domingo, 22 de fevereiro de 2015

Amor Doce: Episódio 4

Episódio 4 - O fantasma da escola.


Corredor principal


Prof. Faraize: Com licença, você é uma estudante dessa escola?


Sou sim, por quê?


Prof. Faraize: 
Eu sou o novo professor de história, estou um pouco atrasado e não conheço muito bem a escola. Eu estou precisando que alguém me mostre...

Mas sabe, eu sou novata aqui...


Prof. Faraize: Por favor! Eu não gostaria de passar Por alguém que está completamente perdido na escola...


Bom, está bem. Eu vou lhe mostrar os lugares que conheço.


Prof. Faraize: Muito obrigado, eu te sigo então.


(Quem diria que um dia eu mostraria a escola para um professor...)

(Prof. Faraize te acompanha pela escola)

Sala de Aula A


Esta é uma das salas de aula. É aqui que se passa a maioria dos meus cursos...


Sala dos representantes


Nathaniel: Docete, quem está com você?


É o novo professor de história, eu estou mostrando um pouco a escola para ele.


Nathaniel: Ah, bom dia e bem-vindo, professor.




Esta é a sala dos representantes. Se precisar de ajuda na próxima vez, eu sugiro que peça ao Nathaniel, ele é muito gentil.
Então, aqui é a sala dos representantes, se precisar de ajuda na próxima vez, eu sugiro que você pergunte ao Nathaniel, ele é capaz de tudo para se autopromover.

Aqui é a sala dos representantes, se precisar de ajuda na próxima vez, já sabe...


(Terminar a conversa)


Pátio


Castiel: Há, quem é esse aí?


Prof. Faraize, o novo professor de história, eu estou mostrando a escola para ele.


Então, aqui é o pátio. Eu aconselho não vir aqui para não ter maus encontros.
Então, aqui é o pátio, mas os professores não vão muito ao pátio, não?
Então, aqui é o pátio, onde podemos encontrar este charmoso elemento aqui presente.



Castiel: Ah, ah, mas do que você está falando, hein?

(Terminar a conversa)


Clube de jardinagem


Aqui é a parte do pátio dedicada ao clube de jardinagem.


Ginásio


Aqui é o ginásio, onde fica o clube de basquete. Mas como o senhor não é professor de esporte, acho que este lugar não te interessa muito, não é mesmo?


Prof. Faraize: Muito obrigado. Já me ajudou bastante. Eu vou visitar o resto mais tarde, sozinho.


De nada.


Prof. Faraize: Se um dia a oportunidade aparecer, eu espero poder retribuir o favor.


(Terminar a conversa)


Corredor principal


Ambre: Mas olha quem está aqui! Você apareceu em boa hora. A gente está indo almoçar fora, mas Charlotte se esqueceu de pegar o dinheiro. Você vai nos ajudar, né?


Sim, mas é claro (dar 10$ para Ambre)
Não, eu acho que não... (Não pagar nada)


Ambre: Você acha que realmente a gente quer saber a sua opinião? (Ambre me empurrou, pegou meu dinheiro e foi embora como se nada tivesse acontecido!)


...
(Eu estou realmente de saco cheio, desta vez eu não vou deixar as coisas assim não. Preciso achar uma maneira de me vingar.)
(O problema é que eu não tenho nenhuma idéia...)


Sala de aula A

Íris: Você está com uma cara hoje...


Acertou! Aquela Ambre pegou meu dinheiro!


Íris: O que? Nossa! Eu posso te ajudar de alguma maneira?


Não muito... A não ser que você tenha uma idéia de como eu me vingo dela...


Íris: Eu não sei... Você acha realmente que isto resolve o problema?


Uma coisinha boba, mas eficaz...
Sim e não, e nem ligo, eu só quero que ela pague um pouco pelo que me fez.


Íris: Hum... Ok, eu vou ver se tenho alguma idéia.


Ok, obrigada.


Sala dos representantes


Desta vez Ambre pegou o meu dinheiro! O que você pensa fazer?


Nathaniel: O que? Você está falando sério?


Não é brincadeira!
Claro que estou! Faça alguma coisa, por favor.
Não é a primeira vez que eu te falo isso!


Nathaniel: Eu sinto muitíssimo, é verdade que ela está difícil também em casa nesses últimos tempos... Eu posso te reembolsar, se você quiser.


Não é pelo dinheiro... Você poderia pedir que ela me deixe em paz, pelo menos?
Ela pegou 10$, mas eu quero que ela aprenda a lição também!
Ok, me dê meus 10$ e falaremos depois.


Nathaniel: Eu insisto, tome aqui 15$. Eu vou tentar falar com ela também, mas não sei se vai me ouvir...


Ok, obrigada, veremos então...


Pátio


Você não vai acreditar! Sabia que Ambre roubou meu dinheiro?!
Ufa, finalmente terminei de mostrar a escola para aquele professor.
Ambre é realmente uma menina mimada insuportável!


Castiel: Por que você sempre faz esse tipo de coisa?


Eu não sei, sempre pedem para mim um serviço aqui e acolá.


Castiel: Há há. Você tem uma carinha muito gentil, é por isso.


(Terminar a conversa)


Castiel: Então garota, você tem um pouco de dinheiro para mim também?


Tenho, espera... Deixa-me dar uma olhada quanto eu tenho...
Vá sonhando, vá!

...


Castiel: Ah, vai, eu estava brincando.


Não vejo graça nenhuma...


Castiel: O que você vai fazer agora?


Eu vou achar um jeito de me vingar, pode ter certeza!


Castiel: Ah, ah... Alguma idéia?


Estou pensando...
Tive uma! Como sei que Ambre gosta de você, talvez poderíamos fazer algo contra ela juntos...


Sala de aula


Íris: Eu tenho uma idéia para te falar.


Verdade? E qual é?


Íris: Como eu sei que Ambre é super fã de moda, eu tenho certeza que ela ficaria bem zangada se você viesse para a escola com as mesmas roupas que ela. Você deveria tentar.


Está certo, eu vou tentar, não tenho nada a perder. Valeu!
Eu acho bem fraquinha essa idéia, mas enfim... Eu vou tentar.


Íris: De nada.


(Bom... Agora só falta fazer umas comprinhas...)


Comprei as mesmas roupas de Ambre, me vesti e voltei.


Corredor


Ambre: O que é que você está fazendo aqui? Esqueceu de me dar alguns dólares, é isso?


(Fugir... Rápido!)


Ambre: Mas espera aí! Que roupa é essa?


Está vendo? Investi o que restou do meu dinheiro com algumas roupas...


Ambre: Mas você está com a roupa idêntica á minha!


Pois é... E ela não é lá grande coisa, não é não?


Ambre: ...


(Ah, ah... Ela ficou muda e parece zangada, eu acho que atingi meu objetivo!)


Ambre: Sinto muito em te dizer isto, mas esta roupa não fica legal em você como fica em mim. Ah, ah, ah, você está tão desesperada por ser tão fora de moda que se sente obrigada a copiar meu estilo e bom gosto?!


(Grrrr...)


Ambre: E aí? Você não diz mais nada? Ora, não se preocupe, se você me pagar bem eu posso até pensar na possibilidade de te dar algumas noções de moda?


(Não, isto não vai ficar assim, eu preciso achar outra coisa...)


Sala dos representantes


Você falou com a sua irmã?


Nathaniel: Ainda não, eu não tive tempo.


Estou falando sério, mas é sua irmã, se mexa!
Ok, de qualquer maneira não é mais urgente.
Ok, eu vejo isso outra hora.


Nathaniel: Claro, eu te mantenho informada, se realmente ela fez esse tipo de besteira, é grave. Eu preciso falar com ela rapidamente.


(Terminar a conversa)


Corredor principal

Castiel: Então, se vingou da patricinha?


Não, eu não tive nenhuma brilhante idéia...


Castiel: E no entanto, não é nada complicado...


Se você tiver alguma idéia, eu aceito, hein?


Castiel: Sei lá, nem parei para pensar nisso...


Vai, por favooooooor.
Tenho certeza que um malandro como você deve ter várias idéias!

Nem mesmo uma pequenina idéia?


Castiel: Por que você não picha o armário dela, coloca algo que ela odeia e pronto?


Ok, pichar o armário! E em relação ao lance que ela morre de medo?


Castiel:
 Ai, ai, eu não conheço a Ambre e nem me imposto, se vire sozinha.

O-ok, obrigada.


Comprei o spray de pichar e voltei.


Sala dos representantes


Você ainda não falou com ela, não é isso?


Nathaniel: É... na verdade não. Desculpe.


Bom, eu tenho que achar algo para pagar sua irmã na mesma moeda.
Olha, eu quero me vingar de sua irmã.
Olha, você não quer me ajudar a dar uma lição na sua irmã?


Nathaniel: Você quer vingança? Não é um pouco bobo querer agir como ela?


Quero fazer pior que ela!
Ok... espera! Nada de muito ruim, claro.
Bem, aparentemente, “a administração” não faz nada, então eu vou me virar sozinha.


Nathaniel: Pior que ela? Sinto muito, mas eu não posso aceitar isso.


Você pode sugerir algo um pouco mais gentil, então?


Nathaniel: Hum... Nem sempre as coisas são tão evidentes. Primeiro eu vou falar com ela, certo? E eu prometo, se ela não der importância, eu te ajudo a armar um plano light.


Ok, está certo!


Pátio


Mas uma coisa, eu picho o armário dela com que?


Castiel: Com os dedos?


Há há, muito engraçadinho...
Eu nunca fiz isso antes!
Eu faço de verdade?


Castiel: Ah, ah, miss santinha... Com uma lata de spray, já ouviu falar?


Ok, ok, recebi a mensagem.


Sala de aula A


Íris: Então, você tentou?


Sim, sua idéia foi muito ruim, não deu em nada, a não ser me humilhar.

Eu fiz, mas eu só fiz papel de boba, ela quase não deu bola.


Íris: Oh, desculpe, não é realmente minha especialidade fazer esse tipo de piada. Então, o que você vai fazer?


Vou procurar outra idéia...


Íris: Eu acho que não faço parte do plano, então... Rs. Não seja muito má com ela, viu?


(Terminar a conversa)


Corredor principal

Ambre: E você, quem você pensa que é? Você foi se queixar com o meu irmão?


Ele finalmente falou com você, foi?


Ambre: Pois é, e ele até se atreveu a ficar do seu lado!


Finalmente! Depois de tudo o que você fez.


Ambre: Você quer saber? Eu não me importo! Meu irmão é só um representante de turma. Eu te aconselho a não fazer isto de novo ou vai se arrepender muito... E de qualquer maneira, eu tenho a diretora na palma da minha mão, ah, ah, ah!


(Legal... cada vez melhor... mais uma ameaça.)


Sala dos representantes


Nathaniel: Eu finalmente falei com Ambre.


Isso eu sei, eu acabei de ser tratada mal. Você disse o que para ela?
Pois é, acabei de descobrir... Eu não fiquei nem dois segundos ao lado dela e já fui agredida. Você acha que adiantou alguma coisa o que você disse para ela?
E você disse o que? Porque não parece ter sido muito eficaz...


Nathaniel: Realmente? Sinto muito... Eu disse que deixaria passar desta vez, mas que eu denunciaria á direção se ela fizesse novamente.


O que ela disse, então?


Nathaniel: Ah... Ela não gostou e me ameaçou. Falou que se eu fizesse isso ela iria dizer aos nossos pais que eu pego sempre no pé dela na escola.


E então, não é verdade, não?
Bem feito! Não é de hoje que eu te digo que sua irmã é uma verdadeira peste.


Nathaniel: Bem... Eu fui um pouco tirânico com ela quando éramos pequenos e a fama ficou... Meus pais acreditam nela sempre.


Nunca vi, ela consegue enganar todo mundo quando faz a comédia dela...


Nathaniel: Sim, aparentemente... Eu ainda estou surpreso com minha irmã, eu não pensei que ela fosse assim na escola, eu deveria ter te escutado antes.


Finalmente você admite seus erros! Você vai me fazer um favor então, né?
Não tem nada não, mas você vai me fazer um favor, não é mesmo?

Para que eu te perdoe, você vai ter que me fazer um favor, sabia?


Nathaniel: Você está falando de sua vingança, é isso? O que você quer exatamente?


Expulse-a da escola!
Uma idéia, alguma coisa que ela não goste particularmente...
Ela vai ver!


Nathaniel: Ok, eu vou pensar em algo que sei que ela não vai gostar... Venha me ver mais tarde, ok?


(Terminar a conversa)


Corredor principal

Nathaniel: Docete, eu acho que eu tenho uma idéia para você.


Diga!


Nathaniel: Ela sempre teve medo de aranhas, você pode talvez fazer uma brincadeira...


Você está me dizendo que eu tenho que ir procurar... aranhas?! Eca!
Mas eu também tenho medo de aranhas!
Como posso fazer algo com aranhas?!


Nathaniel: Ah, ah, ah, mas aranha de mentira! Eu estava pensando nestas de plástico, que a meninada usa para fazer traquinagens, o que acha?


Ah... é mesmo, por que não? Eu vou tentar fazer algo com essa idéia. Obrigada.


Comprei as aranhas de plástico e voltei para a escola.


Corredor principal

(Esse é o armário da Ambre e não tem ninguém por perto... Eu vou poder executar meu plano, He He)
(Esconder as aranhas no armário e pichá-lo)
(Eu escondi as aranhas no armário dela e agora estou pichando a portinha com a latinha...)

Li: Ei! O que você está fazendo?


(Oh não, eu fui pega no flagra por uma das amigas da Ambre!)


Li: Você está pichando o armário da Ambre?! Quando eu contar isso, ela vai ficar furiosa!

(Li está tentando tirar o spray das minhas mãos e a gente continua a discutir...)


Diretora: O que está acontecendo aqui? Eu não acredito! Deterioração dos bens da escola? Vocês duas serão punidas!


(Poxa... Eu realmente estou sem sorte...)


Diretora: Foram vocês também que picharam a escadaria? Pois ficarão após a aula para limpar tudo isso! E sem discussão!


Eu não pude dizer nada... Nem Li, inclusive. Melhor assim...

(Pronto, aqui estou eu, punida com a obrigação de limpar a escadaria...)


Li: Eu não acredito! A diretora me pediu também, mas eu não fiz nada! Você deu sorte... Não demore de aparecer após o final da aula, ok? E já vou te avisando: não sou eu quem vai limpar!


(Prefiro ficar calada...)


Sala dos representantes


Nathaniel: Docete! A diretora acabou de me falar que você foi punida porque estava pichando um armário com a Li!


Sim, a culpa é sua, eu demorei muito tempo para colocar as aranhas no armário dela e acabei me prejudicando!
Sim, eu fui surpreendida por Li que acabou metida nisso também e acabamos sendo punidas todas as duas.
Pois é... Só podia acontecer comigo, na primeira vez que eu faço algo desse tipo...


Nathaniel: Eu te avisei que era uma má idéia fazer isso.


Olha, não vem me dar lição de moral, viu?
Foi tentador... Eu só não tive sorte.
Eu só estava no lugar errado, na hora errada, mas eu faria tudo novamente, se pudesse.


Nathaniel: Enfim, não é grande coisa, mas qual foi sua punição?


Eu tenho que limpar a pichação na escadaria depois da aula. Mas como eu faço isso?


Nathaniel: Ah, já vi tudo. Eu vou te arranjar um balde com sabão e uma esponja. Eu vou deixar aqui mesmo, na sala dos representantes, para que você possa recuperá-los quando quiser, certo? Você só tem que verificar de vez em quando.


Ok, obrigada.

Eu não encontrei nada aqui, não estão prontos?


Nathaniel: Ainda não, mas você vai ver, com o material que eu te separei, você não deve demorar muito tempo para deixar tudo limpo.


Ok.


Depois de uns minutos, fui novamente na sala dos representais e peguei o balde, esponja, sabão e saí.


Pátio

BLAM!
(Ai! Mas o que é isso?!... Alguém se esbarrou em mim!)


Rosalya: Menina, tome cuidado por onde anda!


O que? Foi você que se bateu comigo!
Desculpe, eu não te vi.


Rosalya: Não tem problema... Estou andando rápido para encontrar com meu namorado, acabei não te vendo.


Seu namorado? É alguém daqui?


Rosalya: Não, ele não é daqui desta escola, você não deve conhecê-lo. Ah, eu me chamo Rosalya, desculpe novamente pela batida, até mais!


Até mais.

(Ela saiu correndo de novo)


(Quem será seu namorado? De qualquer maneira, ela é super bonita! E que cabelão lindo!)


Corredor principal

(Eu já tenho o necessário para limpar a pichação e já está quase no fim da aula. Agora preciso esperar a Li para limpar tudo.)
(Esperar)


Íris: Eu vou para casa. Vejo você amanhã.


Até amanhã!


(É o Castiel, ele pega seus pertences no armário antes de sair também)


Castiel: Êi! Esfregue bem e não saia muito tarde, senão você corre o risco de ficar presa aqui durante a noite.


(Ele foi embora)


Nathaniel: Docete,, boa sorte! Eu espero que você não vá para casa tarde demais.


Obrigada.

(Ouço risos)
(Ai, Ambre, ela não...)
(Ela só me deu um sorriso irônico antes de sair... Seguida de perto por Charlotte... Eu não vejo a Li...)


...

(Ela vai me fazer esperar muito tempo?! Com certeza ela já foi embora, discretamente...)


Li: Êi, mas o que você está fazendo? Eu estou te esperando na escadaria desde cedo. Você pensou em ir embora, talvez?


Não, eu estava te esperando aqui!


Li: Bom, você tem o necessário para limpar tudo? Siga-me, vamos voltar para a escadaria, é no final do corredor.


(Seguir Li)


Corredor 2


Li: É lá no final.


(Continuar a seguir Li)


Escadaria


Li: Não conte comigo para limpar, ok? Eu vou deixar você fazer tudo...


Já entendi...
(Eu limpei a escadaria... Levou um bocado de tempo para limpar esta pichação...)
(Inclusive, todo mundo se foi e já está escuro! Eu tenho que encontrar a Li rapidinho e voltar para casa)


Escadaria noite


Li: Mas o que você está fazendo? Eu saio 5 minutos e você desaparece!


O que? Mas você poderia ter, pelo menos ficado perto de mim enquanto eu limpava!


Li: E aí, você terminou? Podemos FINALMENTE ir para casa?


Talvez tudo seria mais rápido se você tivesse ajudado, né? Eu digo isso porq...
(Nós ouvimos um ruído estranho, uma espécie de risada com eco...)
HAHAHAHA


Que barulho é esse?


Li: Eu-eu não sei o que é... É assustador!


U-um pouco, é verdade, mas deve haver uma explicação...


Li: Você ta brincando, é isso? Você acha realmente que...


(Hã?! O que é isso? Parece uma sombra...)


Li: AAAHH! UM FANTAAASMA!!!!!!!!!!!


Aaaah!!


(Li e eu saímos de lá na velocidade da luz! Será que era realmente um fantasma?)


No outro dia...
Corredor principal

Um novo dia que começa...


Ambre: Quer dizer que você tem medo de fantasmas? Ah, ah, ah! Li nos contou que você ouviu um barulho e correu como uma garotinha! Que vergonha!


Ela se assustou tanto quanto eu, eu acho que até mais!


Ambre: Convença outra, medrosa! Como se a escola pudesse ser mal-assombrada, nada a ver...


...


(Li está exagerando! Ela bem que poderia ficar calada ao invés de dizer besteira!!)
Mas é verdade que foi um pouco assustador... Mas os fantasmas não existem... Quer dizer, eu acho.


Vou dar uma volta por lá para ver se eu encontro algo.


Escadaria
Encontrei pedaços de plástico e pontas de cigarro.


Sala dos representantes


Nathaniel! Aconteceu algo muito estranho na noite passada!


Nathaniel: Ontem á noite?


Pois é, eu estava limpando a pichação depois da aula, lembra?


Nathaniel: Ah, é verdade que você ficou aqui após a aula... E o que foi que você viu?


Está tudo bem? Você parece estranho...
Mas sim, eu estava lá com a Li, você não lembra? Por quê? Você está estranho...

Adivinha!


Nathaniel: É... Sinceramente eu não sei, eu não gosto de adivinhas, me diga, por favor.


Um fantasma!


Nathaniel: Cof cof! (Ele tosse). Um... um... Fantasma?


Foi! Morri de medo! Eu estava com a Li na escadaria, já pronta para ir embora, quando ouvimos um barulho e de repente nós vimos uma sombra! E... Saímos correndo!
[confusa] Sim! Como um grito... e uma sombra grande apareceu!
Eu acho, quer dizer, eu não sei se é um fantasma, mas nós vimos uma sombra humana aparecer.


Nathaniel: Vocês devem ter imaginado coisas, na minha opinião.


Não! Eu te garanto! Tem um fantasma! Eu vou fazer minha própria enquete, inclusive.
A gente não podia ter imaginado a mesma coisa, ao mesmo tempo! Vou investigar isso direitinho...
Acho que não... Mas eu vou fazer minha própria enquete...


Nathaniel: Por que você quer investigar isso? Você realmente acredita em fantasmas?


Sim, eu tenho certeza que existe.
Quem sabe? De qualquer maneira, havia alguém ou alguma coisa, com certeza.


Nathaniel: Como queira...


(Ele não parece muito á vontade.)


Pátio


Você não vai acreditar o que aconteceu comigo!


Castiel: 
Você finalmente encontrou Totó?

Engraçadinho... Você está atrasado em 1 episódio.


Castiel: Bem, você vai me dizer qual é a sua grande novidade ou não?


Eu estava na escadaria com a Li e a gente viu um fantasma!
Eu vi um fantasma!
Você não tem nenhuma idéia?


Castiel: Ah, ah! Você tem outras como essa?


Eu te prometo! Eu e Li tínhamos acabado de limpar a pichação e ele apareceu! Nós saímos correndo!


Castiel: Ah... é verdade que você estava na escadaria após as aulas, eu tinha esquecido...


Já aconteceu com você? Você já viu coisas estranhas deste tipo por lá?


Castiel: É verdade, agora você me fez lembrar de uma coisa...


Sim?


Castiel: Eu me lembro de um boato que dizia que há alguns anos um professor morreu ao escorregar na escadaria e desde então ele assombra a escola...


Você está falando sério?


Castiel: Mas tem horas que você é muito ingênua, viu? Claro que não! Fantasmas não existem, garotinha.


Pois eu acredito.
Então como você explica o que eu vi?!

Eu não sei, mas tinha algo na escadaria.


Castiel: Você viu coisas, só isso. Deixe pra lá essa história.


Eu vou descobrir! Se não foi um fantasma, pelo menos tinha alguém por lá. Pode ter certeza!


Castiel: Falando sério agora, não dê tanta importância a isso... Ninguém ta ligando, ok?


Captei a mensagem. Mas eu volto pra te ver mesmo assim... Quando souber alguma coisa.


Castiel: Como você é teimosa...


(Terminar a conversa)


Sala dos representantes


Nathaniel: Sua “investigação” deu algum resultado?


Sim, olha! Eu encontrei isso!


Nathaniel: Pedaços de plástico e pontas de cigarro? Isto não prova nada.


Você não percebe?
Mas... bem... tinha realmente alguém!


Nathaniel: Não? De qualquer maneira, eu me dou conta que um aluno teve a liberdade de fumar no prédio, mesmo se todos sabem que é estritamente proibido fazer isso.


Você quer investigar comigo para saber quem fumou, enquanto eu procuro o fantasma?


Nathaniel: Você não quer deixar para lá? Você está vendo que não vai achar nada.


Não, eu vou esperar hoje á noite e ver o que vai dar.


Pátio


Castiel: Então, finalmente você encontrou o fantasminha camarada?


Não, mas olha só o que eu encontrei!


Castiel: Uau! Plásticos e bitucas de cigarro! Você ta certa, tudo ficou claro agora...


Ah, mas isto não estava lá ontem.


Castiel: E daí? Os fantasmas fumam e comem plástico, é isso?


Quer parar de zombar da minha pessoa?
Alguém deve ter fumado lá!


Castiel: Ok, alguém fumou, e daí? A não ser contar isto para o nosso prezado representante de turma, o que você pode fazer? Isto não prova nada...


Eu vou ver hoje á noite se algo acontece novamente.


Castiel: Deixe isso pra lá... Ou não venha depois reclamar de ter sido atacada por um fantasma.


(Terminar a conversa)


Corredor 2


Todo mundo foi embora, quer dizer, não tenho muita certeza...
Eu vou ver se realmente não tem mais ninguém por lá, para ter certeza...


Nathaniel! Mas o que você ainda está fazendo aqui? Você me assustou!


Nathaniel: Eu, eu... eu tinha uma papelada para fazer ainda... E você? O que está fazendo por aqui?


Você sabe muito bem! Eu quero ver se o que aconteceu no outro dia se repete.


Nathaniel: Ok, bom... Eu já vou então. Até amanhã...


Ok, até amanhã.


Escadaria noite


(Aqui estou eu de novo...)
(Pensando bem... Tanto o Nathaniel quanto o Castiel estavam bem estranhos quando eu falei sobre isso com eles...)


HAHAHAHA!
Este barulho novamente!
(Ai, ai, ai, eu estou com medo e para completar, estou sozinha...)
(Ir embora correndo)


No outro dia...
Corre
dor principal

(Eu acabei amarelando de novo ontem... Estou até com vergonha. Eu vou ver se eu encontro algo por lá de novo...)


Escadaria


Achei uma palheta e bloco de notas.


Sala dos representantes


Eu vi de novo!


Nathaniel: Você viu de novo o que?


Você sabe muito bem do que estou falando!
O fantasma, ele apareceu novamente!

Na verdade, eu ouvi o mesmo som, mas eu não vi nada...


Nathaniel: Então você não viu nada?


Hum, não...


Nathaniel: Eu estou com a impressão que quanto mais você procura respostas, menos você tem provas, não?


E eu tenho a impressão que você não me ajuda muito!


Pátio


Ele apareceu novamente!


Castiel: Não acredito, você entrou na escola após a aula de novo?


Fui! E eu o vi novamente!


Castiel: Hum... Duvido que você tenha visto algo realmente.


Para falar a verdade, eu saí correndo antes de ver algo, mas eu ouvi!
E como você pode ter tanta certeza assim?
Estou falando sério! Eu ouvi o mesmo ruído do outro dia!


Castiel: Você não viu nada, você se assustou sozinha, só isso.


Eu te prometo que não!


Sala de aula


Ambre: Buuuu! Cuidado com o fantasma! Ah, ah...


Ai ai...


Sala dos representantes


(Nathaniel está ocupado fazendo a papelada, como sempre)
Olha só o que eu encontrei desta vez!


Nathaniel: O que é?


Estava lá embaixo da escadaria!


Nathaniel: Um bloco de notas?


Eu tenho certeza que alguém perdeu por lá.


Nathaniel: Mas alguém deve ter perdido hoje pela manhã, antes da aula. Eu vou guardar, se você quiser, no caso de alguém vir procurar.


Não, eu tenho certeza que este objeto foi para lá durante a noite. E eu vou achar quem é!
Não, eu vou achar quem fica na escola durante a noite!

É... Eu vou ver se acho por mim mesma o proprietário, senão eu te dou.


Nathaniel: Tem certeza? Bom, como queira.


(Ir)


Corredor principal

Um caderno com várias anotações... Agora eu tenho certeza absoluta que não é um fantasma, mas a grande questão é: quem é o intruso da escola?...
Tem alguma coisa de estranho nesta história...
Oh, eu consigo ver o Nathaniel e o Castiel conversando lá no final do corredor... Eles estão muito longe, não consigo ouvir direito.
Eles nem estão brigando? ... Ah, com certeza eles estão me escondendo algo...
Eles foram embora, cada um por um caminho diferente...
Como é que eu vou fazer para atrair este “fantasma” numa armadilha?... Já sei! Eu vou comprar uma câmera fotográfica, assim eu vou poder tirar uma foto deste intruso! De hoje não passa!


Comprei a câmera fotográfica no bazar próximo da escola e voltei.


Corredor 2


(Pronto, aqui estou eu com minha câmera fotográfica e todo mundo já foi embora. Vou na escadaria e estou proibida de sair correndo desta vez!)


Escadaria noite


(Que silêncio! Agora que eu tenho um aparelho para pegar o invasor em flagrante, não se passa nada?! Estou ouvindo algo! Não sair correndo, não sair correndo, um pouco mais de coragem...)
(Aqui está ele! Rápido uma foto!) (Utilizar a câmera fotográfica)


???: Êi, o que você está fazendo?
Hã? < Parte para o encontro.



Encontro com Castiel

Castiel: Você quer me deixar cego ou o que?

Castiel?! O que você está fazendo aqui? É você o fantasma?

Castiel: Não, mas como sei que você é uma teimosinha de primeira eu preferi te explicar tudo agora...

Verdade?!

Castiel: Mas depois eu vou ter que eliminar você, sabia?

Ah! Vai, conta!

Castiel: Na verdade eu venho sempre aqui com um colega para ensaiar nossas músicas. Tem uma sala embaixo da escadaria, tipo um porão e o som é super bom. Foi esse som que você ouviu.

Ah, entendi... Mas não tem um clube de música na escola?

Castiel: Claro, mas a gente não pode fazer o que quiser realmente.

E Nathaniel, ele ensaia com vocês? Porque ele estava estranho também...

Castiel: Nathaniel sabe de tudo, desde ele se deu conta que eu tinha roubado as chaves... Ele fica calado e guarda o segredo também, pois se alguém fica sabendo, vamos ter sérios problemas.
Foi sobre isso que nós estávamos falando no corredor. Como você não largava do nosso pé, pensamos se não seria melhor te contar tudo. De qualquer maneira, você não vai contar nada, hein?

Não, claro que não!

Castiel: Legal, venha comigo então, eu vou te apresentar Lysandre.

(Eu segui o Castiel. Atrás da parte baixa da escadaria tem uma porta e quando abrimos vi uma outra escada que leva para o piso inferior. Esta sala está vazia. Ele me apresentou a este famoso Lysandre.)

Lysandre: Olá, prazer em conhecer.

Oi, é... o prazer é todo meu, eu sou Docete.

Lysandre: E peço perdão por aquela noite, eu acabei assustando você e a sua amiga.

Tem nada não. E ela não é bem uma amiga. E para ser sincera, quem se assustou mais foi ela... Há, há, há!

(Ele tem um look original... A gente continuou a conversar um pouco e foi assim que fiquei sabendo que os pedaços de plásticos eram os restos de uma embalagem de cd e a palheta era do Castiel. Já o bloco de notas é do Lysandre, ele gosta de anotar suas inspirações musicais. Eu entreguei para ele, juntamente com a palheta. Estou feliz de ter finalmente esclarecido este enigma, mesmo se acabei gastando dinheiro com uma câmera fotográfica que nem me foi útil... Além disso, não posso falar nada nem para Íris ou Ambre e suas coleguinhas... Está começando a ficar tarde, tenho que ir para casa, senão minha mãe vai me matar!)

Castiel: Espere, eu vou com você. Está tarde e como eu te conheço bem, sei que é capaz de se perder.

O-ok, obrigada.


(Saímos da escola, ele me pegou na minha mão de forma brusca e não disse uma só palavra durante todo o trajeto. Eu não sei bem, mas talvez ele não esteja com vontade de me levar para minha casa...)


Fim do episódio.



Encontro com Nathaniel

Nathaniel: Ai... Meus olhos estão doendo...

Nathaniel?! O que é que você está fazendo aqui? É você o fantasma?

Nathaniel: Não. Eu desconfiei que você não iria desistir e que voltaria aqui esta noite, por isto decidi te contar tudo.
Há uma salinha embaixo da escadaria, um pouco como um porão. Castiel e um amigo vão sempre lá para ensaiar após a aula. Foram eles que você ouviu naquela noite.

Mas não tem um clube de música na escola?

Nathaniel: Sim, mas eles não se sentem livres para fazer o que realmente gostam, entendeu?

Entendi... E você também participa?

Nathaniel: Não, mas acabei me envolvendo nesta história quando o Castiel roubou as chaves. Se alguém descobre, estamos em apuros... Por isto, preferimos guardar segredo total.
Como você não para de bisbilhotar, a gente se perguntou se não deveria simplesmente te contar tudo. Foi isto que a gente estava conversando no corredor, você não diz nada para ninguém, hein?

Não, claro que não.

Nathaniel: Legal. Venha comigo, eu vou te apresentar Lysandre.

(Eu segui o Nathaniel. Atrás da parte baixa da escadaria tem uma porta e quando abrimos vi uma outra escada que leva para o piso inferior. Esta sala está vazia. Ele me apresentou a este famoso Lysandre.)

Lysandre: Olá, prazer em conhecer.

Oi, é... o prazer é todo meu, eu sou Docete.

Lysandre: E peço perdão por aquela noite, eu acabei assustando você e a sua amiga.

Tem nada não. E ela não é bem uma amiga. E para ser sincera, quem se assustou mais foi ela... Há, há, há!

(Ele tem um look original... A gente continuou a conversar um pouco e foi assim que fiquei sabendo que os pedaços de plásticos eram os restos de uma embalagem de cd e a palheta era do Castiel. Já o bloco de notas é do Lysandre, ele gosta de anotar suas inspirações musicais. Eu entreguei para ele, juntamente com a palheta. Estou feliz de ter finalmente esclarecido este enigma, mesmo se acabei gastando dinheiro com uma câmera fotográfica que nem me foi útil... Além disso, não posso falar nada nem para Íris ou Ambre e suas coleguinhas... Está começando a ficar tarde, tenho que ir para casa, senão minha mãe vai me matar!)

Nathaniel: Espere, eu prefiro te levar, está escuro 
emais. Enfim, se você aceitar.

Claro, obrigada.


Caminhamos durante á noite até chegar na minha
 casa, Conversamos sobre o nosso segredo. Seria muito divertido se os alunos realmente achassem que havia um fantasma na escola...
Ele segurou minha mão durante o trajeto... Mas como ele é um cara super educado, não sei se isto quer dizer alguma coisa...


Fim do episódio.

4 comentários:

  1. Obrigada vc me ajuda bastante nos eps!! Se eu não viesse aqui acho que estaria perdida. Seu blog é o único na qual me identifico! ^^

    PS: Adicionei vc no Amor Doce, sou a LadyRossy.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Na conversa com o Castiel: - Então garota, você tem um pouco de dinheiro para mim também? A resposta certa é a C (...), isso aumenta um pouco o loveô com ele :)

    ResponderExcluir