quinta-feira, 21 de julho de 2016

Amor Doce: Episódio 25

Desculpem a demora, mas aqui está o ep!
Beijo para as Docetes Castiela54670  e Liissanndraa <3

Reações Químicas

(Vários dias se passaram após o anúncio da diretora sobre a chegada da nova professora de ciências.)
(E hoje chegou o grande dia, vamos ter nossa primeira aula com ela. O que será que vai acontecer?... Confesso estar ansiosa.)
(Eu preciso ir para a sala de ciências...)


Escadaria


Rosa? Você não vai para a aula?


Rosalya: Eu imagino não ter muita escolha... Bem, eu não gosto muito de ciências.


Oh, vamos, não faça esta cara! Talvez a professora seja simpática.


Rosalya: Não tenho certeza de que isso seja suficiente para que eu mude de ideia sobre o assunto.


É possível! Venha, vai ser uma bobagem se atrasar logo na primeira aula dela.


Sala de Ciências


(Eu entrei na sala juntamente com a Rosa.)
(Ela insistiu para ficar no fundo da sala e eu me sentei perto dela.)
(Todos os alunos chegaram.)
(A diretora entrou na companhia de uma mulher que eu nunca havia visto.)


Diretora: Olá, todo mundo! Gostaria de apresentar para vocês a nossa nova professora: Senhora Delanay.


(Próximo)


Prof. Delanay: Prazer em conhecê-los. Ouvi falar muito desta turma.


(Próximo)


Rosalya: *murmura* Você acha que foi um elogio? 


Não sei ao certo...


Diretora: A professora Delanay tem uma excelente reputação. Não há dúvidas de que ela seja capaz de transmitir seus conhecimentos.


(Próximo)


Prof. Delanay: Evidentemente, eu estou aqui para isto.


(Uau, nada a ver com o professor Faraize... Ela parece muito mais segura.)


Diretora: Eu vou deixá-los agora. Um bom dia para todos!


(Assim que a diretora fechou a porta, a sala ficou completamente em silêncio...)
(Eu acho que esta professora tem uma autoridade natural que impede os alunos de ficarem agitados.)
(Até a Ambre e as amigas estão completamente em silêncio.)


Prof. Delanay: Bom. Hoje, excepcionalmente, vocês poderão continuar nos mesmos lugares que escolheram para esta primeira aula. Mas saibam que um trabalho em equipe é primordial para as experiências científicas. É por isto que, na próxima aula, vocês ficaram divididos em duplas complementares.


(Duplas?...)


Prof. Delanay: Mas que caras assustadas são essas? Algum problema?


(Demorou alguns segundo até alguém decidisse responder algo...)


Armin: O que são duplas complementares?


(A professora Delanay arqueou a sobrancelha, visivelmente surpresa.)


Prof. Delanay: Você faltou as aulas de português, jovem?


(Próximo)
(O Armin estava com a boca aberta. Eu acho que ele não imaginava uma resposta tão mordaz.)


Nathaniel: Não é o significado da palavra que nos causa problema, professora. Poderia simplesmente nos explicar o que significa esta... complementariedade?


(Próximo)


Prof. Delanay: É bem simples. Vocês irão passar por um teste hoje mesmo.


(Próximo)


Ambre: *murmura* Ela está de brincadeira, espero...


(Próximo)


Prof. Delanay: SILÊNCIO!


(A Ambre e suas amiguinhas se calaram imediatamente. Parecia que elas tinham encolhido nas cadeiras.)


Prof. Delanay: Será um teste de competência científica e personalidade. Eu ficarei sabendo do nível de vocês no assunto, além de conhecer melhor cada um. Com estas informações em mãos , poderei encontrar o binômio mais adequado para ajudá-los a progredir. Fui clara?


(Que método mais bizarro... Todos parecem um pouco atônitos.)
(A Charlotte levantou a mão.)


Prof. Delanay: Sim, senhorita?


(Próximo)


Charlotte: Isso quer dizer que podemos ficar ao lado de qualquer um?


(Próximo)


Prof. Delanay: Com qualquer um não. Com a pessoa com quem você fará um melhor trabalho.


(Próximo)


Castiel: E não podemos mudar de dupla durante o ano?


(Próximo)


Prof. Delanay: Não vejo motivos, a não ser que o resultado escolar de vocês se deteriorem. Mas quem decidirá isto sou eu.


(Ela não está de brincadeira... Estou começando a não gostar muito da aula de ciências... Para completar, só me falta ficar do lado da Ambre ou da Bia...)


Prof. Delanay: Agora que tudo foi dito, podemos iniciar o teste. Claro que ele não terá nota, mas ajudará a conhecê-los um pouco mais.


(Ela começou a passar entre as cadeiras para distribuir as folhas.)
(A Rosalya me olhou assustada. E eu confesso estar sentindo um frio na barriga... Este teste não me parece nada bom.)


Rosalya: *murmura* Esta história não vai terminar nada bem... E não vou conseguir aguentar uma aula tão estressante com alguém que não suporto ao meu lado o tempo todo.


(Próximo)


Prof. Delanay: Senhoritas.


(Ops, ela está fando conosco...) S-Sim?...


Prof. Delanay: Eu não acho que sentar no fundo da sala seja o melhor lugar para vocês. Aproveitem bem, vocês não poderão se sentar neste mesmo lugar novamente.


(Eu engoli a saliva com dificuldade enquanto ela colocava as últimas cópias na nossa mesa.)


Prof. Delanay: Andem rápido, não é tão complicado assim. Vou logo avisando que nós ainda temos uma aula para fazer.


(Eu abaixei a cabeça para as cópias. Bom, o jeito é começar...)


Teste Ciêntífico


Na tabela periódica dos elementos, o que significa "Ag"?


  • Argônio
  • Prata
  • Seabórgio

Quem inventou o Bico de Bunsen?

  • Peter Desaga
  • Robert Wiiheim Bunsen
  • Michael Faraday

O que é Íon?

  • É uma espécie química monoatômica ou poliatômica eletricamente carregada.
  • É a associação de vários átomos idênticos ou diferentes ligados entre si e formando um conjunto eletricamente neutro.
  • É uma experiência química fracassada.

As Estruturas de Lewis mostram cada átomo e a sua posição na estrutura da...

  • ... regra do octeto
  • ... oxirredução
  • ... molécula

Teste de Personalidade


(O resultado pode variar entre três possívei parceiras de acordo com sua personalidade. Ela podem se a Rosalya, Kim ou Melody.)


Qual dessas qualidades mais define você?

  • O senso de humor
  • A delicadeza
  • Aresponsabilidade

Qual a porcentagem de sua motivação para esta aula?

  • Menos de 50%
  • Mais ou menos 50%
  • Mais de 50%

Qual a sua cor preferida:

  • As cores quentes
  • As cores neutras
  • As cores frias

O que você espera dos seus amigos?

  • Que eles te façam rir
  • Que sejam verdadeiros exemplos a seguir
  • Que te entendam perfeitamente

Prof. Delanay: Tempo esgotado. Podem parar de escrever.


(Próximo)


Prof. Delanay: AGORA MESMO!


(Ela olhou para a Iris com muita raiva.)
(A pobre coitada estava tentando terminar o questionário...)


Prof. Delanay: Não temos o dia todo, os que não terminaram me entreguem memso assim. Passem as folhas aos colegas, até chegarem a mim.


(Sem perder tempo, a professora Delanay começou a aula.)
(Eu tive dificuldades para fazer minhas anotações. Ela passava tantas informações ao mesmo tempo que no final o meu cérebro deu um nó. E acho que não fui a única...)


1º Andar


Rosalya: Este teste não tem nada a ver! Não tem lógica nenhuma!


Eu também acho. Eu não entendi nada...
Deve ter uma lógica, só não sei qual...
Tem lógica sim!


Rosalya: E como não tem uma nota final, eu não sei qual é o interesse disso.


(Terminara a conversa)


Corredor 2


Castiel: Nunca ouvi falar em algo assim! Fala sério, não estamos mais no primário!


Você está falando sobre a última aula?


Castiel: Sim. Esta professora é tão antiquada... Não vai demorar para querer nos colocar em dupla numa fila para entrarmos de mãos dadas na sala de aula.


Ela te dá medo, não?...
Ahah, seria engraçado! (diminui se loveô for baixo) 
Já imagino você segurando a mão do Nathaniel... (aumenta se o loveô for baixo)


Castiel: Confesse que você está querendo um pretexto para segurar a minha mão.


N-Nada a ver!


Pátio


(Todo mundo está falando sobre a aula de ciências... A aula não deixou ninguém indiferente.)


Kim: Foi tenso...


(Próximo)


Alexy: "Tenso"? Estranho, você quer dizer. Não existe teste mais bizarro.


(Próximo)


Violette: Eu não consigo pensar em nenhuma qualidade que me defina... Não colequei nada.


(Próximo)


Iris: E você, Docete? Qual é a sua opinião?


A única coisa que eu sei é que eu não vejo a hora de começar as experiências. Vai ser divertido. (Aumenta loveô com a Iris)
Eu não gostei das questões pessoais.
Eu fiquei surpresa com a atitude da professora, ela devia ser mais tranquila. (Aumenta loveô com a Kim)
Eu só espero ficar com alguém que eu aprecio. (Aumenta loveô com o Alexy)


Alexy: Como eu, por exemplo?



Ahah, sim, por que não?


Alexy: Iriamos nos divertir!


(Próximo)


Alexy: ... Se bem que, com essa professora, nada parece fácil.


De qualquer maneira, eu acho que vai ser difícil chegar ao nível perdido, pois ela parece bem exigente.


Kim: Com um pouco de sorte, ela vai ser mais legal depois. Quando ela conhecer melhor a escola, quero dizer.


Hum... Vamos ver.


Ginásio



Nathaniel: Eu confesso não estar muito convencido com os métodos da professora Delanay...


Você está assim pois teme ficar ao lado de alguém que não gosta?
Você acha que ela é uma professora ruim?
Ela me dá medo...



Nathaniel: Ahah, não faça essa cara, é verdade que ela nos impressiona, mas ela parece ser correta. Veremos.


(Terminar a conversa)


Clube de Jardinagem


Ah, olá Lysandre. O que você acha da nova professora?



Lysandre: Hum... Um pouco rude...


E o teste?! Você conseguiu?
E como!


Lysandre: Não é que eu seja contra a autoridade, mas eu confesso achá-la no limite da agressividade.


Eu confesso já estar detestando essa professora.
E o que eu acho agressivo é o sistema de duplas... Imagine se eu ficar ao lado da Ambre!
O pior para mim foi não ter entendido nada da aula...



Lysandre: Vai ser realmente complicado. Mas fique tranquila, não há muitas chances disso acontecer.

(Terminar a conversa.)


Pátio


Kentin: Eu não gosto muito desta nova professora...


Como a maioria, se não estou enganada.



Kentin: E eu nunca imaginei que teríamos que fazer um teste daqueles.


Você respondeu o que na primeira pergunta?
O que você respondeu para a pergunta sobre qual a qualidade que te define melhor?


Kentin: A sutileza...


(Sorrir.)
(Franzir o senho.)
(Cair na gargalhada.)



Kentin: O que houve? O que foi?


Não foi nada, apenas que... Eu não acho que esta seja sua principal qualidade.


Kentin: Você quer dizer que eu tenho outras?


É, bom, eu, eu... s-sim.


Kentin: ...


(Próximo)


Kentin: Gentileza sua.


(Terminar a conversa)


Sala de Aula A



Armin: *resmunga*


O que foi? Está com raiva?
O que foi? Você foi mal no teste?
O que foi? Está preocupado com a sua dupla?



Armin: Digamos que sim. A nova professora me faz passar por um idiota na frente de todos da classe...


Pois eu acho que foi ela quem passou por uma bruxa. Ela foi injusta e o comentário sobre as aulas de português foi bem maldoso.


Armin: Você é gentil.


(Terminar a conversa)


Sala de Aula B


Ambre: Desta vez estamos no fundo do poço.


(Próximo)


Li: Nunca vi igual, que professora má... Além disso, ela fala rápido demais.


(Próximo)


Charlotte: E aquela ideia que ela teve para a classe?... Eu espero que não funcione.



(O melhor é eu sair de fininho.)


1º Andar


Violette: Eu vi a Peggy indo em direção ao porão.


(Próximo)


Violette: ...


(Próximo)


Violette: ... Eu acho que ela está bem triste.


(Terminar a conversa.)


Porão


(Mas o que a Peggy está fazendo aqui?...)


Tudo bem?


Peggy: Hein? Oh, é... sim... Eu estava pensando.


No seu próximo artigo?


Peggy: Não...


Ah, não me diga que você não tem nenhuma informação bombástica para nos falar...


Peggy: Tenho várias... Não é este o problema...


Então qual é?
Se você precisar de alguém para conversar, saiba que estou aqui.
Ei, todos temos problemas e não é por isso que vamos para o porão, deprimidos.


Peggy: V-Você acha que não te vi dando risada quando a diretora me puniu? Você está falando da boca para fora, eu sei...


Não se esqueça que você me perseguiu muito! Confesso que quando eu vi a diretora te pegando no flagra, achei que estava recebendo o que merecia. Só que agora você não parece nada bem e não gosto de te ver assim.


Peggy: Bem, digamos que estou acumulando várias coisas...


Como assim?


Peggy: Eu meti o bedelho na história do Nathaniel com a família. Eu fiquei no seu pé para descobrir o que estava acontecendo. Além disso, os rumores que espalhei quando a Debrah voltou... Tudo isso é muita coisa junta...


(Próximo)


Peggy: É simples, estou com a impressão de não estar fazendo o meu trabalho corretamente.


Você errou, mas isso acontece com todo mundo. Recomponha-se e prove que pode mudar a situação.


Peggy: Eu preciso pensar bem nisso tudo.


Ok. Mas não fique pensando por muito tempo, só depende de você um bom recomeço.


Escadaria


(O dia chegou ao fim...)


Melody: Docete!!!


(Próximo)
(A melody parece estar com falta de ar... Ou ela estava correndo)


Melody: Nossa... *ofegante*... Que dificuldade para te alcançar! Você anda pela escola toda.


Ah, é... desculpe. Algum problema?


Melody: Professora Delanay me pediu para passar uma mensagem... Ela esqueceu de nos avisar algo...


Avisar o quê?


Melody: Oh, não foi nada, não se preocupe. Ela disse que nós estamos precisando de um traje específico para a próxima aula. Um blusão branco, óculos de proteção... este tipo de coisa. Tome, aqui está a mensagem escrita para os pais, com o preço do traje e todos os detalhes. Podemos comprar aqui, na escola, a partir de amanhã.


Oh, ok. (Vamos ficar bonitos com nossos trajes de cientista!)


Melody: Não esqueça, viu? Eu não acho que a professora Delanay vai te deixar entrar na sala sem a roupa. Ela estava bem séria quando falou isso.


Ela parece ser bem séria em qualquer ocasião, se quer saber a minha opinião.
Não se preocupe, eu não vou me esquecer. Obrigada pelo aviso!


Melody: Eu preciso ir, tenho que avisar os outros alunos...


(Próximo)


Melody: Mas está impossível encontrar o Lysandre e o Castiel...


Eu encontrei com eles há pouco, mas eles não devem ter mudado de lugar.


Melody: Eu vou ter que dar uma volta na escola... Tchau, Docete.


Boa sorte!


(Chegou a hora de sair da escola.)
(Eu vou para acasa agora.)


Meu Quarto


(Nenhum dever de casa hoje... Eu vou poder descansar.)


Lucia: Ah, Docete, eu vou precisar de sua ajuda para o jantar. O seu pai vai sair tarde do trabalho e com certeza ficará contente em encontrar o jantar pronto.


(Opa... Eu e minha mãe na cozinha, não vai dar certo... Não é por acaso que o meu pai faz a comida normalmente.)


É... O-Ok. O que você pretende fazer?


Lucia: Cozido! Vai ficar delicioso!


Hum... (Claro que é SEMPRE MELHOR fazer o mais complicado, não?)
(Eu estou com a impressão de ter passado todo meu tempo livre cozinhando... Ou melhor, tentando cozinhar.)


Lucia: Oh, querida, me passa a faca, por favor.


Tome, aqui está. Cuidado, eu quase me cortei com ela...


(A preparação do jantar foi exatamente como eu tinha previsto... Uma verdadeira catástrofe...)


Lucia: Mas... Você esqueceu de mexer a panela!


Eu pensei que você iria fazer isso!


(No final, a carne estava cozida demais e o molho tinha uma cor estranha. Não chegou a ser um jantar apetitoso, mas acabamos dando muitas risadas, quer dizer, principalmente o meu pai...)
(Quando eu voltei na escola no dia seguinte, tive a impressão desagradável de ter esquecido algo...)


Melody: Eu sou realmente distraída...


Hum?


Melody: Eu quase ia me esquecendo de trazer o dinheiro... E olha que ontem eu passei uma hora avisando todo mundo.


Oh, não, o dinheiro!


Melody: Você esqueceu? Mas eu te avisei ontem...


Eu tenho uma memória de peixe mesmo... (O papel continuou dobrado na minha mochila ontem. Nem eu li, nem os meus pais. Essa história de fazer cozido me perturbou completamente.)
(Eu preciso desse traje hoje de qualquer maneira, a próxima aula de ciências é amanhã de manhã... Só me resta pagar com o dinheiro da minha mesada.)


Melody: Está tudo bem?


Sim, sim... Eu vou dar um jeito.


Melody: Ok. Eu preciso ir, nos vemos mais tarde, Docete.


(Próximo)
(Puxa, eu devia ter perguntado onde podemos encontrar os trajes...)


Ginásio


Olá, rapazes! Vocês, por acaso, sabem onde posso encontrar os trajes para as aulas de ciências?


Lysandre: Não faço a mínima ideia.


(Próximo)


Castiel: Você pode perguntar para a nossa adorável professora... Com certeza ela vai te responder com a sua gentileza legendária.


Ok, mas você vem comigo, Castiel. (Diminue com o Lysandre se tiver loveô alto com os dois.)
Ok, mas o Lysandre vem comigo. (Aumenta com o Lysandre se tiver loveô alto com os dois.)
É... Eu prefiro nem tentar.



Castiel: O que as pessoas não inventam como pretexto para ficar junto de alguém...


(Próximo)


Lysandre: Eu vou...


(O Lysandre não parece contente...) Bom... Deixa para lá, eu vou me virar.


Vestiário



(O Armin está completamente concentrado no seu jogo de novo...)


Eu imagino que você não sabe onde estão os blusões da sala de ciências?...
Você sabe fazer outra coisa além de jogar?
(Não perguntar nada) (Aumenta se o lovêo for alto.)



Armin: Hum? Que blusões?


Os dos trajes regulamentares pedidos pela professora Delanay.


Armin: Eu não ouvi falar sobre isso não...


Talvez a Melody não pôde te dizer...


Armin: Pelo jeito, não. De qualquer maneira, isso vai ter que esprerar, eu tenho que terminar a minha partida.



(Terminar a conversa.)



Clube de Jardinagem


Alexy: Eu aposto que você vai ficar com a Ambre.


(Próximo)


Kentin: Ambre?! É uma piada?


(Próximo)


Alexy: Nada disso. Vocês são bem diferentes, mas todo mundo sabe que os opostos se atraem...


(Próximo)


Kentin: Nós já falamos sobre isso! Eu a beijei, mas foi por vingança.


(Próximo)


Alexy: Eu não conheço ninguém que é capaz de beijar alguém sem estar apaixonado.


(Próximo)
(O Kentin está prestes a explodir, o melhor é eu falar alguma coisa.)


É... Alguém por acaso viu blusões brancos por aqui?


Alexy: Hein? Não...


(Próximo)



Kentin: É normal, o Alexy está muito ocupado imaginando coisas horríveis, não tem empo para perceber o que acontece ao redor...


Não é o tipo dele... (Aumenta com o Alexy.)
E eu posso saber que coisas horríveis são essas?
Eu não ligo para as suas histórias. Tudo o que eu quero é encontrar os blusões para a aula de ciências, (Diminue com o Alexy.)



Kentin: Ele acha que eu e a Ambre somos complementares...


Ahh, eca!


Kentin: Eu não saberia dizer algo melhor.


(Terminar a conversa)


Sala de Aula A



Bia: Eu sou super forte em ciências.


Nada convencida, hein?
É? Eu sou campeã em ostentação.



Bia: Nem um pouco. Pelo menos eu posso, ao contrário de algumas... Hihi!



(Ela está me insultando?!...)


Corredor 2


Olá, Nathaniel! Talvez você possa me ajudar...


Nathaniel: O que foi?


Você sabe onde podemos encontrar os trajes para a aula de ciências?


Nathaniel: Ninguém me falou... Eu também não peguei a minha. Mas a Melody deve saber.



Eu estava justamente com ela agora há pouco, mas esqueci de perguntar... Eu vou procurá-la novamente.


E como vai a Branca?
Você tem alguma preferência para formar dupla?
(Não falar mais nada)



Nathaniel: Bom. Ela já está completamente à vontade e eu acho que ela me reconhece agora.


Ela não faz muita bagunça?


Nathaniel: Alguns arranhões aqui e ali, fora isso ela é super calma.


Igual ao dono!


Nathaniel: Ahah, pode ser!



(Terminar a conversa.)



Sala de Aula B


Kim: As pessoas estão começando a ficar preocupadas com a Peggy.


Verdade, ela está diferente...



Kim: Pois é, mas eu não vou me meter. Se ela não quer mais bisbilhotar, é problema dela.


Além disso nada como deixá-la de molho um pouco, pensando no que fez.
Espero que ela melhore, é triste ver alguém assim...


Kim: Ah ah, você sempre se preocupa com os outros, que gracinha.


(Terminar a conversa.)


Corredor 2


Ah, Melody!


Melody: Você estava me procurando?


Sim... Eu esqueci de te perguntar onde podemos encontrar os trajes para a aula de ciências.


Melody: O professor Boris é o responsável, porém ele não chegou ainda. Eu acho que iremos encontrá-lo no ginásio na hora certa.


Ah, está bem... (Ou seja, a uma hora estou preocupada sem necessidade...)


Sala de Ciências


O que está acontecendo aqui?


Iris: A Peggy não vai mais fazer o jornal da escola...


(Próximo)


Alexy: Você não pode abandonar assim, Peggy... Você adora fazer isso.


(Próximo)


Iris: Talvez você possa continuar escrevendo artigos, mas tendo cuidado para não machucar ninguém...


(Próximo)


Peggy: É impossível não machucar ninguém, se quer saber. A verdade sempre dói, não importa o que fazemos.


(Próximo)


Rosalya: Tudo pode ser dito, mas precisamos saber como.


(Próximo)


Armin: De qualquer maneira, todo mundo está contando com você, o jornal deve sair amanhã.


(Próximo)


Peggy: Eu não tenho cabeça para ficar pensando nisso agora, vou logo avisando!


(Próximo)


Armin: Confesse que você não conseguiu encontrar nenhuma notícia suficientemente interessante.


(Próximo)


Peggy: Pois fique sabendo que encontrei sim!


E o que é?


Peggy: Eu não vou dizer.


(Próximo)


Peggy: Docete, já que você é tão curiosa, por que não escreve um artigo?


Eu? Mas, eu...


Peggy: Você tem uma equipe de repórteres motivados na sua frente, acho que é o suficiente.


(Eu olhei para a Rosa, o Alexy, o Armin e a Iris, perplexa.)


Armin: Ei, até que é uma boa ideia! Eu te proponho um acordo, Peggy. Se conseguirmos escrever uma artigo para amanhã, você irá voltar a comandar o jornal.


(Próximo)


Rosalya: Ei, espera um momento! Eu nunca escrevi um artigo na minha vida!


(Próximo)


Iris: Eu também não... Vai ser difícil...


(Próximo)


Alexy: Além disso, com o tempo que nos resta...


(Próximo)


Armin: Não se preocupem... Só precisamos pegar boas informações.


E criar um artigo! Armin, eu não acho que seja uma boa ideia...


Peggy: Se vocês cinco conseguirem escrever um artigo digno, antes de amanhã à tarde, eu prometo voltar a escrever o jornal.


É...


Peggy: Eu desejo boa sorte para vocês.


(Ela foi embora com a cara de quem estava achando graça de tudo isso.)


Alexy: Você está contente, Armin? O que vamos fazer agora?


(Próximo)


Armin: Nada de pânico, vamos nos organizar.


Vai ser difícil encontrar algo interessante para contar em tão pouco tempo...


Rosalya: Eu não concordo. Sempre acontece algo interessante na escola.


(Próximo)


Alexy: Verdade! Temos apensa que procurar no lugar certo...


(Próximo)


Armin: Vamos nos dividir em dois grupos: um para espionar os professores e um para espionar os alunos.


(Próximo)


Iris: E-Eu não me sinto à vontade com isso... Não é o meu tipo ficar espionando as pessoas...


Sim, é muito delicado... Pode dar errado.


Armin: Ah, não! Você não, Docete! A Peggy lançou o desafiou para você. Você não pode nos deixar na mão...


(Ele está defendendo a Peggy com um sorriso irônico nos lábios. Ele parece animado para começar logo.)


Rosalya: Verdade que sem a Docete, não tem mais apostas.


(Próximo)


Armin: Vai, diga que sim, vai ser divertido...


Ok... Mas, prefiro espionar os alunos.
Ok... Mas, prefiro espionar os professores.


Armin: Ahah, normal, é mais divertido! Eu vou com você.


(Próximo)


Rosalya: Vai ser mais arriscado. Eu prefiro procurar o lado dos alunos.


(Próximo)


Alexy: Eu vou com o Armin e a Docete. Eles correm o risco de fazer besteira se eu não ficar de olho neles.


(Próximo)


Armin: Como assim, besteira?


(Próximo)


Alexy: Vocês iam ser descobertos em 2 segundos.


(Próximo)


Armin: Você só está procurando um pretexto para ficar conosco.


(Próximo)


Iris: B-Bom... E-Então eu vou com a Rosalya.


(Próximo)


Rosalya: Claro, não se preocupe com isso, Iris. Vai ser bem mais discreto com apensa nós duas.


(Decidimos que nos encontraríamos no pátio quando a nossa "busca por informações" estivesse terminada. A Iris e a Rosalya começaram a procurar.)


Alexy: Então, como vocês pensam em fazer?


(Próximo)


Armin: Bom, não tem complicação, basta seguirmos a diretora ou um dos professores.


Temos que pegá-los numa conversa. Enquanto eles estiverem sozinhos, não iremos descobrir nada.


Alexy: Vamos ter que nos esconder na sala dos professores? Vamos ser pegos, exatamente como aconteceu com a Peggy! Ainda mais nós três juntos...


Seria uma grande besteira... O melhor é dar uma volta na escola e ver se ouvimos alguma coisa interessante.


Armin: Eu te sigo.


(Próximo)


Alexy: Vamos!


(Terminar a conversa.)


Sala de Aula B


(O Lysandre está ocupado escrevendo no seu bloco de notas.)


Alexy: *murmura* Não vamos perder tempo, vamos nos concentrar nos professores.


Sim, eu acho que é melhor... (De qualquer maneira, não me vejo espiando o Lysandre...)


Corredor Principal


(A nova professora passou na frente da gente sem nos olhar.)


Armin: Eiu, olhem! É a professora Bolonay!


(Próximo)


Alexy: Como?


De-la-nay, Armin. Você não consegue decorar nome nenhum, hein?...


Armin: Ah, mas não é minha culpa se aqui todo mundo tem nome estranho.Enfim, eu acho que deveriamos seguir a professora Desmaray para tentar saber algo mais sobre ela!


(Próximo)


Alexy: Você faz de propósito ou o quê?


(Próximo)


Armin: ...


O-Ok... Hum, bom, vamos segui-la então. Mas sejamos discretos. Vamos ficar em maus lençóis se ela nos pegar no flagra.


(Nós decidimos seguir a professora Delanay, fazendo o possível para não sermos vistos.)
(De repente, ela deu uma parada. Depois ela fez um movimento como se fosse se virar na nossa direção...)


(Eu fiquei paralisada.)
(Eu decidi agir)


(Eu peguei o Armin e o Alexy pela manga e os empurrei para a frente do armário, que, por sorte estava bem próximo.)


Eu não já disse para vocês que eu tenho este livro? Olhem aqui no meu armário se não acreditam! (Eu abri o meu armário para tentar deixar a cena mais verdadeira.)


Professora Delanay: O que vocês três estão fazendo?


(Próximo)


Aexy: É... Nós estávamos...


Nós viemos pegar algumas coisas nos nossos armários, professora.


Professora Delanay: É inacreditável o número de alunos que ficam passeando pelos corredores aqui nesta escola. Estou vendo que a ordem e a disciplina não são as prioridades deste estabelecimento. Eu vou ter que conversar com a diretora sobre isso...


(Próximo)


Armin: Eu concordo perfeitamente.


*murmura* Armin, silêncio! Não precisa falar mais nada...


Professora Delanay: Por acaso você está rindo de mim rapaz?


(Próximo)


Armin: Ah, é, não, não, nada disso.


(Próximo)


Professora Delanay: Então vão logo procurar algo útil para fazer, senão eu não hesitarei a achar algo para vocês.


(Ela foi embora com um ar arrogante.)


Alexy: Bom... Acho que o melhor é não insistir muito com ela... Não vamos nos meter em encrenca por causa de um artigo no jornal da escola.


(Próximo)


Armin: O que foi? Isso faz parte dos riscos, não? Eu ainda estou com muita vontade de aborrecê-la...


Armin...


Armin: Docete?...


(Próximo)


Alexy: Bom, vamos continuar andando, vamos ver o que pose acontecer com quem podemos encontrar.


(Terminar a conversa)


Vestiário


Ambre: Eu juro, um olhar daqueles, impossível fingir. Ele está percebendo que somos feito um para o outro.


(Próximo)


Li: Ora, o que ele está esperando para te dizer? Não podemos dizer que ele seja um cara tímido.


(Próximo)


Ambre: Ele deve estar esperando o momento certo.


(Próximo)


Armin: *murmura* Vamos embora, não iremos encontrar nenhum professor aqui.


E-Espera, eu queria saber de que ela estava fal...


Ambre: Ei! O que vocês estão fazendo aqui? Estão me espionando ou estou vendo coisas?!


(Oh, não acredito, somos os piores espiões do mundo...)


Armin: Ei, calma senhorita, estávamos apensas passando...


(Próximo)


Alexy: Sua vida não é tão interessante assim, para que a gente te espione.


(Próximo)


Ambre: ...


(Terminar a conversa)


Corredor 2


(A diretora está conversando com o professor Faraize...)
(Desta vez, está fora de cogitação sermos pegos no flagra... Eu e os rapazes nos escondemos atrás do muro.)
(A diretora e o professor Faraize não parecem querer sair do lugar, vamos poder escutar toda a conversa.)


Armin: *murmura* Espera, mas... Eles não estão faalndo nada de interessante.


Silêncio...


(Mas o Armin estava certo... Eles passaram quinze minutos falando sobre a manutenção do ginásio. Eu pensei que iriamos acabar dormindo de tédio, quando de repente...)


Diretora:Temos que fazer algo antes do evento...


(Próximo)


Professor Faraize: A senhora deveria falar com o Boris, eu...


(Próximo)


Diretora: Eu estava pensando justamente nisso, mas ele está atrasado!


(Eu olhei para o Armin e o Alexy sem acreditar... "Antes do evento"?)
(Professor Faraize e a diretora foram embora e nós saímos do nosso esconderijo.)


Alexy: Acho que dessa vez conseguimos algo interessante...


Vamos ter que procurar mais informações, porque não temos nada de concreto.


Armin: Com certeza. Vamos ter que investigar mais. Mas o melhor é falarmos primeiro com a Iris e a Rosalya. Vamos elaborar um plano de ataque depois.


(Terminar a conversa.)


Ginásio


(A Iris e a Rosalya já chegaram... Elas parecem um pouco frustradas.)


Armin: O que foi? Que cara de enterro é essa?


(Próximo)


Iris: Não conseguimos achar muita coisa...


(Próximo)


Rosalya: Oh, você está exagerando Iris... Nós chegamos a ver o Castiel limpando o nariz.


Hein??


Alexy: Bom, não chega a ser um artigo interessante, mas podemos colocar numa coluna de humor.


(Próximo)


Rosalya: Eu estava brincando. Para falar a verdade, não conseguimos encontrar nada.


(Próximo)


Alexy: Ah, puxa, estou decepcionado...


(Próximo)


Armin: Não, mas conseguimos encontrar algo!


(Ele contou para as meninas a conversa que a diretora teve com o professor.)


Iris: Ok, agora é saber como vamos fazer para escrever o artigo sobre algo que ignoramos.


(Próximo)


Armin: Procurando na sala dos professores, claro! Eu já ouvi a Peggy falar que ela tinha a cópia das chaves. Só nos resta pedir para ela nos emprestar, ela não vai poder dizer, não.


(Próximo)


Rosalya:Vocês já se deram conta de que vamos ser punidos se alguém nos pegar?


(Próximo)


Armin: Não... É só uma questão de organização.


Vamos ter que dividir as tarefas. Alguém precisa olhar na sala, outro precisa distrair os professores...


Alexy: E talvez alguém para ficar vigiando na frente da sala também. Temos que ter todo o cuidado possível.


(Próximo)


Armin: Está começando a parecer uma ação organizada.


Então, quem faz o quê?


Armin: Eu não me incomodo em dar uma olhada na sala dos professores.


(Próximo)


Rosalya: Eu vou com você.


(Eu não pensei que alguém iria se candidatar para entrar na sala dos professores tão rapidamente, ainda mais depois do que aconteceu com a Peggy... Para mim está perfeito.)
(Eu já fui pega no flagra lá, não quero viver isso novamente.)


Alexy: Você não deveria ir sozinha . É melhor ir com alguém, será duas vezes mais fácil distrair os professores em dupla!


Você tem razão, venha comigo.
Você tem razão, eu vou com a Iris.


Alexy: Ahah, se você preferir.


(A Iris acabou se candidatando para ficar de prontidão na frente da sala.)
(Eu e o Alexy com o objetivo de manter os professores longe.)


1º Andar


(Ah, aqui está o Nathaniel... Mas nenhum professor à vista.)


Nathaniel: Olá. O que estão fazendo?


É... N-Nós estávamos... estamos...


Alexy: Estamos fazendo um artigo para o jornal da escola.


Sim, só que... Não devemos falar sobre isso com todo mundo, eu acho...


Nathaniel: Não tem problema, eu não irei falar nada. Mas cuidado para não se meter em problemas... Foi a Peggy quem pediu isso para vocês?


Foi mais um tipo de aposta.


Alexy: Por falar nisso, talvez você possa nos ajudar, Nath... Quem sabe você detenha algumas informações...


(Próximo)


Nathaniel: Informações sobre o quê?


Não temos tempo! O Armin e a Rosa estão nos esperando, temos que ir.
Sabe de algo que vai acontecer na escola?


Nathaniel: Que tipo de evento?


(Próximo)


Alexy: É justamente esse o problema, não sabemos bem qual evento vai acontecer.


(Próximo)


Nathaniel: De qualquer maneira, não estou sabendo nada sobre o assunto.


Que coisa, você não está por dentro de muita coisa na escola no momento.
Não tem problema. Vamos fazer a nossa pesquisa.
É melhor assim. Pelo menos você não estará metido nisso se encontrarmos algo.


Nathaniel: Cuidado para não arranjarem problemas. Com tudo o que está aconteceu com a Peggy, eu não estranharia se a diretora se mostrasse bem severa.


(Terminar a conversa)


Corredor 2


(Professor Faraize, professora Delanay e a diretora estão conversando.)
(Eu olhei para o Alexy e ele parecia bem determinado.)


Alexy: Olá, desculpe incomodá-los...


(Próximo)


Diretora: Não há problema, pode falar.


(Próximo)


Professore Faraize: Algum problema?


(Próximo)


Alexy: Não, na verdade queríamos apenas informá-los sobre uma pesquisa que fazemos, eu e a Docete, com os alunos da escola.


(Próximo)


Diretora: Uma pesquisa? Mas sobre o quê?


(Próximo)


Alexy: Sobre uma eventual excursão escolar. O resultado da pesquisa não seixa dúvidas: os alunos querem ir para o shopping.


(Próximo)


Diretora: Como?


(Próximo)


Professora Delanay: Vocês estão brincando, só pode ser...


(Próximo)


Alexy: Não, não, é super sério!


(Eu nunca devia ter deixado o Alexy falar primeiro... Os professores vão pensar que nós somos uns bobocas.)


O que o Alexy está tentando dizer é... que é uma ideia entre várias outras, ahah. Tem vários lugares onde nós podemos organiz...


Diretora: Escutem, é muito bom que vocês mostrem interesse em trazer mais dinâmica à escola, mas eu não acho que um shopping seja a melhor escolha. Tem que haver um significado cultural para que o projeto possa ser considerado interessante.


(Próximo)


Professor Faraize: Se bem que há lojas antigas, cheias de história, no centro de algumas cidades.


(Próximo)


Alexy: Exatamente!


(Próximo)


Professora Delanay: Eu não acho que seja o aspecto cultural que mais interessa você, jovem...


(O Alexy continuou argumentando, tentado defender o seu sonho de ir ao shopping em grupo...)
(Claro que ele não conseguiu ganhar, mas pelo menos os professores ficaram ocupados com a questão durante uma boa meia hora.)


Alexy: Eles estão exagerando... Como eles são limitados!


Ahah, você começou a acreditar na sua própria mentira. Você acha mesmo que ele iriam dizer sim?


Alexy: Bom, nunca é tarde. a diretora vai pensar sobre o assunto e um dia, que sabe, ela começará a achar que a ideia é boa e que eu estava certo?


Hum... Eu não acredito muito nisso...


Alexy: O importante é que o Armin e a Rosa tiveram tempo suficiente para olhar a sala dos professores.


Eu espero! Temos que encontrá-los para ver se eles conseguiram mesmo.


Alexy: Sim, vamos.


(Terminar a conversa)


Sala de Aula A


(Eles devem estar por perto...)


Rosalya: Ah, aqui estão vocês!


Vocês conseguiram encontrar algo há tempo?


Armin: Bom... Não foi nada fácil. Conseguimos olhar por todo o lugar, mas não encontramos muita coisa interessante.


(Próximo)


Rosalya: A única coisa que encontramos é que as aulas vão ser suspensas durante um dia inteiro, mas os alunos deverão estar presentes. Nós encontramos uma nota da diretora que falava sobre isso.


(Próximo)


Armin: E vimos também que a escola teve despesas extras altas.


(Próximo)


Rosalya: Nós vimos uma folha de contabilidade na mesa. Não entendemos tudo, mas conseguimos perceber que a escola está com dificuldades financeiras, com certeza.


(Próximo)


Armin: Por isso eu acho que a diretora vai nos pedir para trabalhar de graça para a escola.


Você tem certeza? Isso é legal?


Iris: Talvez ela faça um tipo de gincana, com festa...


(Próximo)


Alexy: Ah, sim! Eles nos pediriam para tomar conta das barracas de jogos e doces e as pessoas que não fizessem parte da escola poderiam jogar ou comer algo.


Seria bem legal! Mas não temos certeza se é isso mesmo, fica difícil preparar um artigo com isso...


Armin: Você não confia no nosso senso de dedução?


(Próximo)


Rosalya: De qualquer maneira nós temos que começar a escrever a partir de agora, senão nunca terminaremos o artigo.


(Próximo)


Iris: Podemos ficar aqui mesmo, será mais prático.


(Nós passamos um longo tempo na sala. Cada um contribuiu um pouco com a redação e acabamos nos divertindo bastante.)
(Eu aceitei guardar o artigo e trazê-lo no dia seguinte. Nós não tínhamos terminado completamente, mas estava começando a ficar tarde.)
(A Rosalya precisa encontrar o Leigh e a Iris precisa ir ao clube de música.)
(E eu preciso encontrar o professor Boris e comprar o meu blusão para a aula de ciências antes de ir embora.)
(O melhor é ir ao ginásio. Professor Boris já deve ter chegado há muito tempo.)



Ginásio


Boris: Senhorita Docete! Veio aqui para adquirir o material científico, não é mesmo?


Isto, eu estou aqui para isso mesmo.


Boris: Aqui está!.

(Eu entreguei o dinheiro ao professor Boris e peguei o blusão do meu tamanho.)
(Eu tenho que ir para casa... Mas estou na dúvida se dou uma volta antes ou não. Estou com vontade de espairecer as ideias.)


Lanchonete


(O Kentin está bebendo refrigerante numa lanchonete.)


Kentin: Oi, Docete. Está passeando?



Estou! Fico feliz em ver outra coisa além da escola.


Kentin: Entendo. Venha, sente-se aqui comigo!


(Próximo)


Kentin: Enfim...


(Próximo)


Kentin: ... s-se você preferir.


Sim, com prazer.
Não, sinto muito, eu preciso ir para casa.


Kentin: Legal.


(Próximo)


Kentin: Então, o que tem de novo?


O dia não foi nada fácil! Eu tive que correr por todo o lado para escrever um artigo.
O dia não foi nada fácil! Eu andei para cima e para baixo para encontrar o traje do laboratório.
Foi um dia legal, mas prefiro agora que estou com você...


Kentin: A-Ah, é? E-Eu fico feliz também.,.


(Próximo)
(Nós trocamos um sorriso.)


Kentin: Você quer algo? O que gostaria d beber?


Oh, não se sinta obrigado...


Kentin: Não discuta.


(Finalmente eu aceitei um copo de suco.)
(Nós continuamos falando sobre vários assuntos durante uma boa hora.)


Kentin: Eu preciso ir, tenho que alimentar Cookie.


Está tudo indo bem com ele?


Kentin: Eu não me arrependo mesmo de tê-lo adotado. Um cachorro traz alegria para uma casa. Tudo está muito mais divertido desde que ele chegou.


Deve ser aquela bagunça!
Está tudo em ordem, então...
Eu imagino! Você tem muita sorte....


Kentin: Ahah, nem me fale! Mas não é tão ruim assim. Eu tive que mudar meus hábitos e meu pai até ficou menos rígido graças a ele.


Nunca subestime os pequenos animais em relação aos grandes!


Kentin: Sim, bom, eu tenho que ir. Até amanhã, Docete!


Até amanhã.


Meu Quarto


(Nada melhor do que a casa da gente.)
(Bom, vou procurar meu material para amanhã. para não esquecer nada desta vez.)
(Eu peguei o traje de ciências e o artigo para a Peggy.)
(Talvez o melhor seria falar para os meus pais sobre o preço do traje também...)
(Eu fui ao encontro da minha mãe para saber se ela pode me reembolsar.)
(Ela estava falando ao telefone, provavelmente com a tia Agatha... e ela parecia super irritada.)

Lucia: **Você imagina um negócio desses! Vai causar um prejuíso daqueles no nosso orçamento. A única coisa que eu desejo é que valha a pena.**


(Recentemente meus pais tiveram que concertar o carro e isso não estava previsto...)
(Talvez não seja uma boa hora para falar sobre dinheiro... Eu vou ver mais tarde.)
(No dia seguinte eu acordei angustiada.)
(Eu não sei se é por causa da professora Delanay,  mas estou com receio das aulas práticas de ciências.)


Em Frente à Escola


(Ao chegar na escola eu vi o Lysandre.)


Lysandre!


Lysandre: Olá, Docete.


Você não está muito estressado com as aulas práticas, não?


Lysandre: Você me conhece, não tenho o costume de ficar estressado. 


Ahah, é verdade.


Eu espero ficar ao seu lado, vou ficar mais tranquila.
Eu espero ter um tempo para terminar o artigo da Peggy antes da aula, senão será tarde demais.
Eu espero que não nos coloquem lado a lado... A nossa mesa ficaria parecendo um campo de batalha. 


Lysandre: Oh, verdade? Eu não sei se irei conseguir te reconfortar... Mas ficarei feliz se formarmos uma dupla.


Não é impossível que a professora nos coloque juntos. Eu acho que nós somos complementares.


Lysandre: Se você está falando nas suas habilidades de encontrar o que eu perco, então sim, podemos dizer que somos complementares.


(Próximo)
(Nós acabamos entrando na escola.)
(Eu tenho que encontrar o Alexy, o Armin e as meninas para terminar o artigo.)


Ginásio


Kim:  Estou pronta para sair na mão.


É... Como assim?


Kim: Sobre as aulas desta tarde. Não vou deixar nenhum colega me aborrecer.


Você tem razão, eu também não!
Calma... Você nem sabe quem é!
Se você pensa desta maneira, já é um mal começo.


Kim: Ah, é E o que você vai fazer com esses braços finos?


Ei...


Sala de Aula A


Alexy: Ah, finalmente você chegou!


Eu não sabia onde deveríamos nos encontrar...


Rosalya: Você trouxe o artigo?


Sim, sim.


Armin: Se fizermos agora, terminaremos antes da aula de ciências e assim poderemos entregar para a Peggy tranquilamente.


(Próximo)


Iris: Vamos trabalhar então.


(O artigo não estava pronto de jeito nenhum... Cada um queria dar a sua própria opinião e ninguém estava de acordo com nada.)
(A redação do artigo demorou mais tempo do que o previsto.)
(Nós mal acabamos o artigo e já era hora de ir para a aula.)


Armin: O melhor é irmos logo... Você fica com o artigo, Docete?


Ok, está bem.


Sala de Ciências


(Nós entramos na sala da forma mais calma possível.)
(Eu acho que todo mundo está com receio da professora agora...)


Professora Delanay: Olá para todos. Antes de começar esta segunda aula, eu gostaria que todos colocassem o blusão. E em silêncio! Obrigada.


(Todos os alunos começaram a falar baixinho, vestindo os blusões.)


Professora Delanay: Bom, agora que todos estão prontos, eu vou dar o resultado dos testes.


(Todos prenderam a respiração.)


Professora Delanay: O Nathaniel... com a Li.


(Próximo)
(Eu dei uma olhada para o Nathaniel... Ele não parecia nada feliz.)


Professora Delanay: A Iris... com o Alexy.


(Que sorte... Pelo menos essa dupla vai se divertir.)


Professora Delanay: O Lysandre com... a Bia.


(Nunca imaginei um casal assim... Como será que eles vão agir juntos?)


Professora Delanay: Eu sou obrigada a fazer uma mesa com três. Nesta mesa teremos a Peggy a Charlotte e a Violette.


(Próximo)


Professora Delanay: Temos uma outra dupla formada pelo Kentin... e pelo Castiel.


(Uau...)


(O Kentin não parece muito contente... O Castiel parecia indiferente... Eu acho que a professora deveria refazer o teste... Ela dá resultados estranhos...)


Professora Delanay: A Ambre...


(Por favor, por favor... Comigo não, por favor!)


Professora Delanay: Com o Armin.


(Próximo)
(O Armin abriu a boca como se fosse dar um grito...)
(... Mas o Alexy deu um pisão no pé para que continuasse me silêncio...)
(O Armin e a Ambre... Fala sério, onde vamos parar?)
(Faltam poucos para serem chamados agora.)


Professora Delanay: A Docete com... A Rosalya.


(Não acredito, que maravilha! Eu me preocupei sem necessidade!)
(A Rosa me olhou com um sorriso deste tamanho. Não nos saímos nada mal, se compararmos com algumas dupla.)


Professora Delanay: E a Kim... com a Melody.


(Próximo)


Professora Delanay: Agora vocês podem sentar em duplas.


(Próximo)


Professora Delanay: ...


(Próximo)


Professora Delanay: E ainda em silêncio! Obrigada.


(Próximo)
(Eu me sentei ao lado da Rosa.)


Professora Delanay: Bom. Hoje nós iremos trabalhar com a síntese da aspirina. Eu vou escrever tudo no quadro e depois fazer uma inspeção para ver como vocês estão se saindo.. Eu convido vocês para vir aqui e pegar o material necessário.


(Cada dupla saiu para procurar o frasco, o bico de Bunsen e outras coisas com o nome que não lembro mais...)
(A professora fez um resumo dos objetivos da experiência... Eu tive dificuldades para entender tudo...)


Rosalya: Que complicação esse negócio...


Temos que seguir bem as instruções do quadro se queremos conseguir alguma coisa...


Professora Delanay: Vamos realizar uma síntese orgânica seguindo um protocolo experimental...


(Próximo)


Toc toc!


(A professora Delanay deu um suspiro, olhando para o alto.)


Professora Delanay: O que foi?


(O professor Faraize entrou na sala, um pouco constrangido.)


Professor Fraize: Sinto muito incomodá-la em plena aula, professora Delanay...


(Próximo)


Professora Delanay: O que foi?


(Próximo)


Professor Fraize: É sobre a papelada da sua transferência, a diretora Shermanky gostaria de vê-la...


(Próximo)


Professora Delanay: Não podem esperar? O senhor não está vendo que estamos prestes a iniciar uma experiência?


(Próximo)


Professor Fraize: Eu acho que ela quer vê-la imediatamente...


(A professora Delanay suspirou, visivelmente super aborrecida.)


Professora Delanay: Bom, eu espero não demorar muito.


(Ela se virou para os alunos.)


Professora Delanay: Eu os deixo fazendo as três primeiras etapas durante a minha ausência. Cuidado com o anidrido acético, é irritante. Vocês devem evitar o cheiro e mesmo tocá-los.


(Muito reconfortante...)


Professora Delanay: Há algum representante de turma nesta sala?


(O Nathaniel e a Melody levantar as mãos.)


Professora Delanay: Muito bem. Eu gostaria que vocês olhassem os seus colegas. Espero na me decepcionar.


(Ela saiu ao lado do professor Faraize. Houve um silêncio... Que demorou apenas alguns segundos.)
(Todos os alunos começaram a falar ao mesmo tempo.)


Melody: Por favor, acalmem-se...


(Próximo)


Nathaniel: Deveríamos começar a fazer o nosso exercício com a Delanay nos orientou.


(Próximo)


Ambre: Nada a ver... Ela quer que nós comecemos a trabalhar, mas não está aqui para nos ajudar. Está fora de cogitação eu fazer este negócio sozinha...


(Próximo)


Armin: Você não está achando que eu vou fazer tudo sozinho, está?


(Próximo)


Ambre: E por que não?


(Todas as duplas começaram a conversar ou a brigar. O Nathaniel e a Melody não quiseram discutir mais.)


Talvez seja melhor começarmos, não?


Rosalya: *suspiro* Se for preciso...


Vamos começar... *em um balão bem seco, coloque 5g de ácido salicílico...*


Rosalya: Isso para mim é grego...


Não, olhe, o balão é aquele negócio ali e o ácido sei-lá-o-quê deve ter alguma indicação escrita...


(Nós tentamos iniciar a experiência, com uma certa dificuldade.)
(Mas rapidamente ficamos bloqueadas ... As instruções não eram tão claras assim.)
(E pelo jeito, não eramos os únicos. Muitos alunos começaram a se levantar para ver como os outros estavam fazendo.)


Rosalya: Pfff... Não adianta continuarmos se é para fazer errado. O melhor é esperarmos a professora voltar...


Tem certeza? Eu acho que devemos tentar...
É tão frustrante trabalhar com você... Parece que não se importa com nada...
Também acho, além disso todo mundo está falando ao mesmo tempo, não dá vontade de trabalhar assim...


Rosalya: Exato. Não sei por que eu não faria isso.


Eu vou dar uma volta, eu estou curiosa para ver como os outros estão se saindo com esta experiência...


(Ir para a mesa da Kim e da Melody.)
(Ir para a mesa da Iris e do Alexy.)


Iris: Como eu sou desastrada...


Nossa, o que houve?


Alexy: A Iris derramou a nossa mistura sem querer...


(Próximo)


Iris: Não tem graça nenhuma... Eu estraguei tudo.


(Próximo)


Alexy: Não tem problema, isso acaba animando tudo.


Se eu fosse você, Iris, eu guardaria minhas luvas para limpar tudo isso. Sua mistura parece bem estranha...


Iris: Ah, você acha?


(A mistura estava borbulhando sobre a mesa... Não tenho certeza se isso é normal.)


Alexy: Espere, eu vou te ajudar.


(Eu ajudei a limpar tudo e depois voltei a andar pela sala.)


(Ir para a mesa do Nathaniel e da Li.)
(Ir para a mesa do Castiel e do Kentin.)
(Ir para a mesa do Lysandre e da Bia.)
(Ir para a mesa do Armin e da Ambre)


Castiel: Bom, então não fique tremendo tanto assim, garoto. Voc~e vai deixar o tubo de ensaio cair.


(Próximo)


Kentin: E-Eu não estou tremendo, ok? Deixe-me em paz.


(O Kentin não parece estar nada bem...)


Castiel: Você veio nos ajudar, tábua de passar roupa?


Não é me chamando assim que você vai conseguir a minha ajuda.


Castiel: Não precisamos. A criança parece estar se saindo muito bem.


(Próximo)


Kentin: N-Não me chame assim!


Quer dizer que vocês estão conseguindo?


Castiel: Eu acho que estamos nos saindo bem.


(Próximo)


Kentin: Muito fácil falar quando estamos de braços cruzados a mais de meia hora...


(Próximo)


Castiel: Você tem algum problema com isso?


Sinceramente, você exagera, Castiel!
Se você revidasse, Kentin... (Diminue com o Kentin.)
Qualquer um teria um problema com isso. Não é nada legal fazer isso.


Kentin: Não é essa a questão. O trabalho tem que ser feito!


(Próximo)


Castiel: Eu acho que é justamente esse o problema...


(Bom, eu vou sair daqui... Está bem tenso.)
(A Peggy e a Violette estão de pé no canto da sala.)
(Ir ver a Peggy e a Violette.)


O que vocês estão fazendo?


Peggy: Alguém pegou o nosso lugar... Impossível trabalhar.


Hein? Mas quem...


Peggy: Adivinha.


(Eu olhei em direção da mesa das três.)
(A Ambre e a Li estavam sentadas na cadeira da Peggy e da Violette, conversando com a Charlotte.)


Elas são muito presunçosas mesmo!


Violette: A culpa é minha... Eu levantei para falar com o Alexy e a Peggy me seguiu.


Não é motivo para elas fazerem isso. Se elas querem conversar, que façam em outro lugar.


Peggy: Você tem razão. Eu vou mandar elas saírem.


(Próximo)


Violette: Talvez não valha a pena brigar por isso...


(Próximo)


Peggy: Ninguém vai discutir. Iremos conversar educadamente como pessoas maduras.


(A Peggy foi ao encontro do trio infernal.)


Peggy: Desculpem meninas, mas a Violette e eu gostaríamos de recuperar os nossos lugares. Vocês poderiam conversar um pouco mais longe?


(Próximo)


Li: Ah, tem tanto lugar por aqui.


(Próximo)


Peggy: É mais um motivo, vocês tem várias opções.


(Próximo)


Ambre: Ok, ok... Não precisa ficar zang...


(Próximo)


Professora Delanay: Que bagunça é essa aqui?! Voltem para os seus lugares IMEDIATAMENTE!


(Opa... Acabou o recreio.)
(Eu voltei para o meu lugar.)


Professora Delanay: Eu estou muito decepcionada com a sala, pensai que voc~es eram mais maduros. Voltem ao trabalho!


(O Nathaniel levantou a mão.)


Professora Delanay: Você é o representante, não é mesmo? Eu pedi para que olhasse os estudantes, mas pelo que estou vendo você não é capaz de algo assim.


(Próximo)


Nathaniel: Desculpe, senhora, mas a maioria dos alunos teve dificuldades para entender as diferentes etapas da experiência e isso explica um pouco toda essa algazarra... A senhora poderia explicar novamente, por favor?


(A professora Delanay olhou para ele como se estivesse vendo um grande pateta.)
(Depois ela reformulou as instruções , mas isso não ajudou muita coisa.)
(Assim que terminou as "explicações", ela começou a andar pelas nossa mesas, para ver nosso trabalho. De repente...)


Armin: Mas o que você está fazendo?! Diminua a chama!


(Próximo)


Ambre: Largue isso, você está fazendo tudo errado!


(Próximo)


Armin: Sua...


(Próximo)
(Eu demorei um pouco para entender o que estava acontecendo... Uma fumaça escura começou a se espalhar pela sala.)
(A Ambre e o Armin deram um pulo da cadeira, em estado de choque.)
(A professora Delanay ficou pálida.)


Rosalya: Oh, não!...


(Próximo)


Professora Delanay: Bom, fiquem calmos... Vamos todos iniciar a evacuação da sala.


(Próximo)


Li: E-Evacuação?...


(A fumaça começou a ficar cada vez mais densa.)


Professora Delanay: Saim da sala calmamente. Iremos...


(O alarme de incêndio foi acionado rapidamente assustando todos mais uma vez.)


Rosalya: Oh, não, vai pegar fogo...


(Próximo)


Kim: Vamos nessa!


(Próximo)


Ambre: Eu não fico nem mais um segundo aqui!


(Próximo)


Bia: Eu não quero morrer!


(A Bia não parece ser a única em estado de pânico. Eu vi a Violette segura a maga da camisa da Peggy e a Iris, a do Alexy.)


Nathaniel: Por favor, acalmem-se! Não corram!


(O Nath e a professora Delanay ficaram na porta da sala para se assegurar de que todos saíssem da sala.)


Professora Delanay: Deixem seus materiais na mesa. Dirijam-se ao pátio.


(Próximo)


Rosalya: Venha, Docete.


(Eu acabei me levantando, um pouco zonza.)
(Antes de sair da sala, eu pude ver o material danificado e escurecido do Armin e da Ambre.)


1º Andar


(A fumaça começou a se espalhar pelos corredores...)


Bia: Eu quero ir para a minha casa...


(Próximo)


Nathaniel: Não precisa entrar em pânico, não é um incêndio. Mas o melhor é sair daqui logo e não repirar esta fumaça.


(Próximo)


Professora Delanay: Vamos, todos! Andem rápido.


(Terminar a conversa)


Escadaria


Armin: Eu não acredito... Esse negócio explodiu na nossa cara!


(Próximo)


Ambre: E a culpa é sua!


(Próximo)


Armin: Você está falando sério?!


(Próximo)


Peggy: Ei, mexam-se vocês dois, nós podemos falar de tudo isso quando estivermos lá fora.


(Próximo)


Armin: Certo. Eu vou ter muita coisa para falar!


(Próximo)


Peggy: Com certeza esta história dará um ótimo artigo...


Oh, não!...


Armin: O que você tem?


Nada, eu...


Professora Delanay: Vocês estão surdos?! ANDEM!


(Eu deixei o artigo da Peggy na sala... Se o perdermos por um motivo ou outro, isso vai significar que fizemos todo aquele esforço por nada...)
(Toda a sala se dirigiu para o pátio enquanto eu fiquei lá, parada, sem saber o que fazer.)


(Eu vou voltar para pegar o artigo. Se eu vir que há muita fumaça, darei meia-volta.)
(Será uma besteira voltar para a sala agora. O melhor é seguir os outros alunos.)



Encontro com  Kentin e Alexy


(Bom... Ainda tem muita fumaça, mas não deve ser tão problemático assim. Eu vou poder recuperar o artigo.)
(Eu prendi a respiração e me dirigi até a minha mesa.)
(Eu procurei nas minhas coisas, mas a fumaça me impedia de ver direito o que eu estava fazendo...)
(Não acredito, onde está?...)
(Eu consegui achá-lo com uma certa dificuldade e o coloquei no bolço do meu blusão.)
(De repente eu fiquei tonta e tive que voltar a respirar.)
(Minha garganta está irritada, não posso ficar muito tempo por aqui...)
(Eu tenho que sair daqui...)


Kentin: Sem dúvida nenhuma você é a garota mais louca que eu conheço. O que se passa na sua cabeça?...


K-Kentin... Mas o que você está fazendo aqui?


Alexy: Você está ciente de que você poderia ter desmaiado?


 Alexy... E-Eu... (Estou me sentindo um pouco idiota, não sei o que responder para ele...)


(Uma nuvem de fumaça particularmente densa começou a me envolver e eu não consegui mais ver os rapazes. De repente eu senti alguns braços me envolverem e os meus pés deixarem o chão.)





(O Kentin me carregou para me tirar da sala enquanto o Alexy abria o caminho.)


Kentin, o que você está fazendo?... Eu posso andar...


Kentin: Está fora de cogitação. Você já se arriscou demais.


Estou falando a verdade, não precisa...


Kentin: Se você não quer que eu te carregue, terá que me impedir.


Ahah, ok, você ganhou.


(Eu apoiei minha cabeça sobre o sue ombro. Eu estava me sentindo bem nos braços dele...)


Alexy: Está tudo bem?! O pacote não está muito pesado, Kentin?


O pacote está te ouvindo!


Alexy: É um sinal, isso significa que ela está viva.


(Terminar a conversa.)


Pátio


(O Kentin me colocou no chão um pouco antes de chegarmos no pátio.)
(Todo mundo fez uma cara estranha quando me viu chegando ao lado dos rapazes.)


Professora Delanay: Onde vocês estavam?


A culpa é minha professora... Eu voltei para pegar algo na sala. Os rapazes foram me buscar...


Professora Delanay: Você perdeu o juízo?! Está tudo bem?


Sim, estou bem, não fiquei lá por muito tempo.


Kentin: Você tem certeza? Você não parece em plena forma...


Você se preocupa demais, Kentin. Eu não tenho nada de grave, prometo.


Kentin: Você teve um choque. Eu preciso ficar ao seu lado, nunca se sabe.


Você está exasperado.


(Nós saímos da escola. O Kentin ficou ao meu lado, com receio de que eu desmaiasse de uma hora para outra.)
(Assim que saímos, a diretora veio na nossa direção.)


Diretora: Mas o que aconteceu? Não estava previsto um teste de evacuação hoje...


(Próximo)


Professora Delanay: Não foi um teste. Digamos que tivemos que tomar alguma precauções.


(Próximo)


Diretora: Precauções? Como assim?


(Próximo)


Professora Delanay: Eu não sei como foi que aconteceu... Mas a única coisa que sei é que dois dos meus alunos explodiram a própria mistura.


(Próximo)


Diretora: Como?


(A professora Delanay tentou explicar a situação para a diretora.)
(Os outros alunos estão inquietos.)


Ambre: Não é normal que sejamos obrigados a fazer algo tão perigoso! Eu poderia ter me queimado!


(Próximo)


Kim: É você que é um perigo, se quer saber. Eu vi você com o moreno lá, vocês colocaram um monte de coisa dentro do balão.


(Próximo)


Armin: Ei! A culpa foi dela! Ela esquentou demis o bico-de-sei-lá-o-quê...


(Próximo)


Ambre: Não foi não.


(Próximo)


Rosalya: Vocês acham que eles vão nos mandar para casa depois se que se passou?


(Próximo)


Melody: Eu acho que não... Não foi um incêndio...


(Próximo)


Bia: Eu não quero voltar e respirar aquela fumaça toda...


(É a primeira vez que eu vejo a Bia neste estado.)


Rosalya: Eles não podem nos colocar naquela sala hoje, não tem cabimento!


(Enquanto todo mundo se agitava, eu resolvi me sentar me recuperar do susto.)
(O Kentin sentou-se ao meu lado.)
(Ele ficou me olhando, bem ansioso.)


Ahah, não faça essa cara, estou bem.


Kentin: Bom, se você diz... E eu posso saber por que você voltou naquela sala cheia de fumaça?


Eu fui na sala pegar um artigo para a Peggy.


Kentin: Você trabalha para ela agora?


Não é bem isso... Foi um artigo que eu fiz com a Rosalya, e a Iris, o Alexy e o Armin. A Peggy disse que voltaria a fazer o jornal da escola se conseguíssemos escrever algo.


Kentin: Mas você não devia ter se arriscado tanto por causa disso... Você imagina o que poderia ter acontecido com você?


Eu sei que foi uma má ideia...


Kentin: Com certeza... O importante é que você não teve nada.


(Nós tivemos que esperar do lado de fora enquanto os bombeiros verificavam se tudo estava em ordem na sala de ciências.)
(A professora Delanay veio ver se eu estava realmente bem e depois nós voltamos para a escola.)
(A diretora convocou a professora Delanay, além da Ambre e o Armin... Enquanto isso, ficamos sem aula, aguardando.)
(Vou aproveitar para procurar a Peggy e entregar o artigo dela. Minha ida a sala de ciências não terá sido em vão...)


Encontro com Castiel e Lysandre


(Bom... Ainda tem muita fumaça, mas não deve ser tão problemático assim. Eu vou poder recuperar o artigo.)
(Eu prendi a respiração e me dirigi até a minha mesa.)
(Eu procurei nas minhas coisas, mas a fumaça me impedia de ver direito o que eu estava fazendo...)
(Não acredito, onde está?...)
(Eu consegui achá-lo com uma certa dificuldade e o coloquei no bolço do meu blusão.)
(De repente eu fiquei tonta e tive que voltar a respirar.)
(Minha garganta está irritada, não posso ficar muito tempo por aqui...)
(Eu preciso respirar o ar puro...)
(Eu saí da sala.)


Castiel: Não acredito!... Docete!!


(Próximo)


Castiel: Não é possível...


(Próximo)


Lysandre: O que te deu para que tomasse a decisão de voltar aqui?


E-Eu... (Eu estou me sentindo um pouco idiota, não sei o que responder para ele...)





(Os rapazes me puzram pelo braço e me fizeram descer a escada.)
(Mesmo que eu ache que eles estão exagerando um pouco, eu estou com a impressão de que nada de grave poderá me acontecer enquanto eu tiver o Castiel e o Lysandre ao meu lado.)
(Espero que a gente chegue logo ao pátio e volte a respirar o ar puro...)


Pátio


(Estou bem melhor aqui do lado de fora!)
(Todo mundo fez uma cara estranha quando me viu chegando ao lado dos rapazes.)


Professora Delanay: Onde vocês estavam?


A culpa é minha professora... Eu voltei para pegar algo na sala. Os rapazes foram me buscar...


Professora Delanay: Você perdeu o juízo?! Está tudo bem?


Sim, estou bem, não fiquei lá por muito tempo.


Castiel: Não dê ouvidos, ela tem um dom para se envolver em problemas. O melhor é verificar se tudo está bem mesmo.


Ei, eu estou aqui, hein? E eu sei perfeitamente se estou indo bem ou não.


(Eu comecei a seguir os outros alunos que estavam saindo da escola.)


Castiel: Não tão rápido!


(Ele me puxou para trás e me segurou pela mão.)


Castiel: Você não vai sozinha para lugar nenhum enquanto estiver correndo o risco de desmaiar. 


Mas eu estou dizendo que não há nenhum risco de isso acontecer!


(Nós saímos da escola.)
(Assim que saímos a diretora veio na nossa direção.)


Diretora: Mas o que aconteceu? Não estava previsto um teste de evacuação hoje...


(Próximo)


Professora Delanay: Não foi um teste. Digamos que tivemos que tomar alguma precauções.


(Próximo)


Diretora: Precauções? Como assim?


(Próximo)


Professora Delanay: Eu não sei como foi que aconteceu... Mas a única coisa que sei é que dois dos meus alunos explodiram a própria mistura.


(Próximo)


Diretora: Como?


(A professora Delanay tentou explicar a situação para a diretora.)
(Os outros alunos estão inquietos.)


Ambre: Não é normal que sejamos obrigados a fazer algo tão perigoso! Eu poderia ter me queimado!


(Próximo)


Kim: É você que é um perigo, se quer saber. Eu vi você com o moreno lá, vocês colocaram um monte de coisa dentro do balão.


(Próximo)


Armin: Ei! A culpa foi dela! Ela esquentou demis o bico-de-sei-lá-o-quê...


(Próximo)


Ambre: Não foi não.


(Próximo)


Rosalya: Vocês acham que eles vão nos mandar para casa depois se que se passou?


(Próximo)


Melody: Eu acho que não... Não foi um incêndio...


(Próximo)


Bia: Eu não quero voltar e respirar aquela fumaça toda...


(É a primeira vez que eu vejo a Bia neste estado.)


Rosalya: Eles não podem nos colocar naquela sala hoje, não tem cabimento!


(Enquanto todo mundo se agitava, eu resolvi me sentar me recuperar do susto.)
(O Castiel sentou-se ao meu lado.)


Castiel: Tem vezes que eu não consigo entender você...


Eu sou uma garota complicada, o que você estava esperando?...


Castiel: Eu diria que você é uma garota... suicida. 


(Eu suspirei olhando para o alto.) Eu sei que foi estúpido da minha parte... Mas eu tinha algo importante para pegar na sala.


Castiel: E eu posso saber o que era? Visto que arrisquei a minha própria vida para te procurar?


Foi um artigo para o jornal da escola.


Castiel: Hein? Dede quando você trabalha para a Peggy?


Foi uma longa história... Para resumir, eu tive que fazer um artigo com a Rosalya, a Iris, o Alexy e o Armin. A Peggy disse que voltaria a fazer o jornal da escola se  conseguíssemos  escrever algo.


Castiel: E você acha mesmo que valia a pena se intoxicar por isso? O que você tem na cabeça?


(Ele parece muito zangado mesmo... Eu preferi ficar em silêncio, magoada.)


Castiel: Hã...


...


Castiel: Eu falo isso por você, não precisa se colocar em situação de risco por algo tão sem importância.


Eu sei, você tem razão...


Castiel: Como sempre.


(Tivemos que aguardar do lado de fora enquanto os bombeiros verificavam se tudo estava em ordem na sala de ciências.)
(A professora Delanay veio ver se eu estava realmente bem e depois nós voltamos para a escola.)
(A diretora convocou a professora Delanay, além da Ambre e o Armin... Enquanto isso, ficamos sem aula, aguardando.)
(Vou aproveitar para procurar a Peggy e entregar o artigo dela. Minha ida a sala de ciências não terá sido em vão...)


Encontro Armin e Nahaniel


(Bom... Ainda tem muita fumaça, mas não deve ser tão problemático assim. Eu vou poder recuperar o artigo.)
(Eu prendi a respiração e me dirigi até a minha mesa.)
(Eu procurei nas minhas coisas, mas a fumaça me impedia de ver direito o que eu estava fazendo...)
(Não acredito, onde está?...)
(Eu consegui achá-lo com uma certa dificuldade e o coloquei no bolço do meu blusão.)
(De repente eu fiquei tonta e tive que voltar a respirar.)
(Minha garganta está irritada, não posso ficar muito tempo por aqui...)
(Eu preciso respirar o ar puro...)
(Eu saí da sala.)


Armin: Não acredito!... Docete!


(Próximo)


Nathaniel: Mas o que você está fazendo? Ficou louca?


(Próximo)


Armin: Não é hora de procurar algo na sala!


E-Eu... (Eu me senti um pouco boba, não sei o que responder...)


(Os rapazes me puxaram pelo braço e me fizeram descer as escadas.)





(Não estávamos mais em perigo... E mesmo assim, enquanto eu caminhava ao lado deles, eu me sentia protegida. Com certeza nada poderia me acontecer.)

(Espero que a gente chegue logo ao pátio e volte a respirar o ar puro...)


Pátio


(Estou bem melhor aqui do lado de fora!)
(Todo mundo fez uma cara estranha quando me viu chegando ao lado dos rapazes.)


Professora Delanay: Onde vocês estavam?


A culpa é minha professora... Eu voltei para pegar algo na sala. Os rapazes foram me buscar...


Professora Delanay: Você perdeu o juízo?! Está tudo bem?


Sim, estou bem, não fiquei lá por muito tempo.


Armin: Pare, você não está conseguindo ficar em pé direito.


Mentira sua!


Armin: Se você diz isso para que eu te dixe, esqueça. Eu não acredito.


(É verdade que ele ainda está me segurando pelo braço...)
(E ele continuou me segurando enquanto saíamos da escola.)
(Assim que saímos a diretora veio na nossa direção.)


Diretora: Mas o que aconteceu? Não estava previsto um teste de evacuação hoje...


(Próximo)


Professora Delanay: Não foi um teste. Digamos que tivemos que tomar alguma precauções.


(Próximo)


Diretora: Precauções? Como assim?


(Próximo)


Professora Delanay: Eu não sei como foi que aconteceu... Mas a única coisa que sei é que dois dos meus alunos explodiram a própria mistura.


(Próximo)


Diretora: Como?


(A professora Delanay tentou explicar a situação para a diretora.)
(Os outros alunos estão inquietos.)


Ambre: Não é normal que sejamos obrigados a fazer algo tão perigoso! Eu poderia ter me queimado!


(Próximo)


Kim: É você que é um perigo, se quer saber. Eu vi você com o moreno lá, vocês colocaram um monte de coisa dentro do balão.


(Próximo)


Armin: Ei! A culpa foi dela! Ela esquentou demis o bico-de-sei-lá-o-quê...


(Próximo)


Ambre: Não foi não.


(Próximo)


Rosalya: Vocês acham que eles vão nos mandar para casa depois se que se passou?


(Próximo)


Melody: Eu acho que não... Não foi um incêndio...


(Próximo)


Bia: Eu não quero voltar e respirar aquela fumaça toda...


(É a primeira vez que eu vejo a Bia neste estado.)


Rosalya: Eles não podem nos colocar naquela sala hoje, não tem cabimento!


(Enquanto todo mundo se agitava, eu resolvi me sentar me recuperar do susto.)
(O Armin sentou-se ao meu lado.)


Armin: E então?... Como vai nossa aventureira ao extremo?.


Ahah, estou bem, prometo. Só queria me sentar um pouco.


Armin: Que ideia você teve de querer voltar para a sala.... 



Foi besteira... Eu... Eu queria recuperar o artigo para a Peggy.


Armin: Foi besteira e para completar você poderia ter me pedido para ir com você.



Mas estava tudo sob controle... Eu estava prestes para sair quando você e o Nathaniel chegaram.


Armin: Eu insisto, a próxima vez que você decidir fazer uma besteira dessas, pense em me chamar.


(Nós tivemos que esperar do lado de fora enquanto os bombeiros verificavam se tudo estava em ordem na sala de ciências.)
(A professora Delanay veio ver se eu estava realmente bem e depois nós voltamos para a escola.)
(A diretora convocou a professora Delanay, além da Ambre e o Armin... Enquanto isso, ficamos sem aula, aguardando.)
(Vou aproveitar para procurar a Peggy e entregar o artigo dela. Minha ida a sala de ciências não terá sido em vão...)


Corredor 2


(Olha, o Nathaniel foi o único que pensou em tirar o blusão, eu tenho que fazer o mesmo...)


Nathaniel: Eu acho que a minha irmã está passando por um momento bem difícil...


Você está falando da reunião com a diretora?


Nathaniel: Sim... Eu estou com o receio de que ela e o Armin sejam expulsos.


Expulsos?! Mas foi um acidente!


Nathaniel: Talvez, mas pelo jeito nem a professora entendeu o que aconteceu. A preparação que eles fizeram era tão aleatória que nem eles são capazes de dizer o que estava dentro do balão...


Como você sabe disso?
Eu os vi trabalhando, não estou surpresa...
Se a professora Delanay estivesse presente na sala para nos ajudar, isso não teria acontecido!


Nathaniel: Sei, mas eles foram irresponsáveis.  Eu não acho que podemos culpá-la por tudo...


Não, mas podemos colocar toda a culpa na diretora... Foi ela quem exigiu que a professora fosse encontrá-la quando ela estava na aula.


Nathaniel: É... Espere, você está falando sério?


Não, estou brincando, hihi. Se bem que se pensarmos direito, meu raciocínio tem lógica!


Nathaniel: Você pode compartilhar a sua teoria com a diretora Shermansky, eu tenho certeza de que ela vai apreciar.


Sim, já faz muito tempo que eu não fico de castigo, estou sentindo falta...


Sala de Aula A


(A Kim e o Alexy estão confortando a Violette.)


Kim: Com certeza, é impressionante!


(Próximo)


Alexy: Mas não tem mais nenhum problema agora.


(Próximo)


Violette: Eu espero que o Armin e a Ambre não tenha se machucado.


Acredite em mim, Violette, eles não tem nada. Eles tinham força suficiênte para brigar na saída da sala... Se eu fosse você, não me preocuparia.


Violette: E você , Docete? Está tudo bem? Eu te vi chegando após todo mundo...


Estou sim, não tenho nada, não se preocupe. Eu só fui pegar o que estava na sala... Foi uma ideia estúpida.


Kim: Guria imprudente!


(Próximo)


Alexy: Ou simplesmente louquinha!


Ei!


Corredor Principal


Ah, Peggy! Eu preciso te entregar algo...


Peggy: Vocês conseguiram escrever o artigo?


Conseguimos sim! Foi difícil devido ao prazo curto, mas conseguimos.


Peggy: Tsss... Sou eu quem devo dizer se vocês conseguiram ou não. Eu tenho que eler o artigo e validar.


Ah, ok... Aqui está ele.


(A peggy pegou as folhas das minhas mão e olhou rapidamente.)
(... Depois ela caiu na gargalhada.)


Eu não sei qual é a graça...


Peggy: Esse artigo não vae nada. Foi construído inteiramente a partir de hipóteses... Eu não posso publicar um negócio desses.


Espere ai... Você está dizendo que tudo que fizemos não vale nada?!


Peggy: Eu acho que sim.


Mas... Você vai parar de fazer o jornal da escola?


Peggy: Bom... Eu mudei de ideia. Tem várias coisas interessantes acontecendo por aqui, pelo que eu pude perceber. Eu tenho várias informações guardadas, seria uma pena não compartilhar com todo mundo. Eu preciso apenas estabelecer alguns limites, ao contrário do que fazia antes.


Bom... Estou feliz por você. Mesmo eu preferindo que você se tivesse se decidido antes...


Peggy: Mas confesso que foi engraçado ver vocês correndo por todo o lado para escrever este artigo.


Espere, Você nos espionou?


 Peggy: Um pouco... É difícil perder os antigo hábitos!


(Quais devem ser estas famosas informações... Talvez ela saiba mais sobre o evento que será organizado na escola...)


Pátio


(Visivelmente a reunião com a diretora, a professora Delanay, o Armin e a Ambre demorou muito mais do que previsto.)
(Ficamos sabendo que as aulas tinham terminado por hoje e que deveríamos voltar para casa.)
(Não posso negar que hoje o dia foi cheio de informação... Eu preciso voltar para casa.)


Parque


(Estou vendo alguém ali...)


Armin: Oi.


Você já terminou de falar com a diretora?


Armin: Pois é... Ela nos deu uma lição de moral, , mas, finalmente, ela estava tão aliviada por ninguém ter se ferido que  ela nos deu apenas um castigo...


Tudo terminou bem, então...


Armin: Digamos que sim.


E o que você está fazendo por aqui?


Armin: Oh, eu... Eu te vi e vim logo para saber se você estava realmente bem.


Mas... Você está preocupado por nada, fique tranquilo. Olhe, eu estou bem.


Armin: Sim, eu sei. Eu exagerei um pouco, desculpe. Nos vamos amanhã.


Espera!


Armin: O que foi?


Eu gostaria de te agradecer... por ter ido me procurar com o Nathaniel. Vocês não eram obrigados a fazer isso...


Armin: Você acha mesmo que poderíamos te deixar sozinha numa situação daquelas?


Eu não sei, você poderia ter avisado um professor ou outra pessoa... Ou mesmo... não se preocupar.


Armin: Eu tinha que agir imediatamente. Eu sei que eu não sou o rapaz mais ágil do mundo, mas...


De qualquer maneira, eu agradeço.


Armin: Esqueça, foi normal. Agora eu preciso ir.


Até amanhã.


Armin: Até!


(Terminar a conversa)


Meu Quarto


(Eu vou ter que contar aos meus pais o que aconteceu. Eu vou passar por uma idiota, mas não posso esconder um negócio desses...)
(Eu esperei que eles voltassem do trabalho e contei tudo.)


Philippe: Você tem certeza de que não tem nada?


(Próximo)


Lucia: Vamos ao hospital para termos certeza. E é inadmissível que a escola não tenha nos informado! Pois eu vou telefonar! Eu vou...


Mãe, pare! Se fosse preciso algum cuidado especial, a escola teria chamado o socorro médico. Minha professora se assegurou de que estava bem.


Philippe: Ela é professora de ciências, e não uma médica...


Eu estou bem, já disse. Se algo não estivesse bem, eu teria me dado conta rapidamente.


Lucia: Que ideia a sua, francamente, você não tem nenhuma consciência do risco que correu.


Eu sei que foi uma ideia estúpida... Eu... Desculpe...


Lucia: Não precisa de desculpas! Eu só peço que você tenha mais bom senso no futuro.


(Ela vei na minha direção e colocou a mão sobre o meu braço.)


Lucia: Tenha mais cuidado, está bem?


E-Está bem...


Philippe: Sua saúde conta muito mais do que um artigo de jornal da escola...


(Ele me abraçou.)


Philippe: Estou aliviado por você não ter nada...


(Os meus pais parecem mesmo assustados... Eu estou bastante arrependida do que fiz.)
(Bom, eu vou tentar ser mais discreta na escola por um bom tempo...)
(Eu vou ficar mais com os meus amigos e ficar bem quietinha.)


1º Andar


(Ah, aqui está a Bia.)


Ei... Está tudo bem?


Bia: Sim, por que não estaria?


Você não parecia nada bem ontem...


Bia: Conversa fiada... E além disso, o que você tem a ver com isso?


Calma, só quis ser educada...


Bia: Seja educada com os seus amigos e me deixe em paz.


(Ok.)


1º Andar


Iris: Eu tive medo ontem...


(Próximo)


Rosalya: Eu também, confesso. Eu não estou com tanta vontade de voltar para a aula de ciências.


(Próximo)


Alexy: Incrível o que o meu irmão provoca nas pessoas, mesmo sem querer...


Você está exagerando, Alexy... Você não pode colocar toda a culpa no Armin. Ninguém sabe o que aconteceu.


Alexy: Eu não estou exagerando, estou apenas dizendo que ele tem uma tendência natural para provocar catástrofes.


(Próximo)


Rosalya: Eu fiquei muito feliz em ver o Leigh ontem, após a aula. Imagine se tivesse acontecido algo? Eu nunca mais o veria novamente.


Rosa, você não está exagerando um pouco? Não estávamos manipulando explosivos...


Rosalya: Era quase isso!


(Próximo)


Iris: É verdade que um pouco de reconforto após o acidente seria bem-vindo. Minha mãe e meu irmão organizaram um piquenique surpresa. Nós fomos para a beira do rio comer uma lanche, foi muito legal.


Foi bem atencioso mesmo! (Talvez eu deva organizar algo do tipo, um dia desses...)


Sala de Aula B


Peggy: Então, está feliz?


Hein?... Do que você está falando?


Peggy: Voltei a ativa, lancei o jornal da escola. Com um dia de atraso, mas lancei.


Que legal! Fico feliz em te ver tão bem novamente.


Peggy: Mas você nem leu ainda o que eu escrevi! É muito melhor do que a porcaria que você e o seu grupo entregou...


Sempre tão delicada, Peggy...


Peggy: Ah, ah, mas até que foi fofinho... Se tivermos um senso de humor desenvolvido, podemos até apreciar.


...


Peggy: Ah, não faça essa cara, foi legal da parte de vocês tentar me motivar. Além disso, o plano funcionou, estou bem.


Que bom!


Peggy: Eu pensei que não poderíamos privar a escola dos meus talentos pois, visivelmente, não é todo mundo que pode fazer o que eu faço.


Você não tem um problema de ego não?...


Peggy: Estou só falando a verdade. Tome, leia e ouse me dizer que meu trabalho é ruim.


(Ela me mostrou um exemplar e eu folheei rapidamente.)
(De repente eu entendi porque ela estava tão eufórica.)



Peggy: Então?


Eu não acredito...


Ps: Se quiserem me add no amor doce é só enviar o covite para: EmilyCrisly.