domingo, 15 de maio de 2016

Amor Doce: Episódio 24_ Castiel

Pets Fofinhos


Rosalya: Docete... Tem alguém que quer falar com você.


(Meu coração está batendo tão rápido que tenho a impressão que vai explodir. Eu acho que sei de quem ela está falando...)


Nathaniel: ...


(Próximo)


Rosalya: Vou deixar vocês à sós. Tentem não se matar desta vez!


(Ela foi embora sorrindo discretamente.)


Nathaniel: A Rosalya é muito teimosa... É difícil ir contra a vontade dela.


Quer dizer que... Foi ela quem te forçou a vir?


Nathaniel: Digamos que ela me aconselhou com muita convicção.


Eu não quero que você se sinta obrigado a falar comigo.


Nathaniel: Eu teria te procurado mesmo assim. Imagino que devo te pedir... Desculpas.


(Eu não acredito... E eu que pensei que ele nunca mais iria me perdoar.)


Nathaniel: O que você fez não foi nada fácil. Foi um gesto que exigiu coragem e... uma boa dose de amizade. E eu não quis admitir. Sinto muito...


(Eu olhei para ele sem dizer uma só palavra.)


Nathaniel: Você ainda está zangada comigo?


Eu...


Nathaniel: Eu entendo se você não conseguir me perdoar pelos horrores que eu te disse... Mas, por favor, prometa que vai pensar no assunto...


Bobo... (Aumenta se o loveô estiver alto.)
Eu não sei ao certo...
Claro que eu te perdoo.


Nathaniel: A-Ah! Verdade?


Isso! Seu eu fiz isso tudo é porque você... é muito importante para mim. Seria muito bobo da minha parte brigar com você logo agora que tudo está indo bem.


Nathaniel: Estou aliviado... Eu estava realmente com medo que você não quisesse mais falar comigo após... tudo o que aconteceu.


Que ideia! Mas... E como está agora? E o seu pai ele...


Nathaniel: Eu não moro mais com os meus pais. O Castiel me aconselhou a me emancipar deles. Eu detesto ter que dizer isto mas... Ele me deu uma ótima ideia.


Mas sim, certo? Eu devia ter pensado nisso antes...


Nathaniel: Eu sei que este tipo de solução só poderia vir dele. Mas confesso que... Eu não consigo entender porque ele quis me ajudar.


Eu acho que nem ele sabe.
Talvez porque ele tem um bom coração, simplesmente.
O Castiel não é bobo! Ele sabe separar as coisas.


Nathaniel: Talvez, sim.


Ele fez o que deveria. Mas fiquei na dúvida, como se consegue uma emancipação?


Nathaniel: Meus pais tiveram que aceitar o acordo proposto pelo juiz.


Não me diga que eles aceitaram sem dizer nada?


Nathaniel: Eu não dei muita escolha para eles. Se eles não aceitassem, eu iria contar tudo aos serviços sociais. No final, todo mundo saiu ganhando... 


Sim, é um acordo justo, se podemos dizer isso.


Nathaniel: No acordo, eles pagam o meu apartamento e meus gastos. Eu avisei ao meu pai que ele não deveria em hipótese alguma desviar sua violência contra mim para a Ambre. Porque eu não vou tolerar isso e irei agir definitivamente.


Sim, com certeza... (Sem precisar de violência, até que poderia ser positivo se os pais da Ambre fossem mais severos com ela...)


Nathaniel: Bom... Eu nunca pensei em chegar a este ponto, mas ameacei meus próprios pais. E agora eu moro sozinho.


Você encontrou um apartamento no centro?


Nathaniel: Sim. É simples, mas é legal.


Eu poderei te visitar um dia desses?
Fico feliz por saber que você tem um canto só seu.


Nathaniel: Ah, é... Sim, por que não?... Quem sabe um dia desses...


(Próximo)
(Após o retorno do Nathaniel, tudo voltou ao normal.)
(Bom... Faltam alguns detalhes ainda.)
(O Nathaniel está um pouco diferente. Ele parece mais descontraído, menos fechado do que antes. Ele mudou até de look! Parece que ele amadureceu de repente.)
(Estou com a impressão de que agora ficou mais fácil dialogar com ele.)
(A emancipação do Nathaniel foi notícia em toda a escola e ele ficou tranquilo.)


Nathaniel: Oi, Docete!


(Verdade que ele mudou de estilo há um bom tempo, mas eu não consigo me acostumar.)


Nathaniel: Algum problema?


N-Não apenas... Eu não sei se já te disse isso, mas eu acho que suas roupas novas combinam muito com você. Você encontrou o seu estilo!


Nathaniel: Gentileza sua. Eu precisava mudar por fora também. Eu me sinto diferente e quero que todos vejam isso.


Por acaso não foi a Rosa que te deu alguns conselhos?


Nathaniel: Não... Eu escolhi sozinho.


Você parece bem disposto hoje...


Nathaniel: Ah, ah! Sim, fui pego em flagrante. Na verdade, tenho um projeto...


(O sinal tocou indicando o começo das aulas e interrompendo nossa conversa ao mesmo tempo.)


Nathaniel: Eu te conto depois.


Ah, não! Eu quero saber!


Nathaniel: Depois, já te disse. E se você se comportar.


(Eu fiquei de boca aberta.)
("Se você se comportar"? É o tipo de coisa que o Nathaniel nunca falaria antes... Eu vou ter que me acostumar.)


 Iris: O que você está fazendo, Docete? Venha, você vai se atrasar.


Estou indo!


Sala de Aula B


Prof. Faraize: Silêncio, por favor.


(Eu me sentei ao lado da Iris.)


Iris: Você trouxe o seu exercício? Eu quase esqueci do meu quando estava saindo de casa hoje de manhã...


Hein? Hum exercício?


Prof. Faraize: Silêncio, todo mundo! Antes de começar, eu gostaria que vocês me entregassem seus exercícios.


(Próximo)


Armin: Quais exercícios?


(Próximo)


Prof. Faraize: Sobre a industrialização, senhor Armin.


(Um burburinho ouviu-se na sala. Eu acho que não sou a única a descobrir apenas agora a existência de uma tarefa para casa.)


Prof. Faraize: É a primeira vez que vejo isso... A maioria não me entregou o trabalho!


(Próximo)


Nathaniel: Professor, se a grande maioria não ouviu falar deste exercício talvez o problema venha do senhor, não acha?


(Essa foi a primeira vez que... eu vi o Nathaniel bater de frente com um professor! Além disso, ele fez parte do grupo que não fez o exercício.)
(Eu ouvi cochichos atrás de mim. Era a Kim e a Violette, tão surpresas quanto eu.)


Prof. Faraize: Che... chega! Eu nunca fui severo com vocês, mas não é motivo para fazer pouco caso de mim! Eu não esperava isso de você, senhor Nathaniel.


(Próximo)


Melody: Professor, por favor, seja indulgente... Talvez o senhor possa dar um pouco de tempo extra aos que não fizeram?


(Próximo)


Prof. Faraize: Bom... Eu posso adiar a entrega do trabalho para amanhã. Mas não além disso!


(Próximo)


Ambre: Uma noite não é o suficiente, senhor... Não poderíamos ter uma semana a mais?


(Próximo)


Prof. Faraize: Claro que não! Já que é assim, todos aqueles que não entregarem o exercício pedido amanhã serão punidos.


(Uau, eu nunca tinha visto o professor Faraize neste estado... Eu anotei o dia da entrega do exercício na minha agenda, com letras bem grandes. Minha noite não será nada fácil...)
(Eu ouvi a Kim cochichar novamente.)


Kim: Puxa, não sei qual bicho o mordeu...


(Próximo)


Prof. Faraize: Você quer falar alguma coisa, senhorita Kim?


(Próximo)


Kim: É?... Não, não senhor.


(Pela manhã, eu me dei conta de que estava realmente com dificuldade para me concentrar na aula, mesmo me esforçando. Eu tenho que parar de me distrair com tudo o que acontece na escola fora da sala de aula.)
(Fiquei curiosa para saber o que o Nataniel tinha para me contar...)


Escadaria


Ambre: Aproveite bem o tempo que te resta!


Como?


Ambre: Você acha que não vi você conversando com o meu irmão? Após tudo o que você fez, você ousa falar com ele!


Eu entendo que você esteja com raiva, mas...


Ambre: E como se não bastasse, você continua correndo atrás do Castiel! Eu vi tudo!


Eu tentei mesmo cumprir o prometido... Mas eu não posso impedi-lo de falar comigo eternamente!


Ambre: Cale a boca! Tudo era bem melhor antes da sua chegada na escola. Eu te deixei em paz por um bom tempo, mas se eu fosse você, ficaria esperta a partir de agora!


(Meu sentimento de culpa diminuiu, mas... Eu não consigo me ver brigando com ela. Eu imagino que ela ainda esteja zangada comigo, após tudo o que aconteceu.)
(Ela deve ter sofrido quando o Nathaniel saiu de casa e quando descobriu sobre o pai... Mesmo a Ambre não merece isso.)


1º Andar


(Professor Faraize parece preocupado. Ele está murmurando algo...)
(Eu dei um passo para o lado para me desviar dele, mas ele mudou de direção bruscamente e quase se bateu comigo.)


Prof. Faraize: Oh, sinto muito, senhorita Iris.


Oh... Eu sou a Docete, senhor.


Prof. Faraize: Estou sabendo, obrigada. Sinto muito, mas eu tenho muita coisa para fazer. Diferente do que muitos pensam, eu trabalho aqui, não estou me divertindo.


E-Eu nunca disse o contrário...


Sala de Ciências


Kim: É a primeira vez que o Faraize se zanga deste jeito!


Violette: Eu acho que a atitude o Nathaniel o deixou perturbado.


Oh, meninas, vocês viram o Nathaniel por acaso?


Kim: Mas ele mudo demais! Vocês viram como ele falou com o professor?


Violette: Pois eu acho que ele continuou educado.


Digamos que foi ele quem provocou...


Kim: Achei engraçado.


Violette: E graças a Melody, os que não estavam sabendo do dever de casa ganharam uma segunda chance.


(Terminara a conversa)


Sala de Aula A


Castiel: Quer dizer que agora você não faz mais os deveres de casa?


Como você sabe disso?


Castiel: Tivemos o mesmo curso hoje pela manhã, não sei se está sabendo.


Visto o número de pessoas que esqueceu de fazer o exercício, tinha mesmo que ser um bom observador para perceber que uma pessoa em particular não tenha entregue o trabalho.


Castiel: Alguém tem que te supervisionar. Você sempre se mete em confusão quando está sozinha.


Eu devo entender isso como uma proposta para me ajudar a fazer os meus deveres?
Se você gosta de imaginar coisas...
Eu não sei do que você está falando.


Castiel: Ah, ok... Vá sonhando.


Ah, é uma má ideia, visto que irei trabalhar sozinha, com certeza irei me dar mal se seguir sua lógica.


Castiel: Pare, vou acabar chorando.


Então, conversaei com o Nathaniel hoje pela manhã. Acho que a emancipação o libertou realmente.


Castiel: O que te faz pensar que isso me interessa?


Oh, não sei, talvez pelo fato de você ser o responsável por tudo isso?


Castiel: Essa história não me interessa mais. Pelo que vi, o problema foi resolvido, agora deixe-me em paz.


(Eu pensei que tudo ia melhorar entre o Nathaniel e o Castiel, mas pelo jeito, é mais complicado do que eu pensava.)


Sala de Ciências


Rosalya: Está tudo bem?


Sim, sim...


Rosalya: Então por que está com essa cara de enterro?


É a Ambre... Eu nunca achei que fosse possível dizer isso, mas a raiva dela contra mim parece ter se multiplicado por cem.


Rosalya: Eu estava justamente pensando nisso! Estranho que ela não tenha dado um chilique! Você tem que ficar de olhos bem abertos!


Se bem que a raiva dela é compreensível...
Ai!


Rosalya: Eu te avisei! Assim que você começar a se sentir culpada por alguma coisa, eu te darei um beliscão!


(Terminar a conversa.)


Sala de Ciências


Lysandre: Logo agora que me lembre de fazer um dever de casa...


Logo agora que eu esqueci de fazer um dever de casa!


Lysandre: O que me conforta é que você não está sozinha.


Eu já tinha esquecido...


Lysandre: Eu imagino que não é culpa do Nathaniel?


Deve ter sido. Professor Faraize deve ter falado sobre o exercício quando ele estava com a cabeça cheia...


Lysandre: Você deve estar mais tranquila agora.


Sim, verdade. Fico tranquila de vê-lo tão tranquilo assim.


Lysandre: Vocês dois parecem cada vez mais próximos...


Difícil não se sentir culpado após tudo o que aconteceu.
Nem tanto...


Lysandre: Eu não posso te jogar no chão...


Você parece... contrariado.


Lysandre: Não é nada. Eu... Eu preciso ir.


(Terminar a conversa)


Esacadaria


Nathaniel: Eu acho que já sei o que você quer me perguntar...


Eu sou tão previsível assim?


Nathaniel: Eu acho que estou começando a entender como você funciona.


Então? Qual é esse famoso projeto que você gostaria de falar comigo?


Nathaniel: Bom... Agora que eu moro sozinho, vou poder fazer tudo o que meus pais não me deixavam fazer.


Você vai se autorizar uma nota menor do que 8?
Como assim?


Nathaniel: Na verdade, o meu projeto tem a ver com o fato de viver sozinho. A independência me agrada, mas eu gostaria de ter uma companhia. Você adivinha no que estou pensando?


Você está pensando em encontrar... Uma amiga?
Você vai adotar um animal?
Você vai dividir o apartamento com alguém?!


Nathaniel: Acertou! Eu estou pensando em adotar um gatinho, claro. Inclusive eu acho que já comentei com você sobre isso.


Legal! Eu sempre gostei de animais, mas os meus pais não são muito fãs...


Nathaniel: Se você preferir, poderíamos ir no pet shop juntos amanhã depois da aula. Eu quero ficar sabendo mais sobre alimentação, cuidados, este tipo de coisa... Adotar um animal é um ato que precisa ser bem pensado.


Ah, ah! Eu estou vendo que o seu senso de responsabilidade nunca está muito longe!


Nathaniel: Então, você vem comigo?


Eu adoraria te acompanhar! Vai ser legal!!
Eu acho que posso ir sim.


Nathaniel: Que bom!


(Próximo)


Nathaniel: Estou contente por podermos passar um bom tempo juntos. V-Você não está mais zangada comigo?


Não vamos mais falar sobre isso. Vamos virar a página.


Nathaniel: Fico contente em ouvir isso. Nos vemos mais tarde, então.


(Terminar a conversa)


Sala de Aula A


(A Iris e a Melody estão conversando de forma bem animada. Eu adoraria ficar um pouco com elas, faz tanto tempo que não faço isso...)


Iris: Docete!


É... (Estou incomodando ou é impressão minha?)


Iris: Eu e a Melody estávamos conversando sobre o dever de casa.


Ah, sim. Inclusive eu gostaria de te agradecer, Melody. Graças avvocê, ganhamos mais tempo.


Melody: Eu não fiz isso por você.


(Desta vez eu tenho certeza de que a Melody está com raiva de mim. Não é a primeira vez que ela me lança essas indiretas.)


Algum problema?


Melody: Se você se interessasse mais pelos outros, você saberia.


(Próximo)


Iris: Vocês não precisam brigar, é apenas um exercício de casa...


Eu posso saber qual é o motivo para você estar com tanta raiva de mim, Melody?


Melody: Pergunte para o Nathaniel, porece que vocês estão bem íntimos agora.


M-Mas...


(A Melody saiu da sala de repente. A Iris parecia tão surpresa quanto eu.)


O que deu nela?


Iris: Eu não tenho a mínima ideia...


(Terminar a conversa)


Sala de Ciências


Armin: Eu nunca fiz um dever tão difícil...


(Próximo)


Alexy: É verdade que não é um assunto tão interessante assim.


(Próximo)


Kentin: Pois eu acho interessante.


(Próximo)


Alexy: Você diz isso apenas para me contradizer.


(Próximo)


Armin: Verdade, parece que você faz o possível para agir da forma contrária ao que os outros esperam de você.


(Próximo)


Kentin: Você tem outros exemplos como esse?


(Próximo)


Alexy: Colocar uma calça militar, por exemplo. É o tipo de roupa que ninguém espera ver.


(Próximo)


Kentin: Vocês querem me deixar em paz?!


(Eu não vou incomodá-los, os três parecem estar se divertindo juntos...)


Kentin: Docete!


Sim?


Kentin: Eu estava esperando por você!


Eu?


Kentin: Sim, você. Chegou na hora de irmos, não é mesmo?


Hein? Ir para onde?


Kentin: Vamos agora, senão chegamos atrasados.


(O Kentin me puxou pelo braço e me levou na direção do corredor.)


1º Andar


Kentin... Você poderia me dizer o que está acontecendo aqui?


Kentin: Há três horas eles estão me perturbando. Parece que é o passatempo preferido deles. Eu só estou tentando cair fora!


(Próximo)


Alexy: Ei, vocês dois!


(Próximo)


Kentin: Tarde demais...


(Próximo)


Alexy: Não pensem que eu deixarei vocês fugirem como dois apaixonados!


(Próximo)


Armin: Quem são os apaixonados?


Ninguém! Pare de me meter nas sus histórias! Eu vou embora.


Kentin: Você não vai a lugar algum.


(Próximo)


Armin: Eu concordo com o Kentinho, quanto mais loucos, mais felizes somos!


(Próximo)


Kentin: NÃO ME CHAME ASSIM!


Ele prefere "Ken".


Alexy: Verdade?


Kentin: NÃO!


(Ficar um pouco com os rapazes me fez bem... Já havia um bom tempo que não dava tanta risada.)
(Infelizmente eu tenho que ir para casa para fazer este maldito dever...)


Meu Quarto


(Eu não estou com a mínima vontade de fazer este exercício... Talvez eu possa jogar um pouco antes... Apenas por quinze minutos...)


Philippe: Ah, finalmente te encontrei.


Ah, é... Olá, pai.


Philippe: Já faz um tempinho que você não fala para mim ou para a sua mãe como está se saindo na escola. Antes você nos contava o que fazia nas aulas.


Oh, bem... Então, eu estava me preparando para fazer o meu exercício de história.


Philippe: Verdade, você sabe que história foi sempre uma das minhas matérias preferidas? Talvez eu possa te ajudar?


Sim, por que não?


(Eu expliquei para o meu pai o tema do dever e que eu tinha apenas esta noite para fazê-lo.)
(Eu não contei que o exercício não tinha sido feito por minha culpa. Ele não precisa saber que eu não estou tão dedicada assim aos estudos. mesmo se essa é a verdade...)
(Quando terminamos já era tarde.)


Muito obrigada, pai! Eu não sabia que você conhecia tanto sobre o assunto!


Philippe: Vale dizer que o tema foi realmente interessante, você não acha?


Eu confesso que não sou tão apaixonada assim pela industrialização...
Sim, a industria é realmente um assunto... apaixonante.


Philippe: É um assunto complicado. Mas eu tenho a impressão que você entendeu várias coisas da minha explicação.


Verdade! Mas graças a você.


Philippe: Eu fico feliz em te ajudar. Não exite em me dizer quando tiver dificuldades, você tem capacidade seria uma pena não aprofundar isso.


Ok, fique tranquilo, eu não vou me esquecer disso.


(Que sorte a minha que meu pai me ajudou... Estou quase certa de ter uma boa nota!)
(Foi com toda essa confiança que acabei voltando para a escola no dia seguinte. Eu vou deixar o meu exercício no armário, a aula do professor Faraize vai ser durante a tarde.)


Sala de Aula A


Alexy: E então, como está indo com o dever de casa?


Eu estava um pouco em pânico com a ideia de fazer em tão pouco tempo. Ainda bem que o meu pai me ajudou. Ele gosta do tema, acho que não vou me sair tão mal.


Alexy: Que bom! Mas cuidado, já faz bastante tempo que nossos pais saíram da escola, as vezes eles pensam conhecer o assunto, quando na verdade, não...


Oh, depende. Meu pai parecia conhecer o assunto. Bom no final sou a única culpada por esta situação, eu deveria ter anotado melhor meus deveres...


Alexy: Oh, você não é a única...


Pois é, estou feliz em voltar a ter preocupações normais.
Jura?


Alexy: Falar nisso, eu não sei se já te disse, mas estou orgulhoso de tudo que você fez para o Nathaniel.


(Antes que eu pudesse falar alguma coisa, ele me deu um abraço forte.)


Alexy: Estou feliz em ver que você voltou a ser como era antes!


M-Mas, eu não tinha mudado...


Alexy: De uma certa maneira, sim. Você estava com a cabeça nas nuvens e não podia conversar muito... Senti saudades!


(Terminar a conversa)


Corredor 2


(Eu abri meu armário e coloquei meu exercício.)


Li: Aaaai!! Meu tornozelo!


(Alguém precisa de ajuda, parece que vem de lá da escadaria...)


Escadaria


Li: Ai, está doendo muito!


O que te deu para gritar desta maneira?


Li: E-Eu acho que quebrei meu tornozelo tropeçando nas escadarias...


Não exagere, talvez tenha sido apenas um mal jeito.


Li: Está DOENDO, eu já te disse!


Ok, ok... Então, venha, eu vou te ajudar a caminhar. (A Li se apoiou em mim como se dependesse disso para viver.)


Calma, você vai rasgar a minhas roupas se continuar me puxando assim!


Charlotte: O que está acontecendo aqui?


Eu acho que a Li torceu o tornozelo.


Li: Não, eu QUEBREI!


Se você acha... (Eu olhei para o alto, suspirando.)


Charlotte: Pode deixar que eu vou levá-la para a enfermaria.


Não precisa falar nesse tom comigo. Eu estava tentando ajudá-la.


Li: Você passou o tempo todo me contrariando.


Ok... Bem, se virem sozinhas.


Li: Saia da frente!


(Estou cada vez suportando menos estas duas. O melhor é eu ir ao corredor me encontrar com os outros.)


Corredor 2


BANG!


Ei!


Ambre: Cuidado!


Oh, desculpe... (Ela que se bateu em mim, mas não consegui pensar em nada para falar...)


Ambre: Pobre coitada.


(Terminar a conversa)


Pátio


Iris: O último número do jornal da escola não saiu ainda.


Ah, é?


Rosalya: Eu acho que a Peggy está com dificuldades para sair da punição...


(Próximo)


Violette: Eu até entendo... Nunca fui punida, mas deve ser horrível.


(Próximo)


Kim: Se bem que ela fez por merecer, não?


(Próximo)


Bia: Parece que ela estava escondida EMBAIXO do sofá dos professores. A cena deve ter sido engraçada, quando a diretora a encontrou.


(Eu confesso que achei graça, mas o sorriso da Bia quase me deu vontade de defender a Peggy.)


Rosalya: Eu tenho certeza de que ela vai terminar dando a volta por cima. A Peggy não é do tipo que fica deprimida.


Falando nisso, alguém viu a Peggy recentemente?


Iris: Eu a vi mas de longe... Acho que ela quer ficar mais discreta.


(Próximo)
(O resto da manhã foi bem calmo. Eu percebi que a Ambre me olhava de forma estranha... É melhor eu ficar esperta.)
(A aula do professor Faraize vai começar. Eu preciso pegar o meu exercício no armário.)


Corredor 2


(Eu procurei no armário ansiosamente.)
(Que estranho, não estou encontrando, no entanto eu não sonhei, eu coloquei o exercício aqui sim!)
(Após alguns minutos de procura eu tive que aceitar a ideia de que meu exercício tinha desaparecido.)


Kim: Docete! O que você está fazendo? Todo mundo está na sala e o professor Faraize está pegando os trabalhos!


E-Eu não estou entendendo... Não encontro meu dever de casa, no entanto tenho certeza de ter colocado no meu armário hoje de manhã.


Kim: Eu não sei, olha na sua mochila! Mas rápido, o professor não estava brincando quando falou em punição.


(Eu não tenho escolha, eu preciso ir para sala agora e sem o meu exercício.)


Sala de Aula B


(Eu entrei na sala após a Kim. Os outros estava entregando os exercícios.)
(Eu me sentei ao lado da Iris e esvaziei completamente minha mochila sobre a mesa. Talvez o meu exercício estivesse perdido entre dois cadernos?)
(Professor Faraize se aproximou de mim.)


Prof. Faraize: Seu dever, por favor, senhorita Docete.


É... Quer dizer... E-Eu não sei onde está, professor...


(Eu pensei ter ouvido um riso abafado na sala, mas estou tão assustada que não tenho tanta certeza assim.)
(Professor Faraize suspirou desanimado.)
(Ele não parece tão nervoso quanto antes. Talvez eu não seja punida...)


Prof. Faraize: Todos os alunos aproveitaram desta segunda chance, mas você. Eu sinto muito, mas terei que te punir. Eu tinha avisado.


M-Mas professor, eu fiz meu dever de casa, eu juro... S-Só que...


Prof. Faraize: Eu não quero mais ouvir desculpas. Venha na minha sala após a aula para que eu te diga o que fazer.


(Eu não tive opção a não ser ficar em silêncio. É tão injusto... Onde será que foi parar este exercício?)
(No final da aula, alguns alunos vieram me dar apoio.)


Kim: Não se preocupe, guria. É apenas o Faraize, ele não vai te torturar. Coragem!


Obrigada, Kim.


Violette: Tudo vai ficar bem, tente pensar em algo que te reconforte, eu sempre faço isso quando estou angustiada.


Não é tão terrível assim, não se preocupe, Violette.


Iris: Tente explicar que você perdeu seu exercício, talvez ele entenda.


Sim, é o que eu estava pensando em fazer.


Rosalya: Prof. Faraize exagerou um pouco...


Alexy: Podemos tentar ir falar com ele, se você preferir.


Gentileza sua, mas não precisa, eu vou me virar sozinha.


Castiel: Então, você estava entediada? Estava procurando algo para se distrair? Voc~e poderia ter encontrado algo melhor do que uma hora de punição.


Muito obrigada. Não precisava, se quer saber.
Alguns vão para aula de música, outros desenham... O que posso fazer, meu lance é ser punida e ficar na sala dos professores copiando.
Não é uma boa hora, vá perturbar outra pessoa.


Castiel: Continue assim e você vai se tornar uma profissional no assunto!


Que legal...


(Eu fui na direção do professor Faraize.)


Prof. Faraize: Ah, sim, eu gostaria que você limpasse a sala de ciências. Os alunos deixaram tudo em um péssimo estado. Você pode ir embora logo depois.


Hum, sim, está bem. Mas, professor... Sobre o exercício, eu juro para o senhor que eu fiz mesmo... Mas eu não sei onde eu coloquei.


Prof. Faraize: É uma pena, mas eu preciso dar o exemplo. Eu não posso deixar que os outros pensem que eles podem fazer o que quiserem durante as minhas aulas.


E-Eu entendo.


Prof Faraize: Acho melhor você andar logo se não deseja ir embora muito tarde.


Sim, vou indo.


Corredor 2


Ambre: Eu te avisei para tomar cuidado, mas você não me ouviu e se deu mal, como sempre.


Do que você está... Ei! Esse exercício na sua mão é meu!


Ambre: Talvez...


Você conseguiu abrir o meu armário?


Ambre: Você esqueceu de fechar o armário quando a Li fez o drama dela, agora há pouco.


Eu deveria ter desconfiado de todo aquele drama...


Ambre: E você nem percebeu que o armário continuava aberto.


(Eu estava tão apressada naquela hora que eu nem me dei conta...)


Ok, me devolva agora. Eu ainda posso entregar para o professor Faraize.)


Ambre: Tem certeza/ Neste estado?


Ele está em ótimo estado!


(Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, a Ambre rasgou meu exercício no meio.)


Ambre: Olhe direito!


Você é louca!


(Ela me olhou com um sorriso no rosto antes de jogar o resto da cópia para cima, como confetes.)


Ambre: Pronto, você pode entregar para o professor Faraize. Mas eu não tenho certeza se você vai ganhar uma boa nota.


Você é mesmo a pior das...


Ambre: O que eu fiz não foi nada comparado a todo o mal que você me causou. Sinta-se feliz por eu não ter feito mais.


(Ela foi embora antes que eu pudesse encontrar força suficiente para lhe dizer alguma coisa.)
(O que me resta é limpar a sala de ciências agora.)


Sala de Ciências


Oh, Nathaniel, o que você está fazendo aqui?


Nathaniel: Eu não sei se você se lembra, mas tínhamos um encontro marcado.


E-Encontro?


Nathaniel: Para irmos juntos ao pet shop.


Eu vou acabar atrasando você com minha punição. Você não é obrigado a me esperar.
Oh, não... Eu estraguei tudo com esta maldita punição.
Puxa! O que vamos fazer agora? Eu tenho que limpar a sala de ciências!


Nathaniel: Tenho vários papéis para assinar no grêmio. Eu virei te buscar aqui logo depois, se você preferir.


Oh, é... Está bem. Gentileza sua.


Nathaniel: Até daqui a pouco e boa sorte!


(Tem muita coisa para limpar, o melhor é que eu comece o mais rápido possível.)
(Ok, eu não devo parar agora, ainda falta muita coisa para fazer.)
(Terminei. Vamos agora a outra coisa.)
(Que loucura, quanta sujeira tem aqui... Se eu andar rápido, vou poder ir embora da escola logo.)
(Não vejo a hora de acabar tudo isso.)
(Acho que não tenho mais nada para limpar agora. Eu posso ir embora.)


1º Andar


(Eu coloquei tudo no lixo ao sair da sala.)


Nathaniel: Você terminou?


Sim, pronto.


Nathaniel: Legal, vamos poder...


(Próximo)


Castiel: Docete?


Castiel? Por que você ainda está na escola?


Castiel: Pensei que você gostaria de saber que alguém iria te acompanhar na saída da escola após a punição, mas pelo jeito alguém foi mais rápido que eu.


(Próximo)


Nathaniel: Você é muito perspicaz!


(Próximo)


Castiel: Não ria de mim, você poderá se arrepender.


Por favor, não briguem... Eu pensei que isso fosse coisa do passado!


Castiel: Vá sonhando...


(Próximo)


Nathaniel: Não fale assim com ela!


(Próximo)


Castiel: Não comece de novo a tirar onda de certinho, você vem comigo ou não?


Eu prometi ao Nathaniel acompanhá-lo. Sinto muito.
Não.
Um outro momento, o Nathaniel veio me ver antes.


Castiel: Entendi tudo. Acho que me enganei sobre você.


Posso saber o que você quer dizer com isso?


(Ele foi embora sem responder, de cara fechada.)


Nathaniel: Bom, agora que ele parou a palhaçada, vamos poder ir embora.


Eu te acho ainda mais insuportável do que antes!


Nathaniel: Eu sei que eu mudei um pouco o meu jeito de ser. mas saiba que não mudei tanto assim.


Eu acredito em você.


Nathaniel: Devemos ir embora agora, está ficando tarde.


Sim, porém eu não sei onde fica o pet shop.


Nathaniel: Vamos pelo parque, não é muito longe.


Ok, então vamos.


Pátio


(Eu e o Nathaniel saímos da escola. Estou curiosa para ver como é o pet shop!)


Nathaniel: Fico contente por ter alguém comigo. É muito mais agradável estar acompanhado.


Sim, concordo.


Ambre: N-Nath?...


(Próximo)


Nathaniel: Ambre?! O que você está fazendo aqui a esta hora?


(Oh, não, ela não...)


Ambre: E-Eu estava te esperando... eu queria... Acompanhar você até em casa...


(Próximo)


Nathaniel: Oh... Digamos que não é o momento ideal, eu quero ir até o pet shop com a Docete.


(Próximo)


Ambre: No pet shop?


(Próximo)


Nathaniel: Estou com vontade de adotar um gatinho. Mas é apenas para "dar uma olhada", eu preciso ver os prós e os contra antes de decidir alguma coisa.


(Próximo)


Ambre: Oh, por favor, deixe-me ir com vocês! Estamos nos vendo tão pouco... E eu também quero um gatinho...


(Próximo)


Nathaniel: Eu não sei ao certo...


(O Nathaniel me enviou um olhar de desaprovação. Ele sabe muito bem que não é boa ideia que eu ande com a irmã dele.)


Nathaniel: Docete, tudo bem para você se a Ambre nos acompanhar?


(De jeito nenhum! Eu tenho que impedi-la!)
(Eu não quero que ela venha, mas também não quero reclamar com ele e citar o dever de história.)


Nathaniel: Docete?


Eu não gosto da ideia. Foi por causa dela que eu fui punida.


Ambre: Não dê ouvidos a ela , Nathaniel, ela faz de tudo para me impedir de ficar um pouco ao seu lado.


(Próximo)


Nathaniel: Ambre, o que você fez desta vez?


Ela roubou e rasgou meu dever de casa... Desculpe, mas não consigo me ver andando com ela.
Ela roubou e rasgou meu dever de casa... Se quiser, vocês podem ir juntos.


Nathaniel: Francamente, Ambre... Eu pensei que com tudo o que passamos nos últimos tempos, você tivesse amadurecido um pouco.


(Próximo)


Ambre: Mas ela está mentindo!


(Próximo)


Nathaniel: Algo me diz que não, eu vi o estado de pânico dela quando  professor Faraize lhe pediu para entregar o dever.


(Próximo)


Ambre: Por favor, não me deixe sozinha, eu te esperei tanto... Eu gostaria apenas de passar um tempo com você...


(Oh não... Vou me dar mal nesta história...)


Nathaniel: Bom... Se você vier, você promete deixara  Docete tranquila?


Não se preocupe, vocês podem ir juntos. Eu não quero me meter entre os dois.


Nathaniel: Não, não, você fica! Somos civilizados, não? Podemos ficar uma ou duas horas sem que uma guerra mundial seja declarada!


(Não tenho tanta certeza assim...)


Ambre: Tentarei me esforçar.


(Próximo)


Nathaniel: Perfeito! Vamos logo então!


(Próximo)
(O Nathaniel disse que temos que passar pelo parque para chegar até o petshop.)


Parque


Nathaniel: Estamos quase chegando.


(Próximo)
(Nós viramos a esquerda ao sairmos do parque e caminhamos por quinze minutos antes de chegarmos ao pet shop.)
(Chegamos.)


Nathaniel: Eu tenho que encontrar um vendedor para fazer minha perguntas.


(Próximo)


Ambre: Oh, não. Eu queria ver os gatinhos primeiro!


Estamos aqui para ajudar o Nathaniel, ele quem decide.
Não seja tão boba, o Nathaniel não vai resistir se fizermos isso. O melhor é encontrar um vendedor primeiro.
Eu também gostaria de ver os gatinhos...


Nathaniel: Oh, não tem nada. Podemos ver os gatinhos primeiro.


(Próximo)


Ambre: Legal!


(Ela passou na minha frente, pisando no meu pé discretamente.)
(Que péssima ideia, sair com eles dois...)


Setor de Gatos e Cachorros


(Os gatos estão logo ali, perto dos cachorrinhos!)


Nathaniel: Difícil resistir a umas carinhas dessas...


(Próximo)


Ambre: Eu ADORO! Você tem que comprar um!


(Próximo)


Nathaniel: Não se anime tanto, eu tenho que pensar calmamente antes de decidir alguma coisa.


Você tem razão, são seres vivos e não bichinhos de pelúcia.
Pare de ser tão sério... Estes bichinhos estão pedindo para serem adotados!
E você vai pensar no assunto por quanto tempo?



Nathaniel: Eu não poderia fazer um comentário melhor do que esse.


(Próximo)


Ambre: Você não percebeu que ela é capaz de tudo para se exibir?


(Próximo)


Nathaniel: Ambre, o que foi que eu te disse, Deixe-a tranquila.


(Próximo)


(Eu tenho que fazer com que a situação fique favorável para mim...)


Nathaniel: Vamos encontrar o vendedor agora, antes que estes bichinhos me hipnotizem completamente.


(Terminar a conversa.)


Caixa de Acessórios


Vendedora: Olá! Vocês sabem como a nossa loja funciona?


(Próximo)


Nathaniel: É... Não...


(Próximo)


Vendedora: O pet shop Green Pet se preocupa com o bem estar dos animais, nós trabalhamos em conjunto com os abrigos da região. Todos os animais que estão aqui foram doados. Adotando conosco, vocês estão fazendo uma boa ação...


Oh, que legal!


Nathaniel: Sim! Eu adoraria cuidar de um gatinho, mas antes eu preciso saber direito como cuidar dele. Poderia me ajudar?


(Próximo)


Ambre: Estes gatos são de raça?


(Próximo)


Vendedora: Dois ou três, no máximo. A grande maioria dos gatos são de rua.


(Próximo)


Ambre: Qual a melhor raça?


(Próximo)


Vendedora: Como?!


(Falar logo.)
(Deixar para lá.)


(Eu não sei como o Nathaniel faz para aguentá-la...)


Nathaniel: Ambre, se é para falar tanta besteira assim, é melhor você ficar calada!


(Ah, ah! O mundo pode ser justo!)
(O Nathaniel continuou conversando com a vendedora durante um instante. Ela explicou bastante coisa que pareceu deixá-lo tranquilo.)


Vendedora: Vamos passar para a próxima etapa. Vocês querem os gatinhos?


(Próximo)


Nathaniel: Nós já vimos os gatinhos. Agradeço pelas informações. Eu vou pensar no assunto e voltarei em breve, com certeza.


(Próximo)


Vendedora: Quando você preferir! Até breve!


Até logo!


Nathaniel: Até logo, boa noite.


(Saímos do pet shop.)
(A Ambre não falou mais comigo. Em relação ao Nathaniel, ele estava indeciso. Antes de nops despedirmos, eu pedi para que ele me contasse assim que tivesse tomado uma decisão.)


Meu quarto


(Quando será que o Nathaniel tomará uma decisão?... Quero tanto ver como será o gatinho que ele vai escolher!)
(Ontem foi tão divertido! O que será que os outros fizeram?)


Ginásio


Opa, olá.


Castiel: Nossa, cadê seu cachorrinho?


O quê?


Castiel: O Nathaniel. O carinha que te segue como uma sombra, sabe?


Não fale besteira... Eu tenho o direito de falar com ele, que eu saiba.


Castiel: Bom, o problema é seu, não meu.


Não fique zangado... Foi gentileza sua ter me esperado.


Castiel: Pois saiba que aquela foi a última vez. Espero que pelo menos você tenha se divertido com aquele idiota.


Digamos que poderia ter sido melhor...


Castiel: Você se deu conta de que o querido representante de turma é um verdadeiro inútil?


Pffff... Tinhamos combinado ir ao pet shop juntos e a Ambre resolveu se meter entre nós dois.


Castiel: Deve ter sido bem animado.


Pois é, faltou apenas você para que tudo fosse perfeito!


Castiel: Mas o que vocês foram fazer em um pet shop?


Ora, fazer o de sempre: assistir filme, fazer as unhas e dormir por lá.
Para dar uma olhada. O Nathaniel está pensando em adotar um gatinho, mas ele queria fazer umas perguntas antes.
Nós fomos para ver gatinhos bem fofinhos!


Castiel: Você quase que foi engraçada. Obrigado por me fazer imaginar o Nathaniel passando esmalte nas unhas.


Para falar a verdade o Nathaniel queria ver uns gatinhos. Ele está pensando em adotar um.


Castiel: E finalmente ele adotou um destes bichos?


Ainda não. Ele pediu um tempo para pensar. 


Castiel: Vindo dele não me surpreende... Sabia que também preciso ir ao pet shop. Dragon estragou completamente a guia dele, eu preciso comprar uma mais forte.


Isso que dá comprar corrente para yorkshire! Ha ha!
Ah, puxa. Mas ele deve ser bem forte mesmo.


Castiel: Você nem pode imaginar. Como você sabe onde fica, poderia ir comigo?


Oh, é... Sim, por que não? (Eu não imaginava que o Castiel ia me propor isso...)


Castiel: Poderíamos ir neste final de semana, se for bom para você.


O-Ok, se for bom para você também.


Sala de Aula B


Armin: BEM NA SUA CARA, SEU...


Opa!


Armin: Ah, Docete... Desculpe-me eu estou...


(Próximo)


Armin: SACO!


(Ele desligou o console, super zangado.)


Armin: Foi uma má ideia ter escolhido Jigglypuff como personagem.


Você está jogando o que?
Você está jogando Pokemon?
Você está jogando Super Mario Bros?


Armin: Pois é... Eu decido fazer um super ataque e este idiota começa a dormir... Que raiva!


Acho que isso não ajuda muito...


Armin: Não, claro que não! Você também tem dificuldades com este pokemon enjoado?


Não, eu não tenho este jogo, mas o vi quando ele saiu.


Armin: Pois eu não aguento mais olhar para ele. Eu preciso pensar em outra coisa!


Oh, não sabia... Você quer saber o que eu fiz ontem após a aula?


Armin: Vai, conta.


O Nathaniel está na dúvida se adota ou não um gatinho. Por isso, fomos ao pet shop saber um pouco mais sobre o assunto.


Armin: Eu não entendo, por que você tinha que ir com ele?


Com tudo o que aconteceu estávamos... distantes. Foi a maneira que encontramos para nos aproximar aos poucos.


Armin: Sim... Ele não é nada bobo, hein?


O que você quer dizer com isso?


Armin: Nada demais.


(Terminar a conversa)


Escadaria


Olá, Lysandre!


Lysandre: Como vai você?


Estou bem. Eu fiz um passeio diferente ontem.


Lysandre: Verdade?


Eu fui ao pet shop com o Nathaniel. Nós vimos alguns gatinhos! Uma pena que a Ambre tenha nos seguido...


Lysandre: Você está andando bastante com o Nathaniel...


Digamos que estamos nos reconciliando aos poucos, depois de tudo o que aconteceu.


Lysandre: Digamos que vocês estão mais próximos do que antes.


Eu não sei... Tem algum problema?


Lysandre: ... Não, claro que não.


(Próximo)


Lysandre: E por que vocês precisavam ir ao pet shop?


Fomos por causa do Nathaniel. Ele adoraria ter um gatinho. Mas ele continua o mesmo, está precisando de um tempo para pensar bem antes de tomar uma decisão.


Lysandre: Ele está certo. É uma verdadeira responsabilidade. Eu não sei se poderei um dia cuidar de um animal de estimação...


Não podemos esquecer de alimentá-lo, com certeza!
Pois eu tenho certeza que sim. Você está se subestimando.
Acho que nem vale a pena tentar, eu te conheço bem.


Lysandre: Você é encantadora.


(Próximo)


Lysandre: É... Eu quero dizer... Gentileza sua me dizer isso.


É o que eu penso.


Lysandre: Porém eu não acho que você esteja certa.


Pois eu acho.


Ginásio


Kentin: Você deve estar bem zangada...


Zangada? Eu? Não, por que?


Kentin: Por ter ficado de castigo...


Ah! Foi super chato, mas esqueci rápido.


Kentin: Você não se deixa abater, que bom!


Para falar a verdade, eu dei uma volta na cidade assim que saí da escola, não tive muito tempo para pensar no assunto.


Kentin: Ah, é? E o que você fez?


O Nathaniel está pensando em adotar um gatinho, ele tinha algumas perguntas para fazer à vendedora. Eu o acompanhei.


Kentin: Saída estranha...


Não é tão estranho assim...


Grêmio


Nathaniel: Eu já me decidi.


Ah!


Nathaniel: Eu vou para um pet shop e desta vez sairei com um gatinho.


Que legal!


Nathaniel: Eu vou este final de semana.


(Puxa! Já tenho um compromisso este final de semana. Se o Nathaniel vier ao mesmo tempo vai ser um pouco difícil...)


Nathaniel: Docete?


(O melhor é cancelar o meu outro encontro. Eu prefiro voltar ao pet shop com o Nathaniel.)
(Deixa para lá, eu vou falar para o Nathaniel que vou ao pet shop com outra pessoa. Além disso, eu já o acompanhei uma vez.)


Para falar a verdade... Eu tinha comentado sobre o pet shop e alguém se prontificou a ir comigo este final de semana.


Nathaniel: Oh... Entendi.


Eu não imaginava que você iria tomar a decisão tão rapidamente.


Nathaniel: Bom, não tem problema. Eu vou sozinho.


Senão, podemos ir juntos um outro momento?
Está bem.


Nathaniel: Você não vai passar sua vida no pet shop. Não é tão grave assim, voc~e poderá ver o gatinho um outro momento.


Bom... Como queira.


Sala de Aula A


Alexy: Não estou dizendo que sou eu quem escolhe as roupas dele?... 


Rosalya: Deve ser tão agradável... O único que posso ajudar é o Leigh. Mas esse é o trabalho dele e para completar, ele já tem bom gosto e sabe se vestir.


Ah, ah! Vocês tem muita coisa em comum para conversar.


Alexy: É muito bom conversar sobre roupa com alguém que domina o assunto!


Rosalya: Falando nisso, temos que organizar uma saída juntos, os três!


Eu não sou tão boa no assunto. Vocês deveriam ir juntos.


Alexy: Está fora de cogitação deixar você escapar desta maneira.


Rosalya: Concordo. E que tal se fôssemos ao shopping neste final de semana?


Este final de semana eu não posso... Já tenho um compromisso.


Alexy: Como assim, você já tem um compromisso?


Não é nada de importante.


Rosalya: Você está querendo nos esconder alguma coisa!


Se eu contar, sei que vocês vão acabar interpretando mal...


Alexy: Falou demais.


Rosalya: Você é obrigada a contar.


Eu tenho que sair com o Castiel.


Rosalya: O que vocês irão fazer?


N-Nós tinhamos combinado ir ao pet shop.


Rosalya: Ninguém nunca me propôs um negócio desses.


Alexy: Estranho escolher este lugar para namorar!


Não é um encontro amoroso! É apenas um encontro, nada além disso...


Rosalya: Esta história está muito mal contada...


Eu não sei o que tem de romântico um encontro no pet shop!


Rosaly: Não sei ao certo, continua sendo fofo, os gatos, os cachorros, os coelhos...


(Próximo)


Alexy: Os axolotes!


Hein? O que é isso?


Alexy: São anfíbios lindos!


Rosalya: Você está brincando... Estes bichos são horríveis!


Bem, tudo isso para dizer que este final de semana não poderei ir ao shopping com vocês.


Rosalya: Quer dizer que você vai passar o dia no pet shop?


N-Não, mas...


Alexy: Você tem tempo suficiente para fazer as duas coisas. Além disso, com um pouco de sorte, ainda irá conseguir um lindo traje para o seu encontro!


Eu vou para um PET SHOP, não preciso de um vestido de festa!


Rosalya: Ninguém está falando de vestido de festa. Ficar bonita no primeiro encontro á algo bem mais sutil do que isso.


(Eu olhei para o alto, reclamando, mas no fundo eu devo confessar que gosto da ideia de passar um pouco de tempo com a Rosa e o Alexy.)


Está bem, mas temos que nos organizar bem para que tudo não caia na mesma hora.


Alexy: Está certo.


Rosalya: Você não vai se arrepender, você vai ficar super estilosa.


(Próximo)
(A Ambre e suas amigas abriram a porta da sala. Elas nos olharam, rindo de nós, antes de irem embora.)


Rosalya: O que ela quer?


Eu acho que vou tê-la sempre no meu pé... Mesmo com o que ela fez ontem.


Rosalya: Como assim?


Bom... Ela conseguiu roubar meu exercício de história. Foi por causa dela que eu tive uma hora de castigo. Ela esperou que eu saísse da sala para rasgar o meu trabalho na minha frente.


Alexy: Ela tem que se acalmar, ela está indo longe demais.


Rosalya: Você não pode deixá-la fazer uma coisa dessas!


A Ambre sofreu muito nos últimos dias... Eu não quero adicionar mais problemas.


Alexy: Ela conseguiu se virar direitinho para te atazanar, pelo que estou vendo.


Pois eu prefiro vê-la assim...


Rosalya: Não acredito, viu?


(Eles ficaram olhando para mim por alguns segundos.)


Rosalya: Temos que ir. Venha Alexy, temos coisas para fazer.


(Próximo)


Alexy: Sim, estou indo. Até mais tarde, Docete.


É, ok...


(Eles devem estar tramando alguma coisa... Eu vou esperar para ver se eles me falam algo.)


Corredor 2


Diretora: Parece que ela é bem dinâmica... Não é tão mal assim...


(Próximo)


Prof. Faraize: O dinamismo é bom, mas não é tudo... Temos que ser pedagogos também.


(Próximo)


Diretora: Talvez, mas não existe pedagogia sem um pouco de autoridade! Você deveria pensar bem nisso...


(Próximo)


Prof. Faraize: ...


(Eu não sei do que eles estão falando, mas com certeza a diretora não parece estar satisfeita com o trabalho do professor Faraize.)
(O melhor é eu ir para a sala de aula antes passar por uma imitação da Peggy...)
(Eu pude perceber depois que a Rosa e o Alexy estava super ocupados. Parecia que eles tinham passado muito tempo escrevendo algo que não tinha nada a ver com a aula...)
(Quando eu perguntei o que estavam fazendo, eles responderam que era uma lista para levar ao shopping, no final de semana. Eu não acreditei muito...)


Ginásio


(O Kentin e a Ambre estão brigando... Estranho.)


Ambre: Eu entendi logo que era você. Visto que você se deu conta do próprio erro, eu pensei que poderíamos tentar algo, eu e você...


(Hein?!)


Kentin: Mas do que você está falando?!


(Próximo)


Ambre: Não se faça de bobo, eu estou prestes a te perdoar por ter quebrado o meu celular. Você não precisa se preocupar com isso, Foi a idiota da Docete quem pagou.


(Próximo)


Kentin: Quer dizer que além de louca, você continua se aproveitando das pessoas!


(Próximo)


Ambre: Eu... Eu não estou entendendo... Como você pode ter me escrito esta carta e me falar desta maneira?


(Próximo)


Kentin: De qual carta você está falando?!


(Próximo)


Ambre: A... A carta... esta carta!


(A Ambre balançou um papel no rosto dele.)
(O Kentin olhou para o papel durante alguns instantes...)
(... Antes de cair na gargalhada.)


Kentin: Eu não sei quem te escreveu isso, mas ou ele está rindo de você ou ele gosta de sofrer!


(Próximo)


Ambre: M-Mas a carta está falando do meu jeito de beijar e tudo...


(Próximo)


Kentin: Opa, não tenho nada a ver com isso, ainda bem.


(A Ambre foi embora rapidamente, vermelha de vergonha.)
(O Kentin foi para o outro lado, ainda gargalhando muito.)


Alexy: Você viu, Docete?


Rosalya: Nosso plano deu certo!


Eu acho que não tenho todos os elementos para entender o que está se passando...


Alexy: Espere, eu te explico!


(Próximo)


Rosalya: Eu e o Alexy estávamos... Indignados com o que a Ambre tinha feito para você.


(Próximo)


Alexy: E sabíamos que você não iria se vingar.


(Próximo)


Rosalya: Porque você ainda se sente culpada com a decisão do Nathaniel em sair de casa.


Para falar a verdade, eu nem tinha pensado nisso...


Alexy: Então... Elaboramos um plano maquiavélico!


(Próximo)


Rosalya: Resolvemos escrever uma falsa carta de amor anônima para a Ambre.


(Próximo)


Alexy: E vai saber por que aquela tonta pensou logo no Kentin!


(Próximo)


Rosalya: Talvez ela o ame secretamente...


Não, a Ambre está apaixonada pelo Castiel há muito tempo. Mas ela já beijou o Kentin. Talvez seja por isso que ela tenha pensado nele...


Alexy: Hein?! O Kentin e... a Ambre?!


Sim, é complicado... O Kentin queria se vingar do que ela tinha feito no passado, antes dele entrar na escola militar...


Alexy: Eu não sei como beijar alguém pode significar uma vingança... A não ser que a pessoa beije muito mal!


No começo a Ambre não o reconheceu... Depois, o Kentin a rejeitou. Bem, eu sei, é um pouco estranho como vingança.


Alexy: Verdade, estranho isso... Mas confesso estar decepcionado com o Kentinho!


(Próximo)


Rosalya: Algumas vezes é complicado entender o coração dos outros.


Mas ele nunca foi apaixonado pela Ambre!


Rosalya: Quem sabe?


(Próximo)


Alexy: Eu não quero acreditar nisso! Eu preciso falar com você!


(Próximo)
(Eu tenho sorte em ter amigos que se preocupam comigo, mas... Eu acho a vingança da Rosalya e do Alexy um pouco ridícula...)


Pátio


(Chegou a hora de ir para casa.)
(Eu vou ter um fim de semana animado! Não vejo a hora!)


Philippe: Olá, querida!


Olá, papai.


Philippe: Você não me contou quanto você tirou naquele exercício sobre a Industrialização. Você tirou uma boa nota?


(Oh, não!... Eu devia ter imaginado... Não consigo contar ao meu pai o que aconteceu e não quero vê-lo metido nisso.)


Philippe: Docete?


Na verdade... O professor não entregou ainda.


Philippe: Ah, certo, tem pouco tempo mesmo. Você me dirá, então?


Digo sim... (Espero que ele esqueça a existência deste maldito exercício, mas eu acho que não devo sonhar muito...)


(Durante o resto da semana, eu não parei de pensar no que aconteceria no final de semana.)
(A espera foi longa, mas aqui estou eu! Acabaram-se as aulas, agora é shopping e pet shop!)


Ponto de Ônibus


(O Alexy e  a Rosalya já estão ali, eles estão me esperando.)
(Comprei um tiket de ônibus por 10$)


Olá!


Rosalya: Oi!


Alexy: Está pronta para a melhor ida ao shopping da sua vida?


Ah, ah! Digamos que sim!


Alexy: Muito bem, então vamos.


(Próximo)
(O trajeto não é tão longo.)
(A última vez que eu vim aqui, encontrei o Dake e a Lety. Talvez encontraremos outros conhecidos...)


Alexy: Começamos por onde?


(Próximo)


Rosalya: Eu gostaria muito de comprar algumas jóias, mas eu não conheço bem este shopping. Vocês sabem em que direção devo ir?


Você pode ir na loja Clara's.


Rosalya: Ok, vou te seguir.


(Terminar a conversa)


Loja Clara's


Rosalya: Hum... Tem certeza de que estamos no lugar certo?


Bem... Sim, por quê?


Rosalya: Não podemos dizer que isto aqui são jóias...


(Próximo)


Alexy: Você acha que é de má qualidade, hein, Rosa?


(Próximo)


Rosalya: Digamos que um pouco, sim...


Podemos ir em outras lojas para ver.


Rosalya: Será melhor mesmo.


(Terminar a conversa.)


Em frente à Julien


Alexy: Eu tenho que ir na loja Julien! Há séculos que eu não vou!


E para você, o que significa séculos?


Alexy: Pelo menos três semanas!


(Próximo)


Rosalya: Vamos agora, vou deixar as jóias para lá, eu não vi nada de especial.


Ok, vamos na loja Julien então.


Loja Julien


(Ficamos por meia hora na loja Julien, enquanto o Alexy provava as roupas que tinha gostado... O que significa metade da loja!)


Em Frente à Julien


Rosalya: Você escolheu lindas peças, Alexy... Mas não é bem o estilo que eu prefiro para um rapaz.


(Próximo)


Alexy: Nem todo mundo pode ser um adepto ao look vitoriano!


Ah ah, posso dizer até que é raro.


Rosalya: Eu tenho certeza de que combinaria bastante com você, Docete.


Eu não sei...


Alexy: Inclusive, você conseguiu escapar até agora, mas acabou. Chegou a hora de comprar um traje para o seu encontro!


Não chega a ser uma obrigação...


Rosalya: É realmente frustrante fazer compras com você.


(Próximo)


Alexy: Eu e a Rosalya podemos dar uma olhada no seu lugar.


(Próximo)


Rosalya: Oh, boa ideia! Cada um de nós vai te propor um traje e você só vai precisar escolher o seu preferido!


(É um método estranho, mas eles parecem tão felizes quanto se alguém tivesse entregue um cartão de crédito ilimitado para esvaziar as lojas.)


Se isso te deixa feliz...


Alexy: Legal!


(Nós entramos em acordo sobre orçamento. Eu não estou com muita vontade de entrar em falência por um pseudo encontro amoroso.)


Rosalya: Nos encontramos daqui meia hora, se você preferir. É melhor se você tivesse uma surpresa.


Ok, mas...
... Nos encontramos onde? (Eles foram embora antes que eu pudesse terminar a minha pergunta.)


Praça de Alimentação


(Aquelas duas garotas ali... Não acredito, eu acho que são...)
(... A Melody e a Bia!)
(Eu não sabia que elas eram tão unidas a ponto de saírem juntas.)


Bia: Ah, o que você está fazendo aqui sozinha?


Eu não estou sozinha, estou esperando a Rosalya e o Alexy.


Bia: Que tristeza ser obrigada a ter que inventar amigos imaginários.


Acredite no que você quiser, eu não estou nem aí.


(Puxa vida, a Melody não não me suporta mesmo, ela está calada, me olhando de cara feia.)


Melody... Você não acha que devemos conversar?


Melody: Eu não estou com vontade de conversar com voc~e.


(Próximo)


Bia: Você ouviu? Ela não está com vontade de falar com você.


Eu entendi bem, obrigada. Você deveria ficar fora disso, Bia, não é problema seu.


Bia: Você não manda em mim! Eu faço o que bem entender. 


(Próximo)


Melody... Nós nos dávamos bem! Por que você está zangada desta maneira agora?


Melody: Você sabe muito bem, você fica o tempo todo atrás do Nathaniel...


Você está sabendo que eu o ajudei um pouco... recentemente.


Melody: Eu soube sim.


Coloque-se no meu lugar. O que você teria feito? Se eu tivesse deixado o Nathaniel na mesma situação, eu nunca me perdoaria...


Melody: É... É verdade, mas...


O Nathaniel ficou zangado comigo no principio. Mas depois ele me perdoou. Eu não vou ignorá-lo por sua causa!


Podemos muito bem sermos próximos, não?
E você quer saber? O Nathaniel nunca me interessou, você não precisa ficar com ciúmes!


Melody: Sim, com certeza... Só que é... Difícil aceitar...


(Próximo)


Bia:Você não pode deixá-la continuar fazer isso, Melô.


Céus, CALA A BOCA, Bia!


Melody: Eu sei que fui injusta com você... mas entenda, eu gosto muito do Nathaniel. é difícil aceitar que ele esteja ligado a alguém.


Eu entendo. Mas o melhor é conversar sobre o assunto calmamente, ao invés de guardar para si, não acha?


(A Melody suspirou enquanto a Bia olhava para o céu.)


Melody: Você tem razão, Docete. Eu... Eu... fui longe demais. Eu te peço desculpa.


Desculpas aceitas. Eu não gosto da ideia de ficarmos sem nos falar, sabe.


Melody: Igualmente.


(Próximo)


Bia: Bom, vamos agora? Eu tenho que comprar algumas coisas.


(Próximo)


Melody: Nos encontramos na escola, Docete. Boas compras.


Obrigada, até mais tarde.


(Que bom que tudo foi resolvido!Só espero que a Melody não faça mais cara feia para mim...)
(Após esta discussão, eu confesso não ver a hora de encontrar a Rosalya e o Alexy...)


Praça de Alimentação


Alexy e Rosalya: Docete?


Ah, vocês estão aqui!


Rosalysa: Nós escolhemos para você dois trajes bem diferentes!


(Próximo)


Alexy: Escolha o traje que você prefere. Irepos devolver o outro para a loja.


Ok.(A Rosalya me propôs uma blusa azul e o Alexy um vestido preto.)



Eu escolho o seu Rosa,.Sinto muito, Alexy, mas é realmente este que eu prefiro.


Alexy: Não tem problema, vou tentar fazer melhor da próxima vez.


Hum... Eu não tenho certeza que termeos próxima vez...


Rosalya: Eu confesso que é raro te dizer isso, mas... Parabéns por sua escolha!


Obrigada, mas você não é muito objetiva...


Alexy: Não é mesmo!


(O Alexy foi devolver o traje na loja e eu reembolsei a Rosa.)
(Nós passamos por algumas lojas antes de voltarmos para casa.)
(Eu tinha acabado de me arrumar quando a campainha tocou.)


É para mim! Deixa que eu abro a porta!


(Eu preciso ir, não quero que o meu pai ou a minha mãe abram a porta.)


Apê


(Eu fui rapidamente, gritando alto "até logo".)


Castiel: Está com pressa em me ver, não?


Não, quer dizer...


Lucia: Docete! Bem que você poderia ter deixado o seu amigo entrar!


Mãe, pai! Por que vocês saíram?


Lucia: Este jovem teve a gentileza de te procurar aqui, o minimo que poderíamos fazer era falar com ele.


(Meu pai não falou nada, mas não parece muito feliz não...)


Lucia: Eu me lembro de ter encontrado você no dia de visita à escola


(Próximo)


Castiel: Exatamente.


(Próximo)


Philippe: Você se chama Cassy, não é isso?


(Opa... Eu devo ter dito este apelido na frente dos meus pais...)
(Eu pensei que o Castiel fosse engasgar, indignado. Mas ele recuperou logo.)


Castiel: Não, eu me chamo Castiel.


(Próximo)


Philippe: Podemos saber onde voc~es pretendem ir?


(Próximo)


Castiel: Vamos ao pet shop.


(Próximo)


Lucia: Que lugar engraçado para marcar um encontro!


(Todo mundo tem que parar de dizer isso...) NÃO é um encontro!!


Castiel: Ah, é?


(Próximo)
(Desta vez foi meu pai que se engasgou.)


Bom, hum... Vamos embora, é melhor!


Lucia: Sim, vamos embora.


(Próximo)


Philippe: Mas não volte tarde demais.


Sim, pai... (Eu acho que vou morrer de vergonha...)


Castiel: Eu tenho a impressão que o seu pai não vai muito com a minha cara.


Eu acho que é difícil para ele me ver ao lado de um rapaz.


Castiel: Fala sério... Bom, vamos?


(Terminar a conversa)


Parque


(Atravessamos o parque.)
(Não estamos tão longe...)


Chegamos.


Vendedora: Olá! Vocês sabem como o nosso pet shop funciona?


Sim, seus animais são dos abrigos da cidade.


Vendedora: Ah, sim, eu me lembro, você veio com um outro rapaz. Ele não sabia se adotava um gatinho ou não. Você trouxe alguém mais decidido hoje?


(Próximo)


Castiel: Eu não vim comprar um animal, o que eu tenho já me basta.


(Próximo)


Vendedora: Então em que posso ser útil?


(Próximo)


Castiel: Eu vou me virar sozinho, eu sei o que estou procurando.


(Próximo)


Vendedora: Como preferir, não deixe de me perguntar se tiver alguma dúvida.


(Terminar a conversa)


Setor de Gatos e Cachorros


Olha esses cachorrinhos! Não te dá saudades de quando o Dragon era apenas um filhote?


Castiel: Não. Ter um filhote não é nada fácil. Ele chora quando está sozinho, gosta de estragar o mobiliário e faz suas necessidades na casa toda, exceto do lado de fora.


Você fala assim, mas tenho certeza de que vê-los te tocou.


Castiel: Sim, quando me lembro que eu colocava casaco de Chihuahua para que ele não ficasse com frio...


Imagino a cena linda...


Castiel: Boba.


(Terminar a conversa)


Setor de Roedores


Castiel: Eu não consigo entender como alguém pode gostar destes bichos. Não tem coisa mais inútil...


Você está exagerando... E elas não existem para serem úteis, se quer saber.
Pois eu acho fofo demais!


Castiel: Você perderia essa pose se fosse mordida pelo rato enorme que está ali.


Que rato enorme?!


Castiel: É tão fácil enganar você...


Pfff...


Caixa e Acessórios


Castiel: Bom, eu vou tentar escolher uma guia mais segura desta vez.


Você quer que eu te ajude?
A vendedora parece querer te ajudar sempre...


Castiel: Se ela quer mesmo... Talvez possa me ajudar.


Eu te deixo conversar com ela então.


Castiel: Ok, faça isso.


(Eu me distanciei um pouco enquanto o Castiel foi na direção da vendedora.)
(Meus olhos bateram nas coleiras para cachorro. Tem uma rosa com folhinhas. Tem até uma guia para combinar! Eu imaginei o Dragon usando-as e segurei a risada.)
(De repente tive uma ideia... E se eu comprasse a coleira para fazer uma brincadeira com o Castiel?)


(Mesmo se custa caro, quero levar minha ideia até o final.)
(Não, que ideia, eu não quero gastar o meu dinheiro com uma bobagem dessas...)


(Pagar 35$)
(Eu esperei que a vendedora terminasse de aconselhar o Castiel e me aproximei dele silenciosamente.) 


Castiel: Mas, o que você...


(Sem pensar duas vezes, eu passei a coleira no pescoço do Castiel.)


Castiel: Você acha graça nisso?!


Bem... ( Eu não pude deixar de cair na gargalhada.)


Vale dizer que combina bastante com você!


Castiel: Sim, claro, agora só preciso da guia.


Já que você diz...


(Eu continuei colocando a guia que combinava com a coleira rosa.)





Castiel: Você é uma criança mesmo, hein?


(Ele se aproximou de mim e tentou me segurar, mas eu me desviei.)


Clama, quando usamos uma coleira dessas, não podemos ser agressivos!


Castiel: Você não perde por esperar...


(O Castiel retirou os "acessórios" e foi pagar a nova guia.)


Tome, não esqueça a sua coleira nova.


Castiel: Você comprou mesmo este horror?


É um presente, não se deve recusar. Além disso, você e Dragon podem emprestar um ao outro.


Castiel: Você é impossível.


Eu sou extremamente generosa!


Castiel: Eu tenho tudo o que preciso. Podemos ir agora ou você ainda quer ficar babando na frente dos animais?


Não, está bem, podemos ir.


(Nós saímos do pet shop. Eu me despedi do Castiel e fui para casa.)


Meu quarto


(Foi legal... Ver todos aqueles bichinhos... Saí de lá tão feliz.)


Lucia: Então, como foi?


É...


Philippe: Eu acho que você chegou muito tarde.


E no entanto foram dez minutos antes do horário que você tinha me dito...


Lucia: Deixe-a em paz, ela tem direito de se divertir.


(Eu contei meu passeio aos meus pais.)
(Quando eu voltei à escola, estava ciente que ainda iria falar sobre o pet shop.)


Escadaria


Lysandre: Onde eu coloquei...


Você perdeu mais alguma coisa?


Lysandre: Oh, não é nada, é apenas algo para o meu grupo. Eu vou me lembrar.


Você precisa de ajuda?
Ah, ah! Eu não estaria tão certa se fosse você.
Não cheguei em boa hora, hein?


Lysandre: Às vezes eu tenho a impressão de que você me entende cada vez mais.


Digamos que aprendi a te conhecer melhor com o tempo.


Sala de Aula A


Nathaniel: Ah, eu estava justamente te procurando.


Verdade?


Nathaniel: Eu queria te dizer que voltei ao pet shop este final de semana...


(Poderíamos ter nos encontrado...)


Nathaniel: Eu fui com a Ambre, ela ficou contente.


Sim, ela deveria estar nas nuvens...


Nathaniel: E tomei a decisão, adotei um gatinho. É uma gata birmanês, fêmea. O nome dela é Branca. Ela é super carinhosa.


Fico feliz por você. A gatinha vai trazer alegria para o seu novo lar.


Nathaniel: Sim. Além disso, vou ter outra coisa para fazer além de estudar. Ela já começou a arranhar os móveis.


Ah... É normal, ela é novinha, você tem que educá-la um pouco.


Nathaniel: Sim, claro. Mas é difícil ficar zangado. Ela é tão adorável.


Com certeza! Pelo jeito você não se arrependeu, hein?


Nathaniel: De jeito nenhum!


(Terminar a Conversa.)


Sala de Aula A


Rosalya: Aqui está nossa malandrina!


Como?


Alexy: Você é insuportável, poderia ter nos dado notícias!


Mas...


Rosalya: Notícias do seu ENCONTRO!


Vocês são impossíveis, não houve nada de romântico nesta história.


Alexy: Mas conta, como foi?


Foi legal O Castiel comprou uma guia para o cachorro.


Rosalya: E?...


"E" o quê?


Alexy? Não me diga que vocês não se aproximaram mais!


Foi um passeio entre amigos, nada mais.


Rosalya: Podemos ser impossíveis, mas você é mesmo limitada.


(Próximo)


Alexy: Ou cega.


Por que cega?


(Paramos de falar ao ouvirmos passos.)
(É a Bia indo embora... Será que ela estava próxima há muito tempo?...)


Alexy: Deveríamos sair daqui, não tem jeito para conversarmos tranquilamente nesta escola.


(Terminar a conversa.)


1º Andar


(Olha quem está aqui... Faz tempo que eu não via a Peggy.)
(Ela está conversando com a Bia. O que será que as duas estão falando?...)
(Eu me aproximei discretamente.)


Bia: Você está dizendo que não vai publicar minha informação?


(Próximo)


Peggy: Não chega a ser uma novidade, é só um namorico entre estudantes, ninguém se interessa por isso.


(Próximo)


Bia: Pelo contrário, eu acho que muita gente ficaria interessada.


(Próximo)


Peggy: Que eu saiba, não é você a redatora chefe do jornal. Deixe-me em paz agora.


(Próximo)


Bia: Mas... E eu que pensei que você iria gostar de perturbar um pouco a Docete... Pelo que eu entendi, ela não foi muito gentil com você nos últimos tempos.


(Não acredito! A Bia deve ter contado a ela toda a conversa que tive há pouco com a Rosa e o Alexy...)


Peggy: Suas informações não são seguras... E eu já me deixei enganar pela Debrah, não estou com a mínima vontade de seguir rumores novamente, como uma tonta. Agora, se você me der licença, eu gostaria de ir para a minha aula.


(A Bia deu uma pisada forte no chão antes de dar meia volta e ir embora.)
(A Peggy deu um suspiro desanimada. Sem pensar duas vezes, eu fui na direção dela.)


Gentileza sua o que acabou de fazer.


Peggy: Hein?


Imagino que antigamente você não hesitaria em publicar no jornal da escola tudo o que a Bia te falou.


Peggy: Os seus pseudos encontros com rapazes com rapazes da escola não são tão interessantes assim. Não iria agregar valor ao jornal...


Hum... Digamos que não é da conta de ninguém.


Peggy: Era isso o que você queria me dizer?


Na verdade, não. Pr falar em jornal... Por que não saiu um novo número?


Peggy: Eu tenho mais o que pensar no momento. Posso ir agora?


Oh, é... Sim, claro.


(A Peggy pode falar que a minha vida privada é sem interesse, mas eu tenho certeza de que o fado de ter sido punida pela diretora a fez pensar duas vezes agora.)


Corredor 2


Olá, Armin.


Armin: Oi!


Você sabia que o seu irmão me levou para visitar umas lojas este final de semana?
O que você fez este final de semana?
Uma pena que não nos encontramos neste final de semana...


Armin: Oh, nada de especial, joguei bastante. E você, pelo que eu soube, foi ao shopping com o Alexy?


Eu não tive outra saída, ele fez equipe com a Rosalya, impossível recusar.


Armin: Que azar! Você nem imagina como eu te entendo.


Tudo bem, não é o fim do mundo, é sempre legal sair com os amigos.


Armin: Nada disso entre nós, eu te entendo.


Ah, ah, você está exagerando, não acha?


Armin: Não...


(Terminar a conversa.)


Sala de Aula A


(Ah, Melody.)


Melody: Ah, olá Doecte, tudo bem?


É... Tudo bem, e você?


Melody: Não podia estar melhor!


(Havia tempo que eu não a via tão sorridente assim.)


Melody: Estou realmente feliz por termos nos encontrado no shopping, sabe? Fiquei mais aliviada em ter esclarecido tudo. Talvez devêssemos fazer algo entre meninas, não? Como no meu aniversário, foi legal.


S-Sim, por que não? Vamos pensar.


Melody: Eu te digo se tiver novidades.


(Terminar a conversa.)


Ginásio


(Não tem ninguém aqui.)


BUU!


(Meu coração parou.)


Kentin: Hihi...


Gente! Que bicho te mordeu! Você quer me matar do coração?


Kentin: Não, estou treinando!


Treinando?...


Kentin: Para conseguir assustar o Alexy e o Armin. Eles vão ver que eu posso perturbá-los também.


São dois conta um, vai ser mais difícil com eles do que comigo.
É um pouco infantil esta reação, não?
Você tem razão, eles precisam aprender uma lição.


Kentin: Você pensa igualzinho a um militar.


(Terminar a conversa.)


Corredor 2


Castiel: Você! Quanto tempo.... Estava me evitando ou o que?


Não, pelo contrário, estava te procurando!


Castiel: Nosso encontro te marcou?...


E-Eu só queria saber se a coleira do Dragon ficou legal.


Castiel: Você não me diz não, hein? Você até acreditou que poderia me passar um laço no pescoço, se não me engano.


Na verdade, era uma coleira e uma guia... E não um laço.


(Ele se aproximou de mim... Ele estava tão perto que o meu coração começou a bater forte.)


Castiel: É a mesma coisa, não? Saiba que sou eu quem toma iniciativas deste tipo normalmente.


(Está fazendo um calor, de repente!)


Castiel: Tente se lembrar no futuro... Tábua de passar roupa.


(Terminar a conversa.)


Pátio


(Eu posso sair da escola agora.)
(Com toda essa ida e volta ao pet shop, fiquei com vontade de pedir aos meus pais para adotar um pet também... Eu tenho que convencê-los e sei que não vai ser fácil...)


Meu Quarto


(Eu estava pensando como iria pedir um animal de estimação quando os meus pais bateram na porta do meu quarto.)


Podem entrar!


Lucia: Boa noite, minha querida.


Boa noite!


Philippe: O seu dia correu bem?


Sim, tudo bem.


Lucia: Vamos jantar, você vem?


Esperem! Eu gostaria... Eu gostaria de pedir algo...


Philippe: O que?


Vocês viram que eu fui várias vezes ao pet shop nos últimos dias.


Philippe: Sim...


(Opa, pela cara que ele fez, já sei que não vai dar certo.)


Eu me considero grande o suficiente para cuidar de um animal de estimação e...


Lucia e Philippe: ...


Eu gostaria de adotar um gato.
Eu gostaria de adotar um cachorro.
Eu gostaria de adotar um coelho.


Philippe: Você já sabe o que pensamos sobre o assunto, Docete.


(Próximo)


Lucia: Os coelhos roem fios elétricos, se escondem embaixo dos móveis, temos que ficar sempre de olho.


(Próximo)


Philippe: Ou seja, somos obrigados a deixá-lo na gaiola e não vejo a graça em ter um animal prisioneiro. E nem falo do odor na gaiola.


Mas se eu...


Philippe: Não insista, a resposta é não.


(Próximo)


Lucia: Você fará o que bem entender quando for independente.


(Próximo)


Philippe: No momento, somos nós que estabelecemos as regras e não queremos animais nesta casa.


(Eu quase não falei nada, meus pais estava intransigentes...)
(Eu continuei tentando durante vários dias, mas não adiantou nada... Deixa para lá, pelo menos eu tentei.)
(Mas estas idas ao pet shop não me ajudaram a ficar mais atenta às aulas... Chegou a hora de dar a volta por cima.)


Escadaria


(Uau, por que eles estão reunidos? Os rapazes estão discutindo algo.)


Nathaniel: Olá, Docete. Você não imagina o que fizemos este final de semana.


"Nós"? Você quer dizer vocês quatro?


Armin: Ouvimos sobre a gatinha do Nath e acabamos nos deixando influenciar.


(Próximo)


Alexy: Eles decidiram ir ao pet shop.


(Próximo)


Kentin: Confesse que você gostou de ir conosco, Alexy.


(Próximo)


Nathaniel: E como eu era o único que conhecia o caminho, eu me propus voltar lá para mostrar para eles.


(Próximo)


Armin: Foi excelente! Graças a você, encontrei o Rocket.


É... "Rocket"?


Armin: Meu ferret!


(Próximo)


Kentin: E eu pude adotar o Cookie.


(Eu olhei para eles sem entender.)


Kentin: É um cachorrinho. Eu tive que pedir autorização aos meus pais. Meu pai disse que era uma boa maneira de adquirir senso de responsabilidade.


Que coisa, vocês todos tem um animal agora. (Eu me sinto ainda mais frustrada por não ter um...)


Alexy: Eu não tenho. Está fora de cogitação que eu cuide de um ferret. O ferret é, com toda a certeza, o bicho que mais fede no mundo!


(Próximo)


Armin: Seu nariz é muito sensível, meu irmãozinho.


(Próximo)


Nathaniel: É verdae que ele não tem um cheiro agradável. A Branca é limpinha.


(Próximo)


Armin: Ei, não se vanglorie tanto, senhor representante. Deveriamos organizar um encontro juntos. Já imagino o combate a Rainha Branca X Rocket. Tenho certeza de que seriamos os vencedores.


(Próximo)


Nathaniel: A Rainha Branca?


(Próximo)


Armin: A sua gata "Branca" me fez lembrar da Rainha Branca, ou seja Emma Frost!


(Próximo)


Nathaniel: ...?


(Próximo)


Armin: X-Men... Já ouviu falar?


(Próximo)


Nathaniel: Não, desculpe...


(Próximo)


Armin: Mas você tem que conhecer! Eu vou te emprestar uns gibis, se você preferir.


(Próximo)


Nathaniel: Com todo o prazer!


(Fico tão feliz em ver o Nathaniel com este entrosamento. Todas as mudanças foram realmente benéficas...)


Grêmio


Iris: Oi, Docete? Você ouviu a novidade?


O que está acontecendo?


Kim: Parece que temos um novo professor na escola...


Ah, é mesmo?


Melody: Pelo o que a diretora falou, é o professor de ciências.


(Próximo)


Melody: Estranho que ninguém falou nada antes... É o tipo de informação que a Peggy adoraria falar primeiro...


Eu acho que ela não está muito animada em ser jornalista neste momento...


(Um novo professor... Agora eu poderei prestar mais atenção nas aulas, quem sabe?)




Ps: Se quiserem me add no amor doce é só enviar o covite para: EmilyCrisly.

10 comentários:

  1. *--* Kawaii
    Eu to me enchendo de spoiler mas eh viciante de ler :v
    Aguardandl as proximas postagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkk
      Logo, logo sai o próximo ^^

      Excluir
    2. O próximo vai ser o do Lysandre, mas vou postar sim o ep 24 com o Armin

      Excluir
  2. Olha, vc vai postar o 25 Castiel? Pq eu ando lendo muito AD pra tentar jogar corretamente, e preciso. Mas pelo menos junto PA. :) continue!

    ResponderExcluir
  3. Da para pegar a imagem mesmo com o loveometro baixo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim eu peguei a imagem com ele e eu tinha 57 de loveo

      Excluir