após as aulas?


(Próximo)


Kim: No intervalo do almoço estudamos geometria. Mas hoje, no final do dia, vamos estuar história.


(Próximo)


Melody: Oh, que pena... Eu iria convidar vocês para dar uma volta nas lojas da cidade. Eu queria comprar algumas coisas...


(Próximo)


Melody: Eu pensei que seria legal ir com as minha amigas.


(Próximo)
(A Kim olhou para a Melody sem entender bem. Eu não tenho certeza de que ela a considere como amiga...)


Kim: Mas esse tipo de passeio não é bem a minha praia.


(Próximo)


Kim: Bom, preciso ir. Vou guardar o meu transferidor e um local seguro.


Ok, até mais tarde.


Melody: E você, Docete? Quer vir comigo?


Por que não? Vou sim.
é muita gentileza da sua parte, mas... é... Eu tenho outros planos para hoje à noite.


Melody: Legal! Nos encontramos na frente da escola após as aulas.


Ok.


(Até que hoje foi um dia tranquilo.)
(Eu vou encontrar a Melody na frente da escola.)
(Ah, aqui está ela.)
(Só que acompanhada...)


Priya, você vem conosco...?


Priya: Sim, acho que é uma oportunidade de passar um tempo com vocês, fora do ambiente escolar.


(Próximo)


Priya: Foi a Iris quem me convidou. Mas onde ela está...?


(Próximo)


Iris: Estou aqui! Podemos ir.


(Próximo)


Melody: Ok, vamos às lojas!


(Terminara a conversa)


Lojas


Iris:Ah, há um bom tempo que não faço compras! E o momento é ideal, eu economizei um pouco de dinheiro.


(Próximo)


Priya: Eu preciso passar na loja de decoração e pegar algo para a minha mãe. Eu encontro vocês depois, está bem?


(Próximo)


Iris: Sem problemas. Vamos para a loja de jóias.


(A Priya foi embora e me virei na direção da Iris.)


Por que na loja de jóias? É muito caro, não?


Iris: Eu sei, é caro mesmo... Mas eu pensei que poderíamos nos juntar e dar um presente de boas vinas para a Priya! Nós três juntas podemos até comprar uma pulseira bonita.


(Próximo)


Melody: Por que não? Ok.


(Próximo)


Iris: O que você acha da ideia, Docete?


Eu não me vejo dando um presente para ela, nema conheço direito.
Verdade, seria legal dar um presente pára ela.


(Eu nem estou com vontade, mas não quero passar a ideia de que sou egoísta.)


Iris: Legal! Vamos ver o que eles propõem ne loja.


(Nós olhamos rapidamente as jóias expostas.)
(Eu, a Melody e a Iris escolhemos  uma pulseira de ouro, discreta, refinada e compatível com o nosso orçamento.)
(Nós entregamos 30$ cada uma.)


Priya: Aqui estou eu!


(Demos um pulo, surpresas!)


Iris: V-Você... Você foi rápida!


(Próximo)


Priya: O que está escondendo atrás das costas?


(Próximo)


Iris: Aqui está, surpresa!


(Próximo)


Priya: Oh, mas... Por qual motivo?


Para te desejar boas vindas!


Melody: Espero que você goste.


(Próximo)


Priya: Oh, vocês são super gentis. Obrigada... Não precisava.


(Próximo)


Iris: O prazer é todo nosso! Abra!


(A Priya abriu a caixinha de presente.)


Priya: Que lindo! Obrigada, meninas.


(O restante do nosso passeio foi agradável.)
(A Priya continuou muito simpática, como sempre.)
(Mas quando estávamos prestes a terminar o passeio, nossa conversa tomou um rumo inesperado...)


Iris: Você tem namorado, Priya?


(Próximo)


Priya: Não, estou sem ninguém.


(Próximo)


Iris: Difícil de acreditar. Eu jurava que você tinha um namorado há muito tempo, um pouco como a Rosalya.


(Próximo)


Priya: Digamos que minhas viagens acabam complicando as coisas...


(Ela não parece estar querendo falar sobre o assunto...)


Iris: Ah, que burrice a  minha. Eu tinha esquecido disso.


(Próximo)


Melody: Nesse caso, talvez um rapaz na escola tenha chamado sua atenção, não?


(A Melody está fazendo a sua pesquisa de campo, com ares de desentendida...)


Priya: Eu acho os rapazes bem legais. Mas eu acho que ainda é cedo para dizer que estou apaixonada por alguém...


Oh, diga! É normal termos uma preferência, não?
Verdade, você ainda não teve tempo para pensar no assunto.
Vamos mudar de assunto, não falar mais de rapazes e aproveitar esse omento juntas?


Priya: Sim, você tem razão.


(É melhor mudarmos de assunto...)
(Chegou a hora de ir embora.)


Priya: Passei um ótimo momento com vocês.


(Próximo)


Priya: Obrigada mais uma vez pela pulseira, vocês foram realmente muito gentis.


(Próximo)


Iris: De nada, sua companhia é sempre muito agradável.


(Próximo)


Priya: Boa noite, então. Nos vemos amanhã.


(Próximo)


Melody: Sim, até amanhã.


Até.


(Bom, chegou a hora de ir para casa.)
(Agora eu vou pensar em mim e achar a melhor maneira de fazer o convite para o restaurante.)


Meu Quarto


(Falar sobre rapazes coma Priya, a Iris e a Melody me fez lembrar da minha principal preocupação do momento.)
(Está fora de cogitação que eu enrole mais...)
(Eu não vou morrer se convidar um rapaz para jantar!)
(Além do mais, não vai ser um encontro só entre mim e ele.)
(Eu vou fazer o que a Rosa me aconselhou.)
(Eu vou aguardar o final da aula, antes que ele vá embora.)
(Eu vou tentar ser bem natural...)
(... para não passar por uma desesperada.)
(Vai dar tudo certo. Na pior das hipóteses, ele irá aceitar o convite, mesmo se não sentir o mesmo por mim. Afinal, nos damos bem...)
(Mas o que eu estou falando...?)
(O objetivo é justamente que sejamos bem mais do que amigos!)
(Que viagem a minha...)
(Se eu for achando que irei perder, com certeza não serei convincente.)
(No dia seguinte, eu estava decidida a executar o meu plano.)
(Seria bom se eu pudesse passar um tempo com o Armin, para que nossa história tivesse um bom começo.)


Corredor Principal


(Aqui está ele!)
(É a primeira vez que o encontro assim tão facilmente, que sorte...)


Nathaniel: Oi!


Olá!


Nathaniel: Eu estava justamente pensando em você.


A-Ah, é?


Nathaniel: Sim... Eu estava pensando na sua opinião sobre... algo pessoal.


Pode dizer.


Nathaniel: Eu vou passar o final de semana com meus pais. Vai ser a primeira vez desde que fui morar sozinho.



(Próximo)


Nathaniel: Quer dizer, é a primeira vez que nos encontramos, mas por educação.


Oh, entendo...


Nathaniel: Como você me ajudou bastante nessa história toda, eu gostaria muito de saber a sua opinião, se devo ir ou não para esse encontro.



Você deve ir sim!
Hum... Depende. Você se sente preparado?
Para mim ainda é muito cedo...


Nathaniel: Eu não sei ao certo... Eu ainda não consegui perdoar o meu pai pelo que ele fez.



(Próximo)


Nathaniel: E nem sei se conseguirei...



(Próximo)


Nathaniel: Mas isso significa que devo evitá-lo por toda a minha vida?



Ele chegou a pedir desculpas pelo que fez?


Nathaniel: Mais ou menos... Bem, ele deixou a entender que estava arrependido, mas não é o tipo a pedir desculpas formalmente.


Pois ele deveria. Você não poderá avançar enquanto ele não fizer ao menos isso. Esse encontro servirá para lembrá-lo disso, quem sabe...?


Nathaniel: Talvez sim...


(Próximo)


Nathaniel: Obrigado por seus conselhos. Eu não queria te meter nessa história novamente, mas você e a única com quem tenho vontade de desabafar, então...


Não vejo incômodo algum, pelo contrário. Fico feliz em ver que você confia em mim.


Diretora: Isso não vai ficar assim! Onde já se viu, cortar os cabelos da colega...?! Você será punida! Vai ficar aqui após o final da aula!


(Mas o que está acontecendo?!)


Priya: A senhora não tem nenhuma prova... É a palavra dela contra a minha.


(Próximo)


Diretora: A senhorita Bia confirmou.


(Próximo)


Priya: Mas ela nem estava presente no momento!


(Próximo)


Diretora: "No memento"?


(Próximo)


Diretora: Isso significa que a senhorita também confirma o que aconteceu?


(Próximo)


Priya: ...


(Próximo)


Diretora: Estou decepcionada, senhorita Priya. Siga-me, por favor.


(Próximo)
(Eu olhei assustada para o Nath.)


Uau... É estranho ver a Priya em uma situação delicada.


Nathaniel: A Ambre me contou... Mas eu queria ouvir a versão da Priya.



Eu estava lá e vi tudo.
A Ambre tentou pegar a Priya de surpresa. Ela tentou cortar os cabelos dela enquanto a Priya estava de costas.
Mas a Priya conseguiu reverter a situação... Ela foi tão rápida, ninguém esperava.


Nathaniel: Quando a minha irmã vai parar de fazer essas coisas... Eu não acredito que ela continua sendo tão imatura.



(Próximo)


Nathaniel: Mas seria bom também que ninguém fizesse o mesmo...



(Opa... Parece que o Nathaniel não gostou do comportamento da Priya. E do meu também, imagino...)


Então... Você não vai ficar do lado da Priya?


Nathaniel: Não vou ficar do lado de ninguém. Elas agiram de forma impulsiva.


Mas você parecia tão próximo dela quando mostrou a biblioteca...


Nathaniel: O quê? Mas como podemos ser próximos? Nem nos conhecemos direito.



Para mim foi evidente... (Ai, ai... Quero falar tudo que guardei esse tempo todo sobre a Priya... Mas não posso exagerar.)


Nathaniel: Eu... Eu apenas indiquei um livro. Não foi com outras intenções, eu te asseguro.


E também mostrou a biblioteca para ela...
Eu não pensei que você fazia isso com todo recém-chegado...


(Ele parece desconcertado.)


Nathaniel: Docete... Não tem nada entre eu e ela, eu não entendo onde você quer chegar...



(Ele parece sincero. E isso significa que... fiquei com esse medo todo por nada?)


Nathaniel: Ela me trouxe a ficha completa e me perguntou onde ficava a biblioteca. A Priya parecia realmente interessada, por isso que eu decidi mostrar para ela.



(Próximo)


Nathaniel: Eu não vou mentir, ela é uma pessoa muito legal, tem um papo agradável. Mas eu acho que sua imaginação foi longe demais...


(Próximo)


Ambre: Mina mãe me levou logo ao cabeleireiro. Era impossível deixar meu cabelo naquele estado.


(Próximo)


Li: Pois é.


(Não acredito... O disco está arranhado? Ela só fala nisso.)


Nathaniel: Se eu fosse você, Ambre, não me gabava tanto assim.


(Próximo)


Ambre: Não estou me gabando, estou conversando com minha amiga. Deixe-me em paz.


(Próximo)


Nathaniel: Eu sei o que você fez. Diga-me um só motivo para que eu não conte tudo paara a diretora.


(Próximo)


Ambre: Você está brincando? Eu sou a vítima da história. Aquela cobra me cortou os cabelos.


(Próximo)


Nathaniel: Ela não faria isso se você não tivesse começado.


(Próximo)


Ambre: Eu aposto que foi ela quem te contou isso.


(Ela apontou na minha direção.) Eu estava lá, Ambre. Eu vi tudo!


Ambre: Você não tem nenhuma prova! E eu tenho uma!


(Ela passou a mão pelo cabelo com um ar satisfeito.)


Nathaniel: Você não perde por esperar. Se eu fosse você, mantinha a calma.



(Próximo)



Li: Você poderia ser mais legal com a sua irmã! Vocês não se encontram muito!


(Próximo)


Ambre: Cale a boca! Não se meta nisso...



(Próximo)


Li: O-Oh, desculpe...


(A Ambre foi embora e a Li foi atrás dela, repetindo suas desculpas.)
(A presença delas duas acabou quebrando o encanto do momento.)


Nathaniel: Ela conseguiu escapar, mas eu não vou deixá-la continuar agindo assim.



Se for assim, você corre o risco de ter que vigiá-la o dia inteiro...


Nathaniel: Sem dúvidas... Nem meus pais conseguiram.


(Eu olhei para ele triste.)
(Não é nada fácil esse tipo de situação em uma família.)


Natahniel: Eu preciso ir. Nos vemos mais tarde.


Está bem.


(Bom, a aula de história não vai demorar para começar.)
(O melhor é procurar minha coisas no meu armário.)


Corredor 2


(Eu abri meu armário para pegar meu livro de história.)


Alexy: Ei...


Oh, diga ai!


Alexy: Eu te vi conversando com o Nath. Está tudo bem?


Oh, sim, por quê?


Alexy: Eu não sei se você se lembra da nossa última conversa...


Hum... não...


Alexy: Quando você me fez acreditar que não tinha um namorado ainda... Saiba que se quiser esconder por mais tempo, precisa ser só um pouquinho mais discreta.


Mas do que você está falando? N-Não estamos namorando, eu prometo!


Alexy: Talvez vocês não estejam namorando mesmo, mas quando os vejo juntos, fico sempre na dúvida.


Não fizemos nada demais...


Alexy: Quando vocês estão juntos, tudo ao redor parece não ter a menor importância para os dois... Por isso eu acho que tem coisa ai!


(Se ao menos ele estivesse certo...)


Sala de Aula B


(Eu me sentei em um dos meus lugares habituais e esperei o professor Faraize e os alunos chegarem.)
(Ninguém tem um lugar fixo aqui, ao contrário do que acontece com a professora Delanay. É muito mais agradável...)


Nathaniel: Eu posso me sentar ao seu lado?


(Eu tirei os olhos do caderno e levantei a cabeça, surpresa.)


Nath! S-Sim, claro...


(É a primeira vez que nos sentamos lado a lado.)
(Por que ele tomou essa iniciativa...?)


Você não vai faltar aula hoje?


Nathaniel: Eu esqueci de fazer meu dever de casa, fato raro... Eu espero que o professor Faraize não me faça nenhuma pergunta...



Ah, "muito bem"... Não vou parabenizá-lo, hein?


Nathaniel: Seria muito azar se ele me perguntasse justamente hoje...


Por que você não fez o seu trabalho?


Nathaniel: Eu não sei bem... eu devia estar... pensando em outra coisa.


(Ficamos um tempo nos olhando fixamente.)
(Quanto mais o tempo passa, mais eu tenho dificuldades em reprimir os meus sentimentos... De uma certa maneira, isso acaba me indicando a boa direção...)
(A Ambre nos olhou com muita raiva ao entrar na sala.)


Eu acho que a sua irmão não gosta muito de nos ver juntos...


Nathaniel: É a última da minha preocupações. Eu tenho o direito de conversar com quem eu quiser...



(Próximo)
(Ah, agora é a Melody... Se eu acabar ficando com o Nath, a situação será complicada...)
(Vai ser impossível para mim resumira a aula de hoje.)
(A presença do meu vizinho de cadeira estava preenchendo todos os meus pensamentos.)
(Essa história está me deixando angustiada! Estou determinada a agir hoje mesmo e não vou mudar de ideia! O ponto positivo é que tudo parece estar indo no mesmo ritmo...)
(No final da aula, eu estava decidida a correr atrás do Nathaniel, se necessário, para convidá-lo ao restaurante.)
(Opa, chegou a hora!)


Corredor 2


(A Priya não parece estar de bom humor...)


Tudo bem?


Priya: Oh, sim... Você já está sabendo da punição?


Sim, eu te vi com a diretora. Sinto muito, mas era de se esperar que a Ambre se vingasse. Ela sempre quer ter a última palavra.


Priya: Eu não soube jogar... Geralmente não sou descoberta quando faço esse tipo de coisa. Mas posso te garantir que essa foi a última vez.


(De novo essa expressão assustadora... A Ambre não perde por esperar.)


Priya: Vamos deixar de falar de mim... E você, como vai?


Oh, bem... Tudo indo. (Eu não esperava por essa mudança repentina de humor.)
Bom... eu queria te perguntar algo.


Priya: Estou ouvindo.


(Já comecei, agora não posso voltar atrás.)


Você está interessada no Armin?


Priya: O quê? É muito cedo para que eu me interesse por alguém... Por que você...


(Próximo)


Priya: Oh.


(Próximo)


Priya: Entendi...


Por favor, não conte para ninguém...


Priya: Oh, não se preocupe, eu não sou de espalhar segredos.


(Eu espero que ela esteja falando a verdade...)


Priya: E fique tranquila. Eu não estou de olho no Nathaniel. É um rapaz bonito e inteligente, mas eu não vu ficar no seu caminho, prometo.


Pode ser bobagem minha, mas quando eu te vi com ele na biblioteca, eu pensei que...


Priya: É compreensível. Uma garota apaixonada está sempre na defensiva quando s trata desse tipo de coisa.


Você... você não imagina o quanto estou aliviada...


Priya: Eu entendo. É por isso que... Você dava a entender que não gostava muito de mim.


Sim... Sinto muito...
Sim, mas também eu não conseguia saber quem você era...


Priya: Não vamos mais pensar nisso.


(Próximo)


Priya: Sabe, eu sou intuitiva e confesso que estava triste por sentir que nada estava indo bem entre nós duas. Eu quero me aproximar mais de você, não sei bem por qual motivo. Mas agora que tudo está mais claro, acho que podemos começar tudo do zero.


("Quero me aproximar mais de você"? O que eu fiz para ela querer isso?)


Priya: Bom... Se você quiser também, claro.


Ok, para mim está tudo bem.


Priya: Legal! Fico feliz!


(Eu não acredito que acabei de fazer isso...)
(Eu confessei tudo para a Priya!)
(Mas pelo menos agora eu tenho certeza de que me preocupei sem motivo.)
(Eu só espero que ela tenha sido realmente sincera e que não decida contar tudo para alguém...)


Pátio


(As aulas acabaram por hoje...)
(Estou vendo o Nathaniel, ele está prestes a voltar para casa.)
(Bom, chegou a hora. Coragem, garota! É agora ou nunca!)


N-Nathaniel? (Minha voz está irreconhecível... Bom, Docete, inspire, expire... Você é capaz...)


Nathaniel: Sim?


E-Eu... Eu queria te pedir algo...
Eu, é... Eu estava pensando em sair e... Eu queria saber se você estaria interessado em ir comigo...


Nathaniel: E você tem uma ideia precisa?


Um jantar no restaurante... Na companhia da Rosalya e do Leigh.

(Pronto, falei...)
(... e pelo jeito o Nath não estava esperando por isso...)


Nathaniel: A Rosalya e o Leigh? Eles... Eles não preferem ficar a sós?



Hum, não... Pelo contrário, eles disseram que isso permitiria sair da rotina, ahah...


Nathaniel: O jantar pode ser um pouco... estranho. Bom, mas se é o que você quer.


Verdade? Você quer ir?


Nathaniel: Você parece surpresa.


Não... Quer dizer, sim! Mas estou contente.


Nathaniel: É o que importa. Está previsto para quando?



Ainda não decidimos uma data, mas eu te falarei assim que souber, está bem?


Nathaniel: Entendido, senhorita.


(Bom, finalmente foi mais fácil do que eu imaginava.)
(Tenho que contar tudo para a Rosa.)
(Eu tenho quase certeza de que a Rosa está na loja do Leigh. Eu não posso esperar mais, tenho que vê-la imediatamente.)


Lojas


(Achei a Rosa!)


Rosa, adivinha o que eu acabei de fazer...


Rosalya: Você disse para o Nathaniel que estava apaixonada por ele?


Não, ainda não, mas... Eu acabei de convidá-lo para ir ao restaurante comigo,  com você e com o Leigh e... ele aceitou!


Rosalya: Viva!!!!!! Eu sabia! Eu SABIA que ele iria aceitar!


Não grite assim...


Rosalya: Vai ser sen-sa-ci-o-nal! Vamos procurar o traje PERFEITO para esse momento único.


Opa, opa... calma... Eu não tenho dinheiro para comprar roupa. A roupa que eu tenho em casa dá para o gasto.


Rosalya: Discordo. E o traje é um presente.


Você não está falando sério...


Rosalya: Estou sim! Imagine você não viver esse momento maravilhoso que é se preparar para um encontro especial.


Eu imagino que não adianta nada se eu disser não...?


Rosalya: Exatamente!


(A Rosa me mostrou várias roupas, mas não gostei de nenhuma.)
(Para mim toda essa preocupação era mesmo um exagero.)


Mas aquela roupa ali não parece nada mal...


Rosalya: Ah, é mesmo, eu tinha me esquecido dessa! Ótima escolha. Combina com a ocasião. Só resta a você vesti-la.


(Eu fui ao provador.)


Rosalya: Uau! Você está perfeita!


Não precisa exagerar.


Rosalya: Mais uma coisa que você precisa aprender: aceitar um elogio.


Hmff...


Leigh: Olá, Docete. Está tudo bem?


Ah, olá Leigh! Tudo bem, e você?


Leigh: Estou bem. Ótima escolha.  É um dos modelos mais recentes.


(Próximo)


Rosalya: É o que ela vai vestir no nosso jantar com o Nathaniel.


(Próximo)


Leigh: Ah, finalmente tudo foi acertado? Quando vai ser o jantar?


(Próximo)


Rosalya: Sábado à noite.


Já vi que não serei consultada sobre a data...


Rosalya: Você tem ago previsto?


Não, mas... Eu tenho que pedir aos meus pais. Eu estou saindo bastante nos últimos tempos e eu os conheço bem... Não tenho certeza se eles irão me autorizar...


Rosalya: Oh, não, por favor, não venha com a desculpa "meus pais não deixam"... Você já evitou demais, não pode deixar passar uma oportunidade dessas!


Olha, eu vou conversar com eles hoje mesmo e te confirmo, está bem?


Rosalya: Ligue para mim. Se eles recusarem, você me passa o telefone, eu vou convencê-los a aceitar.


(Eu não faria isso por nada nesse mundo, mas eu posso deixá-la acreditando que sim...)
(Depois o Leigh dobrou a roupa co cuidado antes de colocá-la na sacola.)


Muito obrigada pela roupa. Foi muito gentil da parte de vocês.


Rosalya: Não tem de quê.


(Próximo)


Leigh: Eu preciso ir, tem cliente entrando na loja.


Até mais tarde!


(A Rosa me olhou encantada!)


Rosalya: Você está muito linda com essa roupa. O Armin vai ficar caidinho.


Psssiu! Alguém pode ouvir...


Rosalya: Fique calma, não tem ninguém conhecido aqui...


(Próximo)


Bia: Alguém pode me atender?


Mas... O que você está fazendo aqui?


Bia: Eu vim ver o que a loja está propondo, já que muita gente resolveu mudar de look.


Hum, bom, eu tenho que ir... Tenho mais o que fazer.


Rosalya: Fujona.


(A Rosa resmungou baixinho.)


Ahah, sinto muito...



Meu Quarto


(Ufa... Que dia agitado!)
(Eu tenho a impressão de que as coisas avançaram um pouco, mesmo se, no fundo, estou completamente aterrorizada.)
(O que importa é que o Nathaniel aceitou o meu convite.)
(Só me resta imaginar como vai ser esse jantar...)
(Estou cheia de dúvidas,  mas não vou me angustiar antes da hora...)
(Primeiro tenho que pedir autorização aos meus pais.)
(Eu não posso de jeito nenhum deixá-los imaginar que o jantar está mais para um encontro romântico.)
(Vou dizer que é um jantar entre amigos.)
(Eu tenho que ser persuasiva.) 
(Quando eu penso que não faz tanto tempo assim eu contava tudo aos meus pais...)
(E hoje é a Priya, que mal conheço, que está sabendo dos meus sentimentos.)
(Está tudo de cabeça para baixo...)
(Eu espero mesmo que a Priya seja digna de confiança. Senão, só me restará mudar de escola...)
(Meus pais já devem estar chegando em casa.)
(Bom, coragem, a última etapa do dia... Obter a permissão dos meus pais.)
(Eu comecei contando um pouco  o que fiz na escola, para puxar assunto.)
(Eu falei rapidamente da aula de história e também que estava com a impressão de estar me entendendo mais com a novata, a Priya.)
(Depois contei que tinha ido na loja.)


A Rosalya é realmente maravilhosa. Olhem a roupa que ela me deu de presente.


Lucia: E que presente! Mas por que ela fez isso?


Oh, é... Nos damos super bem, eu acho que ela quis me agradar.
Inclusive, nos damos tão bem que gostaríamos de jantar juntas sábado que vem.


Philippe: Só vocês duas?


Então, dois amigos nossos vão também: o Leigh e o Nathaniel.


Lucia: Aquele loirinho? Ele está apaixonado por você, eu tenho certeza.


Hã...?


(Pronto... Meu pai agora está fazendo a cara feia dele.)


Mãe... Somos apenas quatro amigos passando um tempo juntos.


Lucia: Ah, me engana que eu gosto... Dois rapazes e duas moças... Está mais para um jantar entre casais, se quer saber.


(Próximo)


Philippe: Eu acho que é uma má ideia. Você está saindo demais nos últimos dias. Ficar um pouco conosco só te fará bem.


Pai... Nós vamos jantar no centro, depois eu volto. Não vou chegar trade em casa. Além disso, não tem aula no dia seguinte.


Lucia: É da idade isso... Deixe nossa filha se divertir um pouco. Não vejo problema nenhum.


(Próximo)


Philippe: Bom, eu preciso conversar antes com a sua mão. Não posso decidir sem pensar os prós e os contras antes.


(Eu não acredito... Eu espero que não seja obrigada a cancelar com todo mundo...)
(Todos os meus esforços foram por água abaixo...)
(Bom, não posso me sentir derrotada. Tenho que pensar positivo e acreditar que a sorte ainda está ao meu lado.)
(Eu dormi rapidamente.)
(Os acontecimentos do dia me deixaram bem cansada.)
(Eu dormi tão profundamente que nem ouvi o despertador.)
(Não acredito, estou atrasada!)


Em Frente à Escola


(Que silêncio... Todo mundo deve estar nas salas agora.)


Castiel: Então, garota, não está indo para a aula?


C-Castiel! Você me assustou, eu não te vi chegar.


Castiel: É raro te ver chegar atrasada.


É raro que eu durma tão profundamente...
É raro ver você chegar na hora certa.
É raro te ver de bom humor cedo.


Castiel: Talvez porque eu tenha te encontrado com um ar tão perdido na porta da escola.


Que bom que isso te deixa tão feliz, mas temos mesmo que andar rápido.


(Nós entramos na escola.)
(Rápido! A professora Delanay não vai gostar nada disso...)
(É a segunda vez que chego atrasada na escola. Acho que dessa vez vou me dar mal.)


Sala de Ciências


(Quando chegamos na sala, a Melody nos deu uma boa notícia.)
(A professora Delanay teve que sair no início da aula, pois tinha esquecid as fotocópias do próprio dever de casa. Ela saiu para procurar na sala dos professoras.)
(Resultado: ela não tinha feito a chamada ainda.)
(Eu e o Castiel conseguimos nos sentar como se nada tivesse acontecido.)
(Mas não pude deixar de perceber o olhar estranho do Nathaniel na minha direção.)
(Talvez ele esteja se perguntando por que eu cheguei com o Castiel?)
(Ou então estou apenas imaginando coisas...)


Professora Delanay: Desculpem pelo meu atraso.


(Próximo)


Professora Delanay: Ambre, poderia distribuir as cópias, por favor?


(A Ambre obedeceu sem dar um piu.)
(A Priya está olhando para ela fixamente.)
(A Ambre percebeu e parecia desconfortável...)


Priya: *cochicho* Seu novo corte de cabelo está realmente muito bonito.


(Próximo)


Ambre: Sim, eu eu sei! É... O-Obrigada.


(Próximo)


Priya: Você tem certeza de que não quer um corte mais curto?


(Ela tirou uma tesoura do estojo lentamente.)


Ambre: P-Pare agora ou senão eu dou um grito!


(Próximo)


Priya: Calma... Não grite sem motivo, senão ninguém vai te ajudar quando você estiver realmente em apuros.


(Eu acho que a Ambre está arrependida de ter implicado com a Priya.)


Rosalya: O que elas duas estão fazendo? Parece que vai haver um crime...


Está parecendo mesmo...


Professora Delanay: Silêncio!


(Começamos a estudar em silêncio.)
(Mas para variar, eu não pude deixar de pensar em outra coisa.)
(Confesso que estou com a vaga esperança de que a Ambre tenha definitivamente escolhido outra vítima e me deixando em paz.)
(Parece que vai dar certo...)
(Não posso esquecer de dizer ao Nathaniel que iremos para o restaurante no sábado.)
(Espero que os meus pais não me impeçam de ir...)
(Eu vou encontrá-lo no final da aula e avisá-lo qual dia foi escolhido para o jantar.)


1° Andar


(Puxa, ele já foi embora...)


Violette: Estou melhor em ciências... Quer dizer, eu acho...


Ainda bem que você foi questionar a professora sobre o ponto que faltava...)


Violette: Foi graças a você. Eu acho que nunca iria conseguir sozinha...


(Terminar a conversa.)


Escadaria


(O Kentin está pensativo...)


Sorria a vida é bela!
No que você está pensando? 
Está tudo bem com você?


Kentin: Sim... Bom...


Ah, diga-me o que está acontecendo.


Kentin: Nada, é só o meu pai... Ele acha que eu me descuidei nos últimos tempos.


"Descuidou"? Como assim?


Kentin: Eu não entendi bem. Eu tenho certeza de que ele me acha menos agressivo desde que voltei da escola militar.


Mas isso não chega a ser algo ruim...


Kentin: Para ele é um problema sim...


Mas o que foi que ele falou precisamente?


Kentin: Que eu estou menos rigoroso, algo assim.


Mas ele não falou zangado, falou?


Kentin: Não... Foi só um comentário. Mas eu não sei, sempre fico com medo de decepcioná-lo e tenho tendência a prestar atenção em absolutamente tudo o que ele diz.


(Próximo)


Kentin: Eu vou correr no parque após as aulas, vai me ajudar a esvaziar a mente.


Boa ideia. Você poderá pensar com mais clareza.


Kentin: E aproveitar para colocar o meu cachorro para passear.


(Próximo)


Kentin: Isso me deixa sempre de bom humor.


(Terminar a conversa.)


Ginásio


Alexy: Docete...?


Sim?



(O que será que ele vai perguntar dessa vez? Ele parece estar procurando encrenca...)


Alexy: Na sua opinião. Quem é o rapaz mais bonito da escola?


(Não acredito... Ele está fazendo isso de propósito, só pode.)


Mas que pergunta... Claro que é você!


Alexy: Mentira;


Não, é sério. Seus cabelos azuis são irresistíveis.


Alexy: Eu vou acreditar.


(Eu acho melhor contar a verdade para ele um dia desses, senão ele nunca vai me perdoar...)


Clube de Jardinagem


Bia: Eu fiquei então olhando para a sandália de salto, só que...


(Próximo)


Charlotte: Sim, entendi, mas podemos conversar mais tarde? Eu tenho que revisar agora.


(Próximo)


Bia: Oh, está bem, podemos conversar... No almoço?


(Próximo)


Charlotte: Eu vou comer no centro com a Ambre e a Li, então a resposta é não.


(Próximo)


Bia: Oh, verdade? Talvez eu possa ir com vo...


(Próximo)


Bia: ...


(A Charlotte já tinha ido embora.)
(A Bia fez uma cara de tristeza...)
(Pelo visto é difícil para ela fazer parte do grupo das pestinhas.)
(O que será que deu errado...?)


Pátio


Rosalya: O seus pais disseram o quê?


Oh, é... eles concordaram.



(Bom, não é a verdade, mas pouco importa o que eles disserem, eu acharei um meio de convencê-los. Eu tenho que fazer isso...)


Rosalya: Que bom! E o Nathaniel está disponível?


Eu ainda não perguntei.


Rosalya: Não me diga que você ainda está com medo de perguntar...?!


Nada disso... Eu só não o encontrei ainda.


Rosalya: Olha que coincidência, ele está bem ali!


(Próximo)


Rosalya: Ei, Nathaniel!


Não acredito, o que deu em você para chamar atenção assim...?


Rosalya: Eu tive medo de que você hesitasse durante os próximos 700 anos...


(Próximo)


Nathaniel: Rosalya? O que foi?


(Próximo)


Rosalya: Nós escolhemos uma data para o jantar no restaurante e queríamos te avisar.


(Próximo)


Nathaniel: Verdade?


Pensamos em ir no sábado, tudo bem para você?


Nathaniel: Oh, bem... Como eu te disse, tenho alguns problemas pessoais para resolver nesse dia...


(Que burra eu sou! Nem lembrei diso!)


Nathaniel: Só que eu vou visitar os meus pais pela tarde. Eu posso ir a noite ao jantar, vai até me fazer bem.


(Próximo)


Rosalya: Que legal! Vamos nos divertir mesmo, você vai ver.


(Próximo)


Nathaniel: Não duvido disso.


(Próximo)


Rosalya: Eu tenho que ir, a Iris está me chamando. Até mais!


(Eu procurei por todo o lado, mas nenhum vestígio da Iris.)
(A Rosa fez de propósito para que eu ficasse a sós com o Nathaniel...)


Nathaniel: Preciso vestir algo específico? Qual tipo de restaurante nós vamos?



Oh, não se preocupe, nada de muito chique, eu imagino, não temos tanto dinheiro sobrando. Venha como você está, está perfeito.


Nathaniel: Está bem então.


(Próximo)


Nathaniel: Você tem certeza de que a Rosalya e o Leigh não ficarão incomodados com a minha presença? Nós não nos conhecemos bem...



Não, pelo contrário. Eles etão contentes em conhecer melhor outras pessoas.


Nathaniel: Está bem.



(Próximo)


Nathaniel: De qualquer maneira estou feliz em passar um tempo ao seu lado. Vai me permitir esquecer os problemas.



Talvez deveríamos passar ainda mais tempo juntos então...


(Oh... Eu disse isso mesmo? Que bicho me mordeu?)


Nathaniel: Pode ser...


(Próximo)


Melody: Nathaniel?


(Grrr...)
(Ela veio nos interromper de propósito, eu tenho certeza.)



Melody: Eu vou precisar de você na sala dos representantes. Você pode ir?


(Ele deu um longo suspiro.)


Nathaniel: Estou indo. Até mais tarde, Docete.


Até mais tarde.


(Bom, eu vou no meu armário pegar minhas coisas.)


Corredor 2


Peço a atenção de todos, por favor!


(O som vem dos alto-falantes...)


As aulas foram suspensas a partir de agora até amanhã. Os professores estão precisando se reunir para organizar um evento especial.


(Que bom! Vamos poder sair da escola mais cedo hoje...)
(Deve ser o famoso evento que tanto preocupa a Peggy.)
(Ela vai ficar furiosa se eles contarem tudo antes dela divulgar algo.)
(Eu coloquei alguns livros no meu armário e depois saí da escola.)
(Eu vou poder almoçar em casa.)


Meu Quarto


(Eu comi em casa tranquila, feliz por ganhar um tempo livre.)
(Estou com vontade de ir passear.)
(Normalmente eu deveria estar dentro da sala de aula, por isso tenho que aproveitar.)
(Estou pronta para ir.)


Parque


(O parque está calmo nessa hora.)
(Eu ia me sentar em um banco para ler tranquilamente quando de repente...)


Castiel: Pelo jeito tivemos a mesma ideia...


Oh...
Castiel!


Dragon: Au!


... E o Dragon. Ele não deve estar acostumado a sair um hora dessas!


Castiel: Ele está feliz da vida.


Estou um pouco decepcionada... Ele nem está usando o magnífico colar rosa.
Mas... V-Você não prende ele para passear?
Você tem certeza disso? Ele nem está mexendo a cauda...


(Mas sem que eu tivesse tempo de entender o que estava acontecendo, o cachorro colocou as patas sobre mim e me fez cair de costas.)
(Depois ele recuou, abanado a cauda.)


Castiel: O que você estava dizendo?


Hmff... (Eu me levantei, um pouco perdida.)


Castiel: Tudo bem? Ele não te machucou?


Oh, não, não... Eu só fui... surpreendida.


Castiel: O que você está fazendo por aqui?


Oh, nada de especial... Eu só queria ficar um pouco ao ar livre.


Cookie: Au! Au!


(Um outro cachorro...?)


Cookie: Uau!


(O que é...?)
(O filhote foi para cima do Dragon, pelo jeito super contente por encontrar um amigo.)


Castiel: Mas o que é isso?


(Próximo)


Kentin: Cookie, volte aqui!


Kentin?


Castiel: Aquele vira-lata é seu?


(Próximo)


Kentin: Não é um vira-lata! É um pastor-alemão. Ele é filhote, só isso.


(Próximo)


Castiel: Pois então chame-o, eu não quero ser responsável por um acidente.


(Próximo)


Kentin: Ele não tem costume de ver outros cachorros... Cookie, volte!


(Ele colocou a coleira, com um pouco de dificuldade.)


Kentin: O que você está fazendo aqui, Docete?


Eu estava passeando e acabei encontrando o Castiel.


Kentin: Sim, estou vendo...


(Próximo)


Castiel: Algum problema, comando em ação?


(Próximo)


Kentin: Não.


(Próximo)


Castiel: Fale, ao invés de ficar ai, se tremendo todo.


(Próximo)


Kentin: ...


Por favor, acalmem-se... Não precisa...


Totó: Au!


Eu estou sonhando?!


(Eu acho que sou capaz de reconhecer esse latido entre mil...)


Diretora: Totó, aqui!


(Não acredito.... Mesmo fora da escola, ela nos segue!)


Totó: Au!


(Totó, sem nenhum controle, se jogou nas patas do Dragon, que acabou surpreso e rosnou forte.)
(E visivelmente Cookie não queria ficar fora dessa. Aproveitou-se da surpresa do Kentin, ele pulou nos outros dois cachorros.)


Totó: Au!


Dragon: Au au!


Cookie: Au!


(Próximo)


Diretora: Por favor, separem os cachorros! Eles vão machucar o meu Totó!


(Mas se olhássemos bem a cena, iriamos ver que era o Dragon e o Cookie que estavam arrependidos de ter encontrado o Totó.)


Totó: Au! Au! Au!


(Totó latia sem parar, enquanto os dois outros começavam a recuar, impressionandos com tanta agressividade.)


Castiel: A senhora está brincando?! Foi ele que... Ai!!


(Eu dei uma cotovelada nele para que se calasse.)


*murmura* Mesmo se estamos fora da escola, temos que tratá-la bem.


(Nós separamos os três cachorros com muita dificuldade.)


Diretora: Que bom, você está bem!


(Próximo)


Totó: Au!


(Próximo)


Diretora: Tenham mais cuidado com os seus cachorros da próxima vez.


Mas... A senhora não deveria organizar um evento com os professores hoje à tarde?


Diretora: Eu estou de folga hoje à tarde, não tenho mais idade para esse tipo de coisa.


(Próximo)


Diretora: Boa tarde, crianças...


Tchau...


Meninos: Tchau...


(Bom... Se eu soubesse disso...)
(Eu olhei para o Kentin. Ele estava inspecionando o próprio filhote de cima para baixo, super preocupado.)


Ele se machucou?


Kentin: Eu acho que não, mas eu prefiro conferir. Com esses dois brutos...


Dragon não é bruto... Ele é simplesmente mais forte.
Totó é agitado, mas eu acho que ele não faria mal nem a uma mosca.
Não se preocupe, eles não brigaram, mas apenas... se conheceram melhor.


Kentin: Sim, você deve ter razão, eu devo estar exagerando...


(O Castiel fez uma cara engraçada.)


Kentin: Qual é a graça?


(Próximo)


Castiel: Eu não estou rindo de você. Eu também me preocupo com meu cachorro, eu entendo.


(Um silêncio profundo chegou ao nosso grupo.)


Kentin: Bom, eu acho que vou para casa.


Você não quer ficar um pouco mais?


Kentin: Eu acho que o Cookie já teve emoção demais por hoje.


Cookie... ou você?


Kentin: Os dois, com certeza.


(Próximo)


Kentin: Bom, até amanhã.


Até amanhã.


Castiel: Eu também tenho que ir. Até mais tarde.


(Que pena, eu até que gostaria de ficar um pouco mais com ele.)
(Eu fiqui um tempo passeando pelo parque.)
(Mas eu tenho que ir para casa... Eu preciso pedir aos meus pais autorização para sair sábado.)


Lucia: Ah, Docete, você já chegou?


Cheguei sim, as aulas foram canceladas. A escola está preparando um evento, mas ninguém sabe bem qual é.


Lucia: Uma outra peça de teatro? Eu adoraria te ver atuar novamente!


Hum... acho difícil!


Lucia: Já que você está aqui, o que acha de ir comprar pão? Tome aqui 5$.


(Eu não posso recusar, ainda mais porque terei que pedir algo.)


Ok, está bem.


Lucia: Obrigada, minha linda.


(Terminar a conversa)


Lojas


(O pão daquela panificadora ali é muito bom... Meus pais vão gostar se eu levar para eles.)
(Eu pedi três pães bem assados.)
(Ok, eu vou fazer isso.)


Meu Quarto


Toma, mãe, eu trouxe o p...


Philippe: Olá, minha princesa.


O-Oi, pai...


(Poxa, eu esperava convencer a minha mãe antes que ele voltasse. Ela parecia mais disposta a me autorizar a sair.)


Lucia: Muito obrigada pelo pão.


(Próximo)


Philippe: Então, o que tem de novo na escola Sweet Amoris?


(Eu falei para o meu pai sobre o evento que a escola estava preparando e também que a maioria das aulas foram anuladas para que os professores pudessem organizar algo.)
(Depois meus pais contaram um pouco o que fizeram durante o dia, mas não houve nada extraordinário.)
(Eu resolvi aproveitar o bom humor geral para atacar.)


Então... Eu posso sair hoje à noite? Vocês pensaram no assunto?


Philippe: Sim, pensamos.


E?...


Philippe: Nós pensamos que você saiu muito nos últimos meses e que deveria adiar esse jantar para um outro dia.


Adiar? M-Mas eu não posso... É importante para mim, por favor...


Lucia: Você não está exagerando? Converse com os seus amigos, eles vão entender.


Mãe... eu não posso cancelar, eu... A Rosalya já reservou o restaurante.


Philippe: Já reservou? Mas de qual tipo de restaurante estamos falando?


Bem... Eu não sei. Ela não me disse o nome.


Lucia: Ora, querida, não é o fim do mundo... Você poderá sair uma outra vez!


Não é justo!


(Eu sei que estou reagindo como uma criança, mas estou super decepcionada.)
(Se tinha uma ocasião que eu não deveria deixar passar, era essa...)
(Eu nem posso contar para os meus pais porque é tão importante para mim... Seria dar mais um motivo para me dizer não.)
(Não sei o que fazer...)
(O resto da semana passou rapidamente e eu não consegui convencer meu pais a me deixar ir onde queria.)
(E como eu não quis aceitar que desse errado, acabei não avisando aos outros que iria ter que cancelar.)
(No sábado de madrugada, eu virei na cama mais de mil vezes, tentando encontrar uma solução.)
(Eu cheguei a conclusão de que só havia uma saída...)
(... ir de qualquer maneira, desobedecendo meus pais.)
(Eu não sou assim...)
(Mas estou morrendo de vontade de ser...)
(É errado, mas eu tenho certeza de que não devo perder essa oportunidade.)
(Eu sinto que algo muito importante vai acontecer durante essa noite...)
(Além do mais, minha tia nos convidou para jantar.)
(Eu poderia dizer que não estou me sentindo bem, assim meus pais sairiam sem mim.)
(Eu começei a colocar meu plano em ação assim que acordei.)


Lucia: O que foi? Algum problema?


Eu não sei, estou sentindo como se estivesse doente...


(Ela colocou as costas da mão no meu pescoço, depois na testa, preocupada.)


Lucia: Você não parece estar com febre. Está sentindo alguma coisa?


Hum, não, mas estou me sentindo cansada.


Lucia: Vá descansar então. Você não tem nada urgente para fazer.


Está bem...


(Eu passei o dia fingindo. eu acho que deu certo.)


Philippe: Você acha que pode jantar conosco na casa da Agatha?


Não... Eu acho melhor ficar sozinha aqui, tranquila.


Lucia: Vamos ficar com você. Não vamos deixá-la sozinha em casa, nunca se sabe.


(Oh, não, todo esse esforçopara um resultado desses!)


Oh, não... Não precisam cancelar por minha causa. Estou bem, eu vou preparar um macarrão instantâneo e assistir uma série.


Philippe: Não podemos fazer isso juntos e ir na casa da sua tia outro dia?


Mas... Será uma pena... Com certeza ela já preparou tudo.


Lucia: Verdade, você tem razão.


(Yes!)


Lucia: Mas... Você tem certeza de que pode ficar sozinha?


Absoluta. Se eu tiver um problema, eu telefono logo para vocês. Além disso, eu vou dormir cedo.


Philippe: Bom, se você tem tanta certeza...


(Não estou me sentindo muito bem em mentir assim... É o tipo de coisa que a Ambre faria tranquilamente.)
(Mal eles fecharam a porta e já comecei a sentir a minha determinação diminuir.)
(Ainda é tempoi de desistir. Posso ligar para a Rosa e cancelar. Ou sumir.)
(Já imagino a Rosa brava aqui me procurando aqui em casa e pedindo explicação, ahah...)
(Mas depois eu lembrei do Nathaniel...)
(Com certeza ele não iria gostar de ficar com a Rosa e o Leigh apenas.)
(Bom, coragem. Eu não posso desistir logo agora.)
(Primeira etapa... Colocar o traje que a Rosa me deu.)
(Segunda etapa, pegar as minhas chaves.)
(Lá vou eu...)
(Estou tão estressada que estou com dor de barriga.)
(E não é apenas porque estou saindo sem autorização...)
(Agora é hora de acelerar o passo.)


Ponto de Ônibus Perto de Casa


(Não tem ninguém numa hora dessas. Que estranho.)
(O trajeto custa 10$)
(Eu espero pelo menos que a conta não fique muito alta.)
(Eu comprei um ticket.)
(Eu roí as unhas durante a viagem...)
(Felizmente não demorou muito tempo.)
(Eu desci do ônibus e andei alguns passos até o restaurante.)
(Entrei, envergonhada.)


Rosalya: Docete! Estamos aqui!


(A Rosa acenou para mim, feliz da vida.E o Leig estava calmo, como de costume.)
(Mas eu não estou vendo o...)


Rosalya: O Nathaniel não chegou ainda, mas eu tenho certeza que não vai demorar.


Ok.


Rosalya: Você está lindíssima! Onde encontrou esse traje magnífico?


Não precisa falar mais, já ouvi o suficiente.


Leigh: Eu espero que esteja com fome, os pratos aqui são volumosos.


Oh, sim, bastante...


(Eu não consigo prestar atenção no que ele está falando... Eu só quero olhar para a porta de entrada do restaurante.)
(Um garçom veio anotar o pedido e comecei a bater os dedos na mesa, nervosa.)
(A cena está parecendo com o sonho que tive há alguns dias... Só muda o ambiente.)
(Isso não pode acontecer, eu sei... Mas fico preocupada mesmo assim.)


Rosalya: Docete? Você está ouvindo o que eu estou falando?


O q-que foi? (Ela não tinha dito isso nos meus sonhos também...??)


Rosalya: Fique calma, estamos entre amigos.


Eu sei...


(De repente, o Nathaniel apareceu e meu coração saiu pela boca.)


Rosalya: *murmura* Fique tranquila, tudo vai terminar bem.


(Próximo)


Nathaniel: Sinto muito pelo atraso.


(Próximo)


Rosalya: Não tem problema. Acabamos de pedir algo para beber.



(Próximo)


Rosalya: Sente-se aqui, em frente a Docete.


(Ela é obrigada a indicar o logar...? Está tão evidente.)
(Eu espero que ela não faça insinuações demais durante a noite...)
(Como terá sido o encontro dele com os pais à tarde?)


(Eu olhei para ele com um ar interrogativo.)
(Acho melhor perguntar se está tudo bem.)
(Eu prefiro não falar no assunto aqui.)


(Ele parece ter entendido o que eu queria saber e fez que sim com a cabeça para me reconfortar.)
(O Nathaniel começou a conversar com o Leigh e parecia à vontade.)


Leigh: A loja está com cada vez mais clientes, é algo super positivo.


(Próximo)


Rosalya: Alguns clientes vêm de longe... Eles estão interessados nas criações do Leigh.



(Próximo)


Leigh: Rosa...


(Próximo)


Rosalya: O que foi? Algém tem que exaltar suas qualidades, já que você mesmo não faz.


(Eles dois juntos são tão fofos...)
(Eu bem que gostaria de viver isso com o Nath.)


Rosalya: E a Docete comprou a roupa dela lá. Ela está divina, você não acha, Nathaniel? A roupa a deixou ainda mais linda!


Hum, as bebidas estão demorando a chegar, não?
Rosa, estou constrangida...
Eu não acho que o Nathaniel esteja com vontade de conversar sobre roupas...


Rosalya: Não tem motivos para ficar assim. Você tem que aprender a aceitar elogios.


(Próximo)


Nathaniel: Você é muito modesta, mas isso faz parte do seu charme. Para falar a verdade, é você que conseguiu deixar a roupa mais bonita.


(E-Ele falou mesmo o que acabei de ouvir??)


Gentileza sua...


(A Rosalya sorriu para mim com um ar vitorioso.)
(Não foi uma má ideia escolher uma roupa com todo o cuidado.)
(O Nath está me surpreendendo.)
(Eu sinto que o Nath, a Rosa e o Leig estão se dando bem.)
(Chegou a hora de escolher o prato principal.)
(Eu não sei o que escolher...)
(Se eu escolher uma macarronada com molho de tomate, eu não irei conseguir comer sem me sujar, eu me conheço...)
(Uma salada? Está fora de cogitação. Se é para ficar com o resto do jantar nos dentes, nem pensar.)
(Eu tenho que excluir todos os pratos com cebola e alho, nunca se sabe...)


Nathaniel: Quanta concentração!


Eu confesso que não sei o que escolher... Você já sabe o que quer?


Nathaniel: Fiquei com vontade de experimentar o risoto de aspargos.


(Eu vou pedir a mesma coisa que ele... só para agradá-lo.)
(Quem sabe se eu escolher a mesma coisa que a Rosa... Ela deve saber quais pratos devemos evitar a todo o custo.)


Rosalya: Eu quero uma picanha com batata frita e molho de pimenta.


Ela tá falando sério? (Só o pedaço de carne dá para alimentar duas pessoas, sem falar nos efeitos do molho de pimenta...)


Rosalya: O que foi? Estou com fome.


Ok...


Leigh: Para mim uma salada ceasar.


(Enquanto o garçom anotava os pedidos, eu não conseguia me decidir sobre qual prato escolher. Em pânico, eu pedi a primeira coisa que li no cardápio.)
(Eu acho que não devia ter feito isso...)


Nathaniel: Surpreendente. Eu nunca comi abobrinha recheada.


(Por que eu pedi isso...? Eu detesto abobrinha...)
(Tem alguma coisa errada comigo, só pode...)
(Na hora de comer me senti uma completa idiota...)
(Na primeira garfada eu retive uma careta.)
(Não acredito, tem alho na receita! Tirei a sorte grande mesmo!)


Leigh: Tudo bem, Docete? Você está fazendo uma cara.


(Eu fiz que sim com a cabeça, mas eu estava tensa.)
Há quanto tempo não comia isso... Mas eu preferia o gosto de antes.
Sim, sim, está tudo bem.


Leigh: Ah, que bom, eu que escolhi o restaurante, eu fiaria decepcionado se vocês não tivessem gostado.



(Que ótimo. Agora sou condenada a comer essa coisa horrenda sorrindo.)
(Mas tirando o gosto horrível do meu jantar, estou passando um momento agradável.)
(A Rosa fez todo mundo rir ao pedir outra poção de batata frita.)
(Como ela consegue comer tanto.)
(O jantar chegou ao fim, todos estavam de bom humor.)


Rosalya: Hum, eu preciso ir ao banheiro.


(Ela me olhou fixamente.)


Rosalya: ...?


Sim, é, bom... ok.


(Ela suspirou olhando para o alto.)


Rosalya: Você poderia me acompanhar, Docete?


Por que você preci...?


Rosalya: Agora.


Oh, ok, estou indo.


(Os rapazes continuaram conversando enquanto nos dirigimos ao banheiro.)


Você queria me falar alguma coisa?


Rosalya: Claro que sim! Hoje é o seu dia de sorte, você tem uma oportunidade única, eu quero que tenha consciência disso.


Eu sei, mas não fale assim, já estou estressada o suficiente.


Rosalya: Eu percebi! Mas não tem motivo nenhum!


(Próximo)


Rosalya: Você percebeu que ele não para de te olhar?


(Próximo)


Rosalya: Estou pressentindo um beijo na porta da sua casa...


(Um beijo? Oh... my... god! Ela não deveria ter me dito isso, agora estou me sentindo pior.)
(Eu já tinha pensado nisso...)
(...mas ouvir da boca da Rosa, tornou tudo ainda mais provável.)


Q-Quando chegarmos na minha casa, você acha?


Rosalya: Mas é claro!


(Próximo)


Rosalya: Pode ter certeza que ele vai te levar em casa, a não ser que ele seja um mal educado de primeira. E aí...


Eu... Eu não sei se já estou pronta...


Rosalya: Claro que está! Você já beijou outros rapazes, além disso você já me contou que teve alguns namorados antes de se mudar para cá.


Mas... Mas isso não tem nada a ver, eu não estava assim... tão apaixonada.


(Ela sorriu para mim, feliz da vida.)


Rosalya: Eu tenho certeza de que vai ser o começo de uma bela história de amor. Você só precisa deixar as coisas acontecerem...


Ou não deixar...


Rosalya: Eu sei que isso dá medo, mas confesse que a vida tem muito mais sabor assim, você concorda?


Sim, sou obrigada a concordar com você...
Eu não sei, só vivo nessa agonia agora... Nem dormir direito eu consigo mais...


Rosalya: Ahah, eu sabia! Você vive intensamente e está certa.


(Próximo)


Rosalya: Vamos?


Vamos.


(Voltamos para a mesa onde o Nath e o Leigh nos aguardava.)
(A conta estava na mesa.)
(O Leigh pagou para a Rosa.)


Dividimos o resto da conta?
(Não dizer nada.)


Nathaniel: Não, eu pago a sua parte.



Mas eu posso pagar...


Nathaniel: Isso não vem ao caso...


(Ele pegou a máquina de cartão de crédito da mão do garçom.)
(Não posso demorar muito. Meus pais podem chegar a qualquer momento...)


Rosalya: Eu não acho que iremos pelo mesmo caminho, então... até mais tarde para vocês dois.


(Próximo)


Leigh: Estou feliz em te rever, Docete. Para mim foi uma noite agradável.


Obrigada, para mim também.


Leigh: Nathaniel, fiquei feliz em te conhecer melhor.


(Próximo)


Nathaniel: Foi reciproco.


Boa noite, Rosa e Leigh.


Rosalya e Leigh: Boa noite!


(Nos dirigimos para o outro lado.)
(A caminhada foi agradável, estávamos cansados, mas pelo que pude perceber, contentes por estarmos juntos.)
(Eu olhei para as janelas do apê, mas tirando o meu quarto, não vi nenhuma luz ligada.)
(Não é muito tarde, meus pais não devem estar deitados.)
(Isso significa que ainda não foram para casa. Ufa...)


Nathaniel: Foi uma noite agradável.



Sim...


(Eu não pude deixar de pensar no que a Rosa disse há pouco...)
(Eu comecei a mexer nos meus fios de cabelo, nervosa.)


Nathaniel: Algum problema?


(Ele pegou a minha mão.)
N-Não, está tudo bem. O r-restaurante foi muito bom, e...
(Pare de falar besteira e olhe para ele!)


Nathaniel: Eu...


(Próximo)


Philippe: Docete!


(Eu tomei um susto tão grande que meu coração quase parou.)


P-Pai?!


Philippe: Pelo jeito você está curada! Volte para casa imediatamente. Precisamos ter uma conversinha.


(Eu estou completamente perdida.)
(Eu nunca me senti tão mal na vida...)


Philippe: E você, rapaz, não quero mais vê-lo por aqui, fui claro?


Pai...!


Nathaniel: Eu... sinto muito, senhor...


(Próximo)


Philippe: Se acaso você não me ouviu direito, eu repito devagar: vá embora agora.


(Ele foi embora sem dizer mais nada.)
(Eu segui meu pai até meu quarto e minha mãe veio logo em seguida.)
(Eu pensei que ela iria me proteger, mas ela também parecia estar muito zangada.)
(Dessa vez, não tem jeito, eles não vão me perdoar...)


Lucia: Estou decepcionada com você, Docete.


(Próximo)


Philippe: Decepção é pouco! Eu nunca imaginei que você fosse capaz de fazer uma coisa dessas.


(Próximo)


Lucia: Onde você estava?


Eu... estava...


Philippe: Com um rapaz! De novo! Você está fazendo tudo errado, menina. Agora eu entendo porque estava tão distante.


(Próximo)


Lucia: Nós tínhamos proibido de sair e você desobedeceu. Você não é mais a mesma.


Eu... Eu sinto muito, mas essa noite era realmente importante para mim, senão eu nunca faria isso...


Philippe: Um comportamento assim não tem nenhuma desculpa válida. Você vai ficar de castigo durante uma semana, sem sair após a aula, até que possamos entender o que está acontecendo e tentar mudar essa situação.


(Próximo)


Lucia: É bem fácil entender. Você, Docete, tem um namorado e isso é normal na sua idade. O problema é que você mentiu para poder encontrá-lo... E isso é grave.


Mas eu já disse, eu não tenho um namorado... Eu só queria ficar um pouco com os meus amigos.


Philippe: Então por que esse rapaz estava bem na frente da nossa casa??


Nós... nos damos bem, estamos sempre juntos, mas ele não é meu namorado. (O pior é que estou falando a verdade...)


Lucia: Pouco importa, isso não justifica de forma alguma mentir e sair sem autorização.


(Ai... Estou realmente numa péssima situação...)


Eu sinto muito por ter feito isso... Eu sei que não fui honesta, nunca mais farei isso novamente.


Philippe: É fácil falar, principalmente depois de ter feito. O melhor é você se acostumar com a ideia agora. Você não vai sair tão cedo. Principalmente com esse rapaz.


Pai!


(Eu abandonei a luta rapidamente, , pois percebi que eles estavam muito nervosos e de nada adiantaria discutir.)
(Eu passei um domingo horrível.)
(O pior não foi ver meus pais irritados... mas sim, vê-los decepcionados.)
(Além disso, estou proibida de sair...)
(Desse jeito, não poderei continuar avançando nos meus planos.)
(A noite parecia tão boa...)
(Eu não sei o que fazer agora.)
(Eu tenho a impressão de ter deixado passar a chance da minha vida...)
(Ele iria mesmo me beijar?)
(Ou eu estava apenas imaginando coisas depois do que a Rosa me disse?)
(A seguir cenas do próximo capítulo...)


Em Frente à Escola


(As três pestinhas estão quase berrando na entrada da escola.)
(Eu tentei passar.)


Ambre: O que você está fazendo aqui? Saia da frente, não tem lugar para você, não está vendo?


Você está brincando... Eu quero ir para a minha sala!


Ambre: E nós queremos continuar aqui. E não é uma insignificante como você que vai me fazer sair daqui. Vá embora.


(Próximo)


Li: Você está surda? Vá embora!


Eu não vou sair daqui, vocês não podem impedir todo mundo de entrar mesmo.


Ambre: Até agora só tem você. Uma pena, não?


(Próximo)


Charlotte: Oh, deixa para lá... Não somos nenhuma criança, sempre há um meio de solucionar o problema.


(Ah, finalmente! Eu sempre achei que a Charlotte era a mais sensata das três.)


Charlotte: Se você trouxer um café para cada uma de nós, te deixaremos passar.


Como é que é?


Nem pensar!
Bom... ok.


Charlotte: Que pena...


(Puxa, como vou fazer? Eu não vou conseguir passar a força...)


Em Frente à Escola


(Elas ainda estão na minha frente...)
(Se eu esperar um pouco mais, elas vão acabar indo embora...)


Em Frente à Escola


Ambre: Vá ver se estamos na esquina! Temos coisas mais importantes para fazer.


(Terminar a conversa.)


Em Frente à Escola


(Não tem mais ninguém.)
(Eu fiz bem em não ceder...)
(Mas da próxima vez, eu bem que gostaria de não ter que esperar a boa vontade dessas moçoilas de me deixar passar...)
(Eu tenho que ser mais corajosa.)
(Eu entrei na sala... Finalmente!) 
(Ainda tenho um pouco de tempo. Eu vou tentar encontrar a Rosa e contar-lhe o final triste do meu "encontro", antes de ir para a aula.)


Grêmio


(O Nathaniel e o Armin estão conversando.)
(Eu nem ouso falar com o Nath...)
(Quando eu me lembro do modo como meu pai falou com ele, tenho medo que ele pense que nós somos uma família de loucos...)
(Ele não podia imaginar que eu tinha saído sem autorização.)
(Ai, ele me viu...)
(Eu não vou ignorá-los...)


Olá.


Armin: Ei!


(Próximo)


Nathaniel: Olá.


(Ele parece constrangido...)


Armin: Eu estava entregando o livro para o Nath. Eu gostei. Eu não consegui adivinhar quem era o culpado, foi isso que mais me empolgou. O suspense durou até o último capítulo! 


Que ótimo! Você deve estar todo orgulhoso, hein Nath?
Agora o Armin que deve te apresentar um novo passatempo.
Você formam uma dupla boa, gostei de ver.


Armin: Nós já jogamos LoL uma vez. Não vou também abusar.


(Próximo)


Nathaniel: Não, a Docete tem razão. Eu não me incomodo, muito pelo contrário. Eu gosto de descobrir coisas novas.


(Próximo)


Armin: Então você tem que assistir Tron.


(Próximo)


Nathaniel: Tron?


(Próximo)


Armin: O dos 80 anos, hein? Nada de remake.


(Próximo)


Nathaniel: Entendi.


(Próximo)


Armin: Você está certa de encorajá-lo, Docete. Eu me sentirei menos sozinho com as minhas referências culturais.


Para mim era evidente, ahah.


(O Nathaniel não tira os olhos de mim... Não consigo descobrir se ele está zangado ou não.)


Hum, é... Vocês viram a Rosa por acaso? Eu estou procurando por ela...


(Eles fizeram um não com a cabeça.)


Bom, que pena... Até mais tarde.


1° Andar


Alexy: Oi!


Olá, Alexy. 


(Parece que há anos que não nos encontramos...)
(Eu passei por várias emoções diferentes nos últimos dias e em nenhum momento eu contei para ele.)
(E eu sinto falta.)


Você passou um bom final de semana?


Alexy: Sim, tudo bem. Nada de especial.


(Próximo)


Alexy: Sabe, eu estava pensando se poderíamos fazer algo após aula ou durante o final de semana... Não fizemos nada desde o piquenique.


Seria bem legal... Mas não vai dar para mim...


Alexy: Mas o que você tem? Parece que está me evitando!


Não é por minha culpa! Meus pais me puniram... Eu não posso sair durante um mês.


Alexy: Você? Punida? O que você fez como besteira?


Eu saí, mas eles tinha proibido...
Eu fiz algo que eles não deveriam saber, mas acabaram sabendo...


Alexy: Você quase conseguiu me fazer acreditar no seu lado rebelde...


Não ria de mim... O que posso te garantir é que passei um mal momento.


Alexy: Bom, já que não podemos sair, talvez poderíamos nos sentar lado a lado na aula, o que você acha?


Boa ideia!


(Bom, eu não encontrei a Rosa.)
(Onde será que ela está...?)


Sala de Aula B


(Eu entrei na sala juntamente com o Alexy.)
(Mas finalmente não consegui encontrar a Rosa.)
(Eu espero que ela não esteja doente...)


*Atenção, por favor. Todos os alunos devem se dirigir ao ginásio, no final da tarde para conhecer os detalhes do próximo evento da escola. Obrigada a todos!*


(Finalmente iremos saber o que a escola está tramando.)
(Eu não entendo por que a Peggy ainda não publicou um artigo sobre o assunto.)
(Eu deveria pedir mais detalhes...)


Sala de Ciências


(A professora Delanay está lendo.)


Professora Delanay: Está precisando de alguma coisa, senhorita?


É, não, eu estou de passagem...


Professora Delanay: E o que está esperando então?


(Acho que é melhor eu ir para outro lugar.)


Grêmio


Melody: Você viu a Priya? Eu tenho alguma perguntas para lhe fazer sobre a ficha de inscrição.


Desculpe, eu não sei onde ela está.


Melody: Eu tenho que encontrá-la antes da reunião no ginásio...


(Terminar a conversa)


Corredor 2


Ambre: Você deveria parar de me seguir.


(Próximo)


Priya: Eu não estou te seguindo, é você que sempre da um jeito de aparecer no mesmo lugar onde estou. Parece que gosta da minha presença...


(Próximo)


Ambre: Vá sonhando, sua...


(Bom, nem vou ficar por aqui, não estou interessada em sofrer danos colaterais.)


Pátio


(A Violette nunca muda... Sempre desenhando.)


Você está desenhando o quê?


Violette: É um retrato do meu pai... Você quer ver?


Claro!
Eu estou ocupada agora, sinto muito.


Violette: Você não vai dar risada... Vai?


Rir de você? Eu nunca... Uau! Magnífico!


Violette: Você está dizendo isso só porque somos amigas, não é mesmo?


Claro que não, estou falando de verdade, os detalhes são.... incríveis.


Violette: Muito obrigada, seu elogio me faz bem.


Você merece tanto!


Biblioteca


(Bom... Desisto de procurar a Peggy...)
(Eu me sentei e comecei a olhar minha agenda, sem prestar muita atenção.)
(Daqui a pouco começa a reunião no ginásio.)
(Talvez eu deva dar uma olhada na estante de livros...)
(Tem alguns clássicos que eu nunca li e gostaria de pegar emprestado na biblioteca.)


Oh... Nath.


Nathaniel: Docete... O que está fazendo aqui?


Estou procurando alguns clássicos de leitura fantástica...


Nathaniel: Não é uma leitura obrigatória no programa... A não ser que eu não tenha lido direito...



Não, não... É só por curiosidade mesmo.


Nathaniel: Eu nunca vou conseguir te entender.


(Próximo)


Nathaniel: Eu posso te ajudar a encontrar o que procura. Você está pensando em um livro em especial?


O médico e o monstro.
Estava pensando em ler Drácula.
O Retrato de Dorian Gray..


Nathaniel: Uma boa escolha! Como o tema vampiro voltou a ficar na moda, é sempre bom ler os clássicos.


É o que eu acho também.


(Eu olhei para ele pensativa.)
(O lado intelectual dele me atrai tanto. Eu sempre tenho a impressão de melhorar culturalmente quando estou com ele.)



Nathaniel... V-Você... Você aceitaria conversar sobre o que se passou no sábado à noite?


Nathaniel: Hum... Confesso não ter entendido a reação do seu pai. Ele falou como se eu estivesse te sequestrando.


Meu pai tinha me proibido de sair, eles não imaginavam me encontrar com você. Eles achavam que eu já tinha saído demais nos últimos dias.


Nathaniel: Mas... Por que você não cancelou? Poderíamos ter marcado para uma outra vez. 


Porque eu queria tanto...


Nathaniel: ?


(Fala! Fala!)


Nathaniel: Eu...


(Próximo)


Melody:  Nathaniel?


(Eu vou acabar trancando essa garota no grêmio!)
(Já faz algum tempo que ela não para de não interromper, só que agora não é realmente o melhor momento.)
(Principalmente com tudo o que acabei de falar...)


Nathaniel: Eu estou ocupado, Melody.


(Próximo)


Melody: Mas eu só vim te procurar para a reunião...


(Próximo)


Nathaniel: Eu vou daqui a cinco minutos, está bem?


(Eu acho que nunca vi o Nathaniel respondê-la tão friamente.)
(E ela parece ter percebido também.)
(Ela foi embora na mesma hora e nós ouvimos a porta da biblioteca bater forte.)


Nathaniel: Qual... Qual livro você queria mesmo? Ah, sim...


(Ele começou a olhar as estantes com um ar ausente.)
(É tudo? É assim que ele reage depois de tudo o que eu falei para ele?)


Nath... Você deveria ter ido com ela, eu posso achar o livro sozinha.


Nathaniel: Você não entende nada mesmo?


Entender o quê?


(Ele colocou um livro na minha mão e se aproximou até que nossos rostos ficassem bem próximos)
(Eu estava encostada na estante, com o coração perto de explodir.)


Nathaniel: Eu não queria estar em nenhum outro lugar, apenas aqui... ao seu lado.


(Eu fechei os olhos enquanto ele colava seus lábios sobre os meus.)






(Eu me deixei levar por ele, presa em seus braços.)
(Eu senti minhas bochechas pegando fogo.)
(Eu não consigo acreditar que esteja realmente acontecendo...)


Então pessoal, estou escrevendo uma fanfic no Social Spirit, o nome é Game Over! espero que acompanhem, beijos para todos <3

Ps: Se quiserem me add no amor doce é só enviar o covite para: EmilyCrisly.