domingo, 23 de abril de 2017

Amor Doce: Episódio 29_ Castiel

O Amor Pela Arte


(Não acredito no que está acontecendo...)
(Parecia que o mundo estava de cabeça para baixo.0
(Há alguns minutos eu estava convencida de que o Castiel estava rindo de mim... E agora...)
(... Agora ele me beija com tanta paixão... Como se ele estivesse esperando por esse momento há muito tempo.0
(Completamente desorientada, eu dei um passo para trás.)


Castiel: Eu... Sinto muito...


"Sinto muito"? Eu... Eu não esperava ouvir isso.


Castiel: Eu pensei...


(Próximo)


Castiel: Deixa para lá.


(Ele deu meia volta e começou a andar.)


Não, você fica!


(Ele não pode me deixar assim. Ainda mais depois de tudo o que aconteceu!)
(Ele virou para mim e parecia realmente surpreso.)


V-Você não pode ir embora assim!


Castiel: Eu pensei que você quisesse ficar sozinha.


Do que você está falando?!


(Será que ele já está arrependido do beijo...?)


Castiel: Você não queria que tudo isso tivesse acontecido, eu entendi.


Eu... não! Eu não pensei nada disso!


Castiel: Hã?!


(Próximo)


Castiel: Sua reação após o beijo foi bem clara.


(Sem pensar duas vezes, eu fui na direção dele e fiquei na ponta do pé para beijá-lo novamente.)


Castiel: Agora está claro.


(Eu não acredito que fiz isso... Estranho, estou com medo do que vai acontecer daqui para frente.)


Castiel: Mas agora eu quero saber por que você está sempre com essa cara de cachorro abandonado?


(Ele continua um pouco rude, mas isso não o impede de segurar a mão com carinho.)


O problema é que... Eu não sei o que fazer agora.


Castiel: Não precisa problematizar tudo. Vamos encontrar os alunos no ginásio, mas nada nos obriga a escutar o que está sendo discutido...


(Ele se inclinou lentamente na minha direção.)


E-Espere. Sabe, eu preferia que agíssemos discretamente na frente dos outros... Pelo menos por enquanto.


Castiel: Ah, é?


Sim, no momento eu... eu prefiro manter isso em segredo... E depois, depois nós podemos ver...


Castiel: Hum...


(Próximo)


Castiel: Ok.


(Próximo)


Castiel: Então vamos ao ginásio discretamente.


Isso.


Castiel: Você é realmente um caso sério, garota.


(Terminar a conversa)


Pátio


Alexy: Ha ha! Eu peguei vocês! Não adianta mais negar...


A-Alexy...


Alexy: Não precisa mentir, eu vi os dois perto da estufa. Se vocês são "apenas amigos", saibam que os dois tem uma manira muito estranha de...


Alexy! Calma, eu pretendia te contar!


Castiel: Quando você diz que prefere maneter a história em segredo, voc~e está falando sério?


(Próximo)


Alexy: "Em segredo"? Mas por que vocês querem guardar segredo?


(Próximo)


Castiel: Não é da sua conta.


(Próximo)


Alexy: Sinto muito, Castiel, mas queira ou não, a Docete é minha amiga. É da minha conta sim.


(Próximo)


Castiel: Ele é intrometido assim mesmo?


Ha ha, eu não iria conseguir esconder isso do Alexy por muito tempo.


Alexy: Verdade! Então, vocês estão namorando há quanto tempo?


(Próximo)


Castiel: Digamos há uns 20 minutos.


(Próximo)


Alexy: Sério?


(Próximo)


Alexy: Parece que eu tenho um radar para localizar beijos...


Alexy!


Alexy: Ok, eu vou deixar os dois pombinhos à sós, tranquilos.


(Próximo)


Alexy: E não se preocupem, eu sei guardar segredo.


(Ele foi embora assobiando, todo contente.)
(Ele parece feliz, como se fosse ele que estivesse namorando.)


Puxa, nós deveríamos ter perguntado o que foi dito no ginásio...


Castiel: A reunião já deve ter terminado, ele já estava por aqui...


Nós precisamos ir ao ginásio.


Ginásio


(Puxa, a reunião já acabou...)


Castiel: Tarde demais! Que pena...


Eu bem que gostaria de saber o que foi dito na reunião...


Castiel: Não precisa entrar em pânico, iremos descobrir amanhã.


Verdade...


(Nossos olhares se encontraram e estávamos visivelmente constrangidos.)
(Eu adoraria beijá-lo novamente, mas tudo é tão recente, não me sinto à vontade ainda.)


N-Nós deveríamos ir embora. Eu acho que não tem mais ninguém na escola.


Castiel: Certo.


(Terminar a conversa)


Pátio


(Eu tenho a impressão de que estamos sozinhos na escola...)


Castiel: Eu imagino que te acompanhar até a sua casa seja uma má ideia?


Opa, verdade, é melhor não fazermos isso. Você se lembra da reação do meu pai quando ele nos viu na última vez...?


Castiel: Lembro um pouco... Eu ainda quero viver por muitos anos...


E é melhor mesmo que os meus pais não fiquem sabendo de nada no momento. Não precisamos nos... Precipitar.


Castiel: Quem está falando de precipitação?


(Ele me puxou pela cintura e me beijou com determinação.)
(Eu acho que nunca poderei me acostumar com isso... Tudo parece tão estranho!)


C-Castiel... Parece bobagem minha dizer isso, mas... a maneira que você me beijou, eu...


Castiel: Sim?


Eu não imaginava que você gostava mesmo de mim.


Castiel: Eu sei. Eu confesso que era divertido te ver toda confusa. Eu estava esperando para ver quando você finalmente iria tomar uma decisão.


Você está brincando comigo? Você estava quase fugindo de mim não tem nem cinco minutos, por ter pensado que eu não queria te beijar!


Castiel: Nada disso, dava para ver que você era louquinha por mim a quilômetros de distância.


Você... Afe!


(Eu posso estar completamente apaixonada, mas ele ainda consegue me irritar!)


Castiel: Até amanhã, garota.


A-Até amanhã...


(Enquanto ele ia embora, meu coração batia acelerado. Eu estava me sentindo estranha, uma sensação de euforia tomou conta de mim.)


Entrada do Parque


(Oh, é o...)


Thomas: Olá, Docete. Como vai?


Olá, Thomas. Eu estou muito bem!


(Eu estava realmente feliz em revê-lo.)


Thomas: É raro ouvir isso.


Não entendi...


Thomas: Geralmente as pessoas responde "tudo bem", por hábito. É um código social para demonstrar educação. Mas você parecia sincera mesmo, fiquei surpreso e confesso que foi agradável te ouvir falar assim.


(Eu acho que esse garoto vai me surpreender sempre.)


Eu estou realmente de bom humor... Mas me diga, o que você está fazendo aqui?


Thomas: Eu estou indo para a minha aula de violão. Você quer ir comigo? Assim poderá aprender um pouco.


Ah, sim, eu adoraria!
Ha ha, você é muito gentil, mas eu não posso. Meus pais estão me esperando.


Thomas: Eu entendo. É o tipo de coisa que precisa de uma organização.


(Próximo)


Thomas: Tudo bem, fica para a próxima.


Até mais.


Meu Quarto


(Meus pais não chegaram ainda, eu nem tinha percebido.)
(Tenho coisas mais interessantes para pensar...)
(Eu não acredito... Eu BEIJEI o Castiel!)
(Bom... Foi ele quem me beijou.)
(E o beijo superou todas as minhas expectativas...)
(Eu estou tão acostumada com ele me perturbando... Como ele vai agir a partir de agora? Pensar nisso me deixa um pouco nervosa...)
(... E ao mesmo tempo, estou com uma sensação de leveza tão grande.)
(Ele também gosta de mim! Eu nunca acreditei e agora eu tenho a prova!)
(Todos os problemas que eu tive até agora são insignificantes.)
(Minha hostilidade com a Priya, pro exemplo.)
(Tudo parece tão pequeno agora.)
(Ela sempre foi gentil e atenciosa comigo.)
(Eu preciso ser mais justa daqui para a frente.)
(Quando os meus pais chegaram em casa, eu tentei ser mais gentil e os ajudei mais do que de costume.)
(Eles acham que eu estou tentando fazer com que eles  me perdoem pelo me comportamento de sábado passado.)
(E isso é perfeito.)
(Pelo menos eles não desconfiam de nada.)
(No dia seguinte, eu tentei conter a minha ansiedade, mas era mais forte do que eu...)
(Eu não consegui comer nada no café da manhã.)
(Eu estou com um frio na barriga permanente...)
(Agora eu preciso ir para a escola descobrir o que está sendo preparado.)


Em Frente à Escola


(Será que o Castiel já chegou...?)


Rosalya: Você!


R-Rosa?


Alexy: Eu já vou logo pedindo desculpas...


(Próximo)


Rosalya: Raaaaaaa!!


(Ela pulou na minha direção e me sacudiu como se eu fosse um saco de batatas.)


Rosalya: Eu não a-cre-di-to!!


R-Rosa, calma!


Rosalya: O Alexy me contou tudo. E com DETALHES.


Muito bem senhor Alexy... Eu preferia contar primeiro...
Eu não saberia contar melhor do que ele... (Aumenta com o Alexy.)


Rosalya: Não se preocupe, eu sei disso.


(Próximo)


Rosalya: Mas não deixa de ser uma notícia... maravilhosa! E eu que estava começando a ficar desesperada.


Imagine eu...


Rosalya: Ha ha! E como foi?


C-Como foi o quê?


(Ela olhou para o alto, suspirando.)


Alexy: Ora, o primeiro beijo! O que mais poderia ser?!


É pessoal, vocês estão sendo muito intrometidos!
Foi tão bom... (Eu não pude deixar de ficar vermelha.)
Vocês têm uma ideia...?


Alexy: Oooh, a fofa da Docete está apaixonada...!


Silêncio!


(Eu olhei em volta para ver se ninguém estava nos ouvindo.)


Rosalay: Ah, é, o Alexy me contou que você queria manter isso em segredo... Por quê?


Eu prefiro esperar um pouco e ver como tudo evolui antes que todo mundo comece a se meter no nosso relacionamento...


Alexy: Façam o que bem entenderem, mas eu acho que quanto mais cedo vocês assumirem tudo , mais cedo as pessoas vão deixar vocês em paz.


(Próximo)


Rosalya: Bom, chega. Não vamos dizer para a Docete o que ela deve fazer. Tudo é muito novo, ela precisa encontrar o namorado tranquilamente.


(Próximo)


Rosalya: Falando nisso, cadê ele?


Ah... Não faço ideia.


Rosalya: Eu vou indo, você precisa encontrá-lo. E eu preciso entregar o meu atestado de ontem.


Ah, é mesmo! Por que você não veio ontem?


Rosalya: N-Nada de mais... Não se preocupe.


Pois agora eu acho que você está me escondendo algo.


Rosalya: Eu não estava me sentindo bem, só isso.


(Próximo)


Alexy: Ela estava com dor de barriga.


(Próximo)


Rosalya: Muito obrigada pela sua discrição, Alexy...


Durante dois dias?!


Rosalaya: Eu demorei para ficar boa...


(Ela não desmentiu, imagino que tenha sido por causa do restaurante... Ela comeu demais! Mas eu não vou insistir, ela está com vergonha.)


Rosalya: Bom. Nos vemos mais tarde.


(Ela piscou o olho para mim e foi embora.)


Alexy: Eu também tenho que ir, eu acho que você precisa encontrar alguém.


E-Espere. Eu queria saber...
Você... Você está zangado comigo?


Alexy: Não, por quê?


Porque eu não te contei antes...


Alexy: Bom, eu confesso que fiquei meio assim no começo, mas, bom, eu te perdoei.


(Próximo)


Alexy: Eu te conheço, nem quero imaginar a confusão que deve ter sido quando você começou a se dar conta dos seus sentimentos.


Ainda está tudo muito confuso. Por exemplo, agora, eu estou completamente angustiada, você não faz ideia... Eu estou com medo de não saber o que dizer, fazer, ou...


Alexy: Calma... Está tudo bem.


(Próximo)


Alexy:  Venha cá.


(Ele me abraçou forte.)


Alexy: Aproveite e viva esse momento único... Não pense em mais nada, ok?


Obrigada... Eu tenho a sorte de ter um amigo como você.


Alexy: Ai, vai embora antes que eu tenha que pegar uns lencinhos.


(Terminar a conversa)


Corredor Principal


((Ah, eu estou pensando tanto no Castiel que acabei esquecendo de perguntar para o Alexy como foi a reunião de ontem.)
(Ah, a Peggy! Ela não vai deixar de me contar a novidade...)


Olá! Você sabe o que...


Peggy: Eu estou cansada dessa escola que limita nossa liberdade de expressão!


V-Você está falando isso por quê não pôde publicar o artigo sobre o próximo evento da escola?


Peggy: Você mora em uma gruta ou o quê? Do que mais poderia ser?


Ei, calma...


Peggy: É INADMISSÍVEL! A diretora me deu uma bronca e me impediu de públicar um artigo antes do anúncio oficial. Ela alegou que nada estava definido ainda e que eles estava aguardando uma resposta.


(Próximo)


Peggy: TUDO MENTIRA!


N-Não fique desse jeito... Vai ver que ela estava falando a verdade mesmo.


Peggy: Eu sei que não.


(Próximo)


Peggy: Agora eu preciso ir, essa história não terminou ainda.


O que você está pensando em fazer?


Peggy: Um artigo bomba sobre a liberdade de imprensa!


(Ela foi embora murmurando maldições bem exóticas...!)


Peggy, espere! Peggy!


(Mas ela não ouviu e continuou caminhando.)
(Só me resta encontrar alguém que possa me informar sobre esse famoso evento.)


Sala de Aula A


(Hum, eu não vou perguntar nada para essas três...)


Grêmio


(A diretora está conversando com o Nathaniel e a Melody...)
(Ele estão falando sobre papeladas, o melhor é eu ir para outro lugar.)


Biblioteca


Ah, Lysandre... Talvez você possa me ajudar.
Lysandre?


Lysandre: Oh, desculpe, eu não ouvi.


(Ele parece preocupado... Eu acho que não cheguei em uma boa hora.)


Está tudo bem?


Lysandre: Eu... Sim, está tudo bem, não se preocupe.


Eu não gosto de te ver assim... V-Você me contaria se houvesse algo de realmente grave acontecendo?


Lysandre: Eu sinto muito, mas não estou com vontade de falar sobre o assunto. Não é nada pessoal, eu te prometo.


Ok, mas... Não somos amigos, não é verdade? Sabia que você pode contar comigo parao que der e vier.


Lysandre: Você é adorável. Mas não há nada que você possa fazer, infelizmente.


(Ele passou a mão no meu ombro e depois saiu da sala.)
(Tudo isso é muito estranho...)


Escadaria


(Ah, finalmente encontrei quem possa me explicar sobre a reunião de ontem!)


Violette e Priya: Olá, Docete!


Olá!


Priya: O que você acha que eles vão nos pedir para fazer?


Pedir?


Violette: Eu gostaria de desenhar, claro.


Mas do que vocês estão falando?


Priya: Você não foi para a reunião ontem/


(Próximo)


Violette: é verdade, eu não lembro de ter visto você...


Eu... Eu não pude ir. Mas do que se trata esse famoso evento?


Violette: A escola vai organizar um evento artístico.


Oh!


Priya: Pelo jeito vamos ter que trabalhar em grupo com um tema sugerido.


Hum... Não parece muito interessante...
Parece ser bem interessante!


Violette: Verdade... Eu quero poder aprender coisas novas.


(Próximo)


Priya: Ou talvez é você que vai nos ensinar coisas novas, Violette.


Tem algo que eu não consigo entender... Eu ouvi várias coisas antes do anúncio  da diretora e eu pensei que tudo isso tinha a ver com o ginásio e o Boris...


Priya: Mas é isso mesmo. Pelo que eu entendi, o Boris tem um contato na Austrália, um artista talentoso. O Boris vai organizar a vinda dele aqui.


(Próximo)


Violette: E pelo jeito ele vai ficar no ginásio.


Como assim? Por que ele não fica em uma das salas dos professores?


Priya: Pelo que o Boris contou, o monitor é um pouco claustrofóbico... Ele precisa do máximo de espaço possível.


(Esse artista parece ser bem original...)


Entendi... E quando vai ser esse "Dia da Arte"?


Violette: Amanhã.


(Próximo)


Priya: O professor Faraize vai nos separar em grupos hoje mesmo. Iremos ajudá-lo a instalar todo o material.


E eu que pensei que seria um dia como outro qualquer...


(Bom, ok, não é bem isso, mas não tem a ver com as aulas...)
9Eu estou com vontade de conversar com o Castiel e ver o que ele acha desse dia dedicado à arte.)


Biblioteca


Que cara vocês estão fazendo!


Kentin: Digamos que a arte não é bem o meu domínio...


(Próximo)


Kim: Pois é, o meu também não.


Nós nem sabemos ainda o que vamos fazer...


Kim: Pouco importa, eu sie que vai ser uma piada!


É a história do trabalho em grupo que me deixa mais preocupada.
Vamos ter um monitor australiano... Ele vai nos mostrar várias coisas!
É uma boa desculpa para faltar à aula, haha!


Kim: Verdade.


(Próximo)


Kentin: Mas talvez nós não iremos nos divertir, tudo vai depender do grupo que iremos pegar.


Verdade...


(Eu já sei com quem gostaria de fazer equipe...)


Escadaria


Armin: Jogar é uma arte! Não há motivo para que o jogo não faça parte do programa também...!


(Próximo)


Alexy: Eu não acho que o organizador pense assim, mas você pode sonhar, não custa nada.


(Próximo)


Armin: E você, Docete, o que acha?


Eu acho que o jogo é uma arte.
Eu confesso nunca ter pensado no assunto.
Bom, tem um lado criativo, mas chamar o jogo de obra de arte...


Armin: Eu estou feliz em estar te ajudando a ser mais sábia.


(Próximo)


Armin: Além disso, criar um jogo é um projeto incrível, um verdadeiro trabalho de equipe!


Mas eu não acho que eles vã nos pedir para criar um jogo... Vai além das nossas competências...


Armin: Fale por si mesma. Eu tenho algumas noções de programação e a fofa da Violette pode cuidar do aspecto gráfico.


(Próximo)


Alexy: A esperança é a última que morre!


(Terminar a conversa)


Grêmio


Olá!


Melody: Então, Docete, ficou feliz com a notícia do evento que está por vir?


Eu confesso que estou curiosa, sim...
Eu não gosto muito de trabalharmos em grupo...


Melody: Eu também! A diretora não explicou qual tipo de arte seria, mas eu quero descobrir logo.


(Próximo)


Nathaniel: Eu confesso gostar da ideia de aprender algo que nunca fiz, como pintura ou fotografia.


Eu também gostaria de aprender um pouco mais sobre pintura!
Eu também gostaria de aprender um pouco mais sobre fotografia!
Eu preferia outra coisa... Mas não sei o quê.


Nathaniel: Nós temos gostos diferentes, vai ser interessante!


(Terminar a conversa)


Clube de Jardinagem


Bia: Eu não vou ajudar de jeito nenhum. Eu tenho escoliose.


Tem... o quê?
Ajudar o quê?
Você está falando comigo?


Bia: Você limpou as orelhas? Os professores explicaram ontem!


Eu não estava presente.


Bia: Você está querendo contar a sua vida de novo?


(Essa garota tem algum problema, não é possível...)


Sala de Aula A


(Parece que ele não veio hoje.)
(Eu não o vi em lugar nenhum.)


Castiel: Por acaso você está me evitando?


(Eu me virei bruscamente.)


N-Não, pelo contrário... Eu estava te procurando.


Castiel: Não me diga...


(Ele se aproximou e começou a me abraçar.)


N-Não, espere...


(Eu me distanciei dele e olhei para os lados, tentando ouvir se alguém se aproximava.)


Castiel: O que você está fazendo?


Estou apenas olhando se não tem ninguém por perto...


Castiel: Você está exagerando, estamos sozinhos.


(Próximo)


Castiel: ...


(Próximo)


Castiel: Você não mudou de ideia... ou mudou?


Do que você está falando?


Castiel: De nós dois.


Claro que não!


Castiel: Bom, então fique mais calma, está bem?


(Ele me puxou pela cintura e me beijou.)
(Mesmo com receio de que alguém nos visse, eu me deixei levar por alguns instantes. Seria uma grande bobagem não viver um momento como esse.)


Castiel: Quanto mais eu penso, mais eu acho que é uma péssima ideia ir para a aula hoje.


Você está brincando? Já faltamos a reunião de ontem, não podemos continuar assim.


Castiel: Eu estou brincando. Além disso, até que gostei da ideia. Só espero que não esqueçam de incluir a música.


Castiel motivado por um evento escolar? Parece que você mudou, não?


Castiel: Não vá sonhando com isso. Eu só acho que as chances são mínimas para que o evento seja péssimo.


Entendi...


(Eu não pude deixar de achar graça. É estranho vê-lo otimista assim.)
(No mesmo instante o sinal tocou.)


Castiel: Bom, vamos. Eu quero te ver fazendo o possível para entrar no memso grupo que eu.


Agora quem está sonhando é você...


(No fundo eu adoraria ficar no mesmo grupo que ele...)
(Se bem que talvez não seja a melhor maneira para esconder o nosso namoro...)
(Eu tive o cuidado de me distanciar dele o suficiente ao sair da sala.)
(Ninguém deve nos ver de mãos dadas... Não pode haver nenhuma alusão a intimidade.)


Sala de Aula B


(Já tem bastante gente na sala de aula.)
(Eu não sei se devo me sentar ao lado do Castiel...)
(Não é porque iremos sentar lado a lado que as pessoas vão desconfiar de alguma coisa...)
(Ele me olhou surpreso.)
(Foi ai que pude perceber que a Ambre nos olhava de maneira nada discreta.)
(Eu entrei em pânico.)


Eu... Eu vou me sentar ao lado da Kim, no fundo da sala, está bem?


Castiel: Hum...


(Próximo)


Castiel: Você que sabe.


(Ele foi se sentar ao lado do Lysandre.)
(Eu espero que ele não fique zangado comigo por causa disso...)
(Eu sentei na cadeira ao lado da Kim, suspirando forte.)


Kim: Algum problema, garota?


Oh, não, está tudo bem...


Kim: É a Barbie falsificada que ainda está procurando confusão?


Não, fique tranquila.


Professor Faraize: Olá para todos!


(Próximo)


Professor Faraize: Como todos vocês já sabem, amanhã será um dia diferente.


(Próximo)


Professor Faraize: Eu vou passar algumas folhas de papel. Vocês vão colocar os seus nomes e escolher qual atividade preferem fazer.


(Próximo)


Professor Faraize: Depois, iremos instalar o material necessário para as atividades de amanhã.


(Próximo)


Ambre: Mas e se todo mundo escolher a mesma coisa? O que vocês irão fazer?


(Próximo)


Professor Faraize: Eu conto com a variedade de gostos de cada um, mas se tivermos esse tipo de problema nós seremos obrigados a fazer algumas concessões...


(Hum... Eu estou com um mau pressentimento...)
(Os alunos foram passando as folhas e nós acabamos descobrindo quais eram as atividades.)
(Eu não sei o que escolher, estou em dúvida...)


(Eu vou fazer o ateliê de pintura.)
(Eu vou fazer o ateliê de escultura.)
(Eu vou fazer o ateliê de vídeo.)
(Eu vou fazer o ateliê de fotografia.)
(Eu vou fazer o ateliê de costura.)


(Eu não sei o que vai dar, mas...)
(Mas esse ateliê parece ser o mais interessante de todos.)
(Eu não faço ideia do que o Castiel escolheu...)


Professor Faraize: Os grupos serão anunciados no final do dia. Agora iremos começar a organizar as oficinas.


(Próximo)


Professor Faraize: Nathaniel, Kentin e Castiel, vocês irão ajudar na instalação do laboratório de revelação que vai ficar no porão.


(Próximo)
(Os rapazes se olharam sem jeito.)


Castiel: Por que nós três?


(Próximo)


Professor Faraize: O material é pesado, vocês parecem capazes de carregá-lo.


(Próximo)


Professor Faraize: E a senhora Delanay estará lá para supervisionar as operações.


(Próximo)


Castiel, Nathaniel e Kentin: O quê?!


(Próximo)


Professor Faraize: Vocês já podem ir, ela deve estar esperando por vocês...


(Eles saíram da sala, o Nathaniel de cabeça erguida e o Castiel e o Kentin arrastando os pés de má vontade.)
(Eles não chegam a ser os melhores amigos do mundo, mas eu espero que tudo corra bem.)


Professor Faraize: Alexy, Peggy e Docete! Para a organização do ateliê de pintura. Vocês podem ir para a sala de aula A.


Claro!


(Ah, o Alexy ainda está me olhando com um sorriso nos lábios. Eu espero que ele não falae bsteiras na frente da Peggy.)


Professor Faraize: Para o ateliê de escultura, eu vou precisar de...


Senhor, com licença... O senhor não nos disse onde estava o material.


Professor Faraize: Eu falei ontem, no ginásio, não lembra?


Ah, é...


Alexy: Ha ha, que memória curte...


(Próximo)


Alexy: *murmura* Siga-me antes de ser pega na mentira graças a si mesma!


(Ele me levou para fora da sala.)


Corredor 2


Alexy: O material deve estar no ginásio a essa hora. O professor Boris iria pegá-lo.


Ah, ok...
Hum... Tudo bem, Peggy?


Peggy: Como pode estar "tudo bem"?!


F-Fique calma... Você está me assustando!
Eu sei que você está de mau humor, mas não desconte sua raiva em mim!
Pare com isso, não aconteceu nada demais!


Peggy: Desculpe, é mais forte do que eu. É o tipo de situação que me deixa fora de controle.


Você vai conseguir um artigo exclusivo no próximo evento, não se preocupe...


Peggy: Assim espero...


(Próximo)


Alexy: Hum, vamos mudar de assunto.


(Próximo)


Alexy: O que vocês escolheram como ateliê?


(Próximo)


Peggy: Fotografia, porque eu conheço um pouco. Eu espero que eles não me impeçam de me expressar livremente.


(Próximo)


Alexy: Eu escolhi a pintura. Não vou dizer que tenho talento, mas acho que a Violette vai escolher esse ateliê e eu gosto de trabalhar com ela. E você, Docete?


Eu também escolhi a pintura! Seria muito legal trabalharmos junto com a Violette!


Alexy: Não vejo a hora de começar!


Eu também!


Alexy: Talvez seja melhor irmos agora, o professor Boris deve estar nos esperando.


(Terminar a conversa)


Ginásio


Boris: Tenham cuidado, vocês vão acabar se machucando!


(Próximo)


Castiel: Seria uma pena...


(Próximo)


Nathaniel: Olha por onde anda, senão vamos acabar nos batendo!


(Próximo)


Kentin: Ei, andem rápido, isso aqui está pesado!


(O Castiel e o Kentin estão carregando algo como uma mesa de trabalho improvisada.)
(E o Nathaniel está carregando uma bandeja branca grande.)
(Parece perigoso...)
(Eu e o Castiel nos olhamos.)
(Ele indicou com a cabeça onde estava o Nathaniel e parecia bem irritado.)
(Há tempos que eles não brigam.)


Boris: Andem rápido, liberem um pouco de passagem para os outros!


(Os rapazes saíram do ginásio carregando os objetos com dificuldade.)
(O ginásio está cheio de material...)


Boris: Eu acho que está tudo misturado, o melhor é vocês procurarem o que precisam.


(Próximo)


Boris: Eu não entendo muita coisa, não poderei ajudar. Eu vou dar um telefonema no vestiário, se vocês precisarem de mim, estarei lá.


Ok...
E eu que achava que ele iria ser uma grande ajuda...


Peggy: Mas ele é. Sem o contato dele da Austrália, eu não sei quem poderia nos orientar em cada ateliê artístico.


(Próximo)


Alexy: Eu só acho que ele poderia nos ajudar a carregar todo essa bagunça...


E já seria alguma coisa.


Peggy: Agora temos que achar algo para levar para a sala de aula A.


(Nós começamos a procurar.)


Alexy: Tem vários pincéis e folhas aqui dentro, só pode ser para o ateliê de pintura.


Cada um pega alguma caixa. Eu espero que não estejam muito pesadas.


(A Peggy pegou uma das caixas para constatar se era mesmo pesada.)


Peggy: Não está tão pesada assim...


Ok, vamos então.


Pátio


(O que o Lysandre está fazendo aqui sozinho?)


Peggy: Você está perdido, Lysandre/


(Próximo)


Lysandre: Não, eu estou procurando a câmera filmadora. Eu tenho que colocá-la em um local seguro para  ateliê de vídeo. Os professores estão com receio que ela acabe quebrando com toda essa agitação.


Pelo menos ela é grande o suficiente, você não vai conseguir perdê-la, haha!
Você precisa de ajuda? A escola está uma bagunça!
Vá rápido antes que o Kentin, o Castiel e o Nathaniel voltem.


Lysandre: Eu agradeço, mas você parece bem ocupada, talvez seja melhor se concentrar e fazer o que o professor Faraize te pediu.


Eu posso ir e voltar bem rápido!


Peggy: Vocês dois são muito bonitinhos, mas essa caixa está muito pesada, tchau.


(Próximo)


Lysandre: Não se preocupe, Docete. Está tudo sob controle.


(Terminar a conversa.)


Sala de Aula A


Ufa, finalmente!


Peggy: Eu estava começando a ficar com câimbra.


(Próximo)


Alexy: Oh, coitadinhas, tão frágeis...


O melhor é irmos buscar o restante logo, se não vai demorar muito.


Alexy: Vamos!


(Terminar a conversa.)


Ginásio


(Eu e o Alexy carregamos o cavalete enquanto a Peggy cuidava do material de artes plásticas.)


Alexy: Vamos terminar antes de todo mundo! Quem sabe nós vamos poder sair da escola mais cedo?


(Próximo)


Peggy: Não sonhe muito. Já aconteceu isso uma vez e eles nos mandaram fazer outra coisa...


Verdade, eles vão acabar encontrando alguma coisa para fazermos.


Corredor Principal


(Eu acho que a Iris, a Kim e a Ambre estão arrumando o ateliê de costura...)


Kim: Você achou mesmo que iríamos fazer tudo sozinhas? Segure isso!


(Uau...)
(A Kim acabou de entregar para a Ambre um monte de tecido.)


Ambre: Ei!


(Próximo)


Kim: Eu não vou te deixar descansar enquanto nós trabalhamos, bonita. Você tem braço como todo mundo aqui.


(Próximo)


Iris: Kim, não precisa ficar tão nervosa assim...


(Próximo)


Kim: Eu acho que preciso sim!


(Próximo)


Ambre: Eu estou carregando isso aqui, está contente? Podemos ir agora?


(Próximo)


Iris: F-Fiquem calmas...


(Nós passamos por elas sem demorarmos muito.)
(Primeiro a Priya, agora a Kim... A Ambre está passando por maus bocados.)
(Eu confesso que não acho tão ruim assim.)


Sala de Aula A


Alexy: Terminamos!


O que podemos fazer agora?


Peggy: Nós poderíamos encontrar os professores e perguntar o que fazer ou...


(Próximo)


Peggy: ... podemos achar algo que faça a diretora cair.


M-Mas, você perdeu o juízo? Vamos ter problemas!


Peggy: Calma, quando eu digo "cair", é mo sentido figurado...


Eu imaginei isso! Mas não deixa de ser uma péssima ideia...


Peggy: Eu estou pensando quais argumentos eu irei usar.


(Próximo)


Alexy: Que programa interessante... Olha, não se zangue comigo, mas dessa vez eu não quero me meter nessa história.


(Próximo)


Peggy: Eu não preciso da ajuda de ninguém. Eu serei mais discreta sozinha.


(Ela saiu da sala com um ar confiante.)


Alexy: O que podemos fazer, então?


Hum... Poderíamos ir na sala dos professores e ver de eles estão precisando de nós.


Alexy: Ou podemos ir ajudar o Castiel...


Pare com isso!


Alexy: Você sabe qual ateliê ele escolheu?


E como eu poderia saber? Você estava comigo desde que saímos da sala! Eu não pude conversar com ele, você sabe muito bem isso...


Alexy: Oh, fique calma, é só uma brincadeira.


A milésima brincadeira do dia...


Alexy: Brincadeira à parte, talvez devêssemos mesmo ir ajudá-lo. Vocês poderiam ficar um pouco juntos, sem que ninguém desconfiasse de nada.


Você tem razão... Mas sem insinuações, hein? Eu não quero mesmo que os outros desconfiem de alguma coisa.


Alexy: Não se preocupe... Eu sei ser discreto que ninguém vai entender minhas insinuações... Exceto você, claro.


Você não tem jeito mesmo!


Alexy: Eu também te amo.


(Terminar a conversa.)


Corredor Principal


Professora Delanay: Eu posso saber o que vocês estão fazendo?


Oh, é...
Nós somos responsáveis pelo material de pintura...


Professora Delanay: Então por que vocês estão de mãos vazias?


(Próximo)


Alexy: Nós acabamos de colocar o material na sala.


(Ela olhou para a sala de aula A.)


Professora Delanay: Ah, vocês já trouxeram as pinturas para cá?


(Próximo)


Professora Delanay: Nesse caso, vocês poderão nos ajudar com outras coisas.


(Próximo)


Professora Delanay: Alexander, vá para o porão. A instalação do laboratório parece ser bem complicada, a sua ajuda será bem vinda.


(Próximo)


Alexy: Eu me chamo Alexy, professora.


(Eu acho que ela nem ouviu.)


Professora Delanay: E você, vá para a sala dos professores. Um dos seus colegas está lá, temos várias coisas para fazer até o ginásio.


(Eu olhei para o Alexy desamparada.)


Professora Delanay: O que vocês estão esperando?


(Terminar a conversa.)


Corredor Principal/Sala dos Professores


(A sala dos professores está aberta...)
(É o Castiel!)
(Ele está organizando as caixas.)


Castiel? Você não está mais ajudando os outros no porão? (Ele levantou a cabeça, surpreso em me ver.)


Castiel: Não, o representante de araque me cansou. Eu prefiro ser útil em outro lugar.


(Próximo)


Castiel: E pelo jeito, eu fiz certo.


(Eu senti meu coração disparar. Eu não estou acostumada a vê-lo me olhando desta maneira.)


Castiel: Venha para perto de mim, eu não vou te morder.


(Eu me ajoelhei perto dele para ajudá-lo com as caixas.)


Para que servem todas estas caixas?


Castiel: Essas caixas estão cheias de material de desenho. Pelo que eu entendi é para o monitor.


Mas ele vai nos ajudar, como vai ter tempo para desenhar...?


Castiel: Eu não sei, vai ver que é um doido qualquer que vem apenas fazer um monte de rabisco.


(Eu não resisti e acabei rindo muito.)


Você ficou decepcionado por não haver um ateliê de música?


Castiel: Sim, muito. Só que eu já toco fora da escola, não sei se iria gostar de ver um sabidão me dando aulas.


Que exagero, nem vimos ainda o monitor. Talvez ele seja mesmo bom.


Castiel: Você é mesmo otimista, não?


Sou sim... Eu  acho que nós somos completamente diferentes nesse ponto.
Eu não sou tão bobinha assim!
Eu só quero evitar julgá-lo precipitadamente.


Castiel: Eu já sei.


(Próximo)


Castiel: É o que eu gosto em você. Você pode ter essa aparência de garota frágil, mas sei que pode morder se preciso.


Pois é, se eu fosse você, eu tomaria cuidado!


Castiel: Não me provoque muito...


(Antes que eu pudesse fazer alguma coisa, ele colocou os lábios sobre os meus.)
(Mais uma vez, meu coração começou a bater forte.)


C-Castiel! A porta está aberta!


Castiel: Não tem ninguém no corredor...


N-Nunca se sabe. (Eu me levantei, com uma certa dificuldade.)


(Nós pegamos algumas caixas.)
(Só nos resta levar tudo isso ao ginásio.)


Ginásio


Boris: Ah, você chegou! Coloque as caixas lá em cima. Tuudo tem que ficar pronto rapidamente.


(Ele parece bem estressado... É estranho, não é bem o tipo dele.)
(O telefone tocou e ele respondeu nervoso.)
(Eu me dei conta que nem pensei em perguntar para o Castiel qual ateliê ele escolheu.)


Boris: Docete, por favor! Você poderia procurar a diretora para mim?


(Não acredito, ele não pode ir com as próprias pernas?)


Boris: Por favoe, é urgente. E você, Castiel, poderia trazer o restante das caixas e colocá-las aqui, por favor?


(Eu olhei para o Castiel desanimada.)
(Não vai demorar muito para que eu saiba mais sobre os grupos.)


Clube de Jardinagem


Melody: Eu não pensei que um dia fôssemos ter que fazer uma escultura de madeira.


(Próximo)


Priya: Não vai ser nada fácil. Confesso estar aliviada por ter escolhido outro ateliê.


(A diretora não está por aqui, eu vou procurar em outro lugar.)


Corredor 2


Li: Eu não aguento mais toda essa bagunça.


(Próximo)


Charlotte: Amanhã nó vamos estar mais tranquilas.


(Próximo)


Li: Que chato a Ambre não poder ir...


(Próximo)


Charlotte: Não tem problema. Eu não vou deixar de curtir a minha casa de praia por causa disso. Um ateliê? Só aguento dois minutos.


(Tem gente que não tem medo de nada mesmo.)


Charlotte: Vou para o corredor para ver se a minha mãe chegou com o atestado.


(Por que a Ambre não pode ir com elas...?)


Sala de Aula B


Kim: Não acredito, ela foi embora!


Do que você está falando?


Kim: Daquela doida! Basta virarmos as costas para ela aproveitar e fazer besteira!


(Próximo)


Iris: Eu acho que ela foi buscar o resto dos tecidos...


(Próximo)


Kim: Claro... E ela vai nos trazer um lanche!


Hum, eu preciso ir...


Kim: Se você encontrar a Barbie, me avise.


O-Ok...


Sala de Ciências


Bia: Eu estou falando sério, você deveria procurar amizades com pessoas que podem te fazer avançar na vida.


(Hein??)


Violette: M-Mas os meus amigos me ajudam...


O que está acontecendo?


Bia: Ela, por exemplo. Não é com ela que você vai progredir em alguma coisa.


(Próximo)


Violette: Eu considero a Docete como uma grande amiga. Não fale assim dela.


(Uau... É a primeira vez que eu vejo a Violette respondendo para alguém desta maneira.)
(E confesso que fiquei emocionada.)


Bia: Você é que sabe, pelo menos eu te avisei.


(Ela foi embora dando de ombros.)


O que deu nela? Ela está pensando em montar um exército ou o quê?


Violette: Eu acho que ela gostaria de se aproximar mais das pessoas. Só que ela não sabe como...


Nem fale...


Porão


(Opa, o ambiente aqui está bem pesado.)


Kentin: Pare de dar ordens,  não é porque você é o representante de turma que pode mandar aqui.


(Próximo)


Nathaniel: É você que está procurando confusão, eu não estou dando ordens, eu só quero...


(Próximo)


Nathaniel: Ai!


(O Kentin o machucou sem querer com uma placa de madeira.)


Kentin: Opa, desculpe.


(Próximo)


Nathaniel: Eu desisto!


(Esses dois não foram feitos para trabalharem juntos...)
(O Alexy olhava de longe e parecia achar graça da situação.)
(Eu vou embora daqui, não quero me meter nessa assunto.)


Corredor Principal


(Ah, aqui está a diretora!)


Senhora?


Diretora: Ah, vocês terminaram o trabalho?


Sim, mas o professor Boris está  procurando a senhora, parece urgente.


Diretora: Onde ele está? No ginásio?


Sim.


Diretora: Bom, eu vou ver o que está acontecendo. Você poderia juntar o máximo de alunos possível na sala de aula B?


Oh... Está bem.


Vestiário


Ei, vocês precisam ir para a sala de aula B. Os professores vão anunciar a divisão dos grupos.


Armin: E depois vamos poder ir para casa?


Exatamente.


Armin: Ótimo!


(Próximo)


Alexy: Que bom, tem tanta coisa mais interessante para fazer...


(Do que ele está falando...?)
(Ele me olhou com ares de sabidão.)


Armin: Eu estou sonhando ou vocês dois estão me escondendo alguma coisa?


Bom, eu encontro vocês depois, eu preciso avisar os outros.


(Eu fui embora antes que ele dissesse mais alguma coisa.)
(Eu sei que o Alexy deve achar tudo muito engraçado, mas ele vai ter que parar com tanta insinuação.)


Corredor 2


(Quanta gente!)


Rosalya: Eu acho que você exagerou um pouco, Peggy. Pelo barulho que você fez, eu esperava algo sensacional!


(Próximo)


Peggy: Ei, o que você está falando? Se ninguém tivesse me impedido, eu não teria lutado tanto e vocês teria mais dúvidas.


(Próximo)


Melody: Eu confesso que estava esperando algo mais extraordinário, mas um evento artístico continua sendo uma boa ideia.


(Próximo)


Iris: Vamos nos divertir, claro!


(Próximo)


Priya: Que bom que a escola da espaço para esse tipo de evento de tempos em tempos.


Meninas, vamos ter que ir na sala de aula B. Eles vão anunciar os grupos...


Iris: Legal, vamos!


(Elas começaram a ir para a sala de aula.)
(Bom, agora eu preciso ir encontrar os outros.)


Escadaria


(Ah, o Nath está aqui...)


Nathaniel: Ah, você chegou. Todo mundo encontra-se na sala de aula. Chegou a hora de conhecermos as equipes.


Oh, eu não preciso encontrar mais ninguém?


Nathaniel: Não, eu acho que todos foram avisados. Se faltar alguém, chamaremos via o auto-falante.


(No mesmo instante, o auto-falante começou a fazer um barulho infernal.)
(Foi tão assustador que eu acabei dando um pulo com as mãos nas orelhas.)


Nathaniel: Ai, deve ser o professor Faraize tentando passar uma mensagem.


(Ele colocou a mão de leve nas minhas costas.)


Nathaniel: Tudo bem?


Oh, sim, tudo...


Nathaniel: Vamos...


(Terminar a conversa.)


Sala de Aula B


(Todo mundo parece estar aqui, pelo menos é o que parece...)
(O professor Faraize apareceu na sala e parecia assustado.)


Professor Faraize: Eu não sei se a mensagem foi passada, mas todfo mundo parece estar presente.


(Próximo)


Professor Faraize: Nós acabamos de receber um pedido de dispensa da parte dos pais da Li e da Charlotte. Infelizmente elas não vão poder participar do evento artístico.


(Ela conseguiram o que queria, que coisa...)


Professor Faraize: Por isso nós fomos obrigados a mudar um pouco os grupos e alguns não puderam obter o ateliê escolhido.


(Um murmúrio de desapontamento ecoou pela sala.)
(Eu espero conseguir o ateliê que eu escolhi.)


Professor Faraize: Para o ateliê de pintura, nós temos o Castiel, a Iris e a Violette.


(Próximo)


Professor Faraize: Para o de escultura, a Kim, o Alexy e o Lysandre.


(Eu ouvi o Alexy suspirar.)
(Ele tinha escolhido a pintura...)


Professor Faraize: Para o ateliê de vídeo, o grupo é formado pelo Armin, a Priya e a Ambre.


(Eu vi o Armin olhar para a Ambre de cara feia. Eu já sei que esses dois vão passar por situações difíceis.)
(E a Ambre não parecia muito à vontade...)
(Ela tinha visto a oportunidade de se aproveitar de alguém, mas com a Priya ao lado, acho que não vai ser possível...)


Professor Faraize: Para o ateliê de fotografia, temos o Nathaniel, a Melody e a Peggy.


(A Melody olhou para o Nathaniel como se fosse um deus vivo...)


Professor Faraize: E para terminar, a Rosalya, a Bia e o Kentin vão para o ateliê de costura.


(Próximo)


Kentin: O quê?!


(Com certeza não foi isso que ele tinha escolhido...)
(Ele reagiu como se alguém tivesse anunciado que ele deveria cuidar do Totó durante um mês.)


Professor Faraize: As equipes estão formadas, podem ir para casa agora. Vocês fizeram um excelente trabalho e...


Professor...?


Professor Faraize: Sim?


O senhor não citou o meu nome, eu gostaria de saber em qual grupo irei ficar...


Professor Faraize: Oh, claro, sinto muito! Diocete, você irá para o ateliê de...


(Eu cruzei os dedos atrás das costas.)


Professor Faraize: ... pintura, como você pediu.


(Viva!)
(Além disso, estou com o Castiel! Eu tenho que tomas cuidado para não dar vacilo.)
(Todo mundo saiu da sala conversando com entusiasmo.)


Corredor 2


(Como vai ser o meu dia amanhã...? Vai me fazer bem fazer algo diferente...)


Iris: Docete! Você viu, estamos no mesmo grupo!


Sim, estamos.
Sim, eu fiquei feliz também!


Iris: Vai ser tão divertido! Eu gosto de pintar, mesmo não tendo muito talento para isso... A Violette vai nos ajudar.


Sim e ainda bem! Eu estou receosa.
O mais importante é que possamos nos divertir, pouco importa se for uma obra de arte.
Eu não vou precisar de conselhos. Eu sei segurar um pincel.


Iris: Você tem razão, não precisamos nos angustiar tanto.


(Próximo)


Iris: Enfim... Docete, até amanhã. Não vejo a hora de começar o ateliê.


Até amanhã!


Pátio


(Todo mundo parece ter ido embora da escola.)
(Eu iria gostar tanto de rever o Castiel antes de ir embora...)


Castiel: Você pensou que poderia fugir de mim?


Castiel! Você estava me esperando?


Castiel: Não, eu estava fazendo meus exercícios e quando te vi passar, pensei que seria bom conversar um pouco com você...


Tão sincero...


(Eu não pude deixar de sorrir. Eu fico feliz em ver que ele não mudou tanto assim.)
(É o que eu gosto nele... Esse humor sarcástico.)
(Eu quase propus irmos juntos a uma lanchonete, mas não disse nada. Eu ainda estou proibida de sair e, além disso, alguém poderia nos ver juntos...)


Castiel: Quer dizer que você conseguiu entrar no mesmo ateliê que eu?


Pois eu acho que foi você que me copiou!


Castiel: Você está muito confiante, garota...


(Próximo)


Castiel: Eu tinha escolhido vídeo, ou seja, eu quase fui obrigado a fazer o ateliê com a Ambre...


Ela iria passar o dia agitando os cabelos, tentando chamar a sua atenção.


Castiel: Poderia ter sido engraçado.


Engraçado? Eu não consigo enxergar essa possibilidade.


Castiel: Olha só quem está sofrendo sua crise de ciúmes...


Não tenho ciúmes dela! Se fosse para você ser o namorado dela, isso já teria acontecido há muito tempo.


Castiel: Mas você não deixa de ser um pouco ciumenta.


Não sou não.


Castiel: Não fique emburrada.


Eu não estou emburrada.


Castiel: Mentira.


(Ele me puxou para perto, com o sorriso irônico de sempre.)
(Mas ao olhar por cima de seu ombro, eu pude ver uma silhueta familiar que se aproximava de longe.)
(Eu dei um passo para trás.)


Castiel: O que foi...?


I-Iris... Você ainda está na escola?


Iris: Eu sou mesmo muito distraída... Eu esqueci meu celular na sala de aula.


(A Iris está sempre no lugar errado, na hora errada!)


Iris: Você acha que as salas já estão fechadas?


(Próximo)


Castiel: Provavelmente, mas ás vezes eles não trancam nada.


(Próximo)


Castiel: Mas se você quiser, eu posso tentar abrir.


Sério?


Castiel: Está impressiona?


Eu não posso estar impressionado com uma má ideia como essa...


Iris: Eu sei, mas eu preciso mesmo do meu telefone.


(Próximo)


Castiel: Bom, eu vou com você.


(Próximo)


Iris: Obrigada!


Eu vou para casa, até amanhã.


Iris: Até amanhã, Docete.


(Próximo)
(O Castiel sorriu para mim e voltou para a escola.)
(Que delícia vê-lo simpático e prestativo com pessoas como a Iris.)
(Ainda bem que eu a vi a tempo.)
(O melhor é ir para casa agora.)


Meu Quarto


(O dia foi mais agitado do que eu imaginava.)
(Eu não faço ideia de como será o dia amanhã.)
(Toda essa atividade na escola pode terminar em uma confusão total.)
(O ambiente em casa estava o mesmo.)
(Eu continuei gentil com os meus pais e eles continuaram achando que faço isso porque quero ser perdoada.)
(E eles parecia animados quando eu contei sobre o evento artístico.)
(Meu pais disse "ai está algo inteligente para fazer" e eu preferi não responder.)
(Eu prefiro não chamar a atenção dele em relação aos rapazes por enquanto.)
(No dia seguinte, eu fiquei um tempo olhando para o meu guarda-roupa como uma boba.)
(Qual roupa vai ser mais adequada para o meu ateliê...?)





(Bem, estou pronta para o evento artístico!)


Em Frente à Escola


(Eu devo ir diretamente ao espaço reservado ao meu ateliê...?)


Professora Delanay: Por favor, vá direto para o ginásio.


Ah... está bem...


Professora Delanay: Vá logo, o ateliê já vai começar.


(Ok...)
(Bom, pelo menos eu sei para onde ir.)


Ginásio


(A maioria dos alunos já chegou.)
(No meio do ginásio, alguém que não conheço conversa com o Boris.)
(Deve ser o monitor.)


Patrick: Não vai ser fácil, evidentemente... Mas é importante buscar no fundo de si mesmo a ESSÊNCIA da inspiração.


(Ele é o monitor, com certeza.)


Boris: Ah, é, sim, está bem.


(O Boris parece completamente perdido...)


Diretora: Por favor, silêncio.


(Próximo)


Diretora: Nós temos o prazer de apresentar o senhor Patrick Savain nesse dia especial. Ele será o monitor de arte durante o ateliê.


(Próximo)


Diretora: O senhor Savain acabou de chegar da Austrália, local onde suas obras de arte são expostas regularmente. Ele irá orientá-los nos trabalhos durante todo o dia.


(Próximo)


Patrick: Olá, podem me chamar de Patrick, não vamos ser tão formais. Vocês devem estar com o espírito o mais livre possível para o dia de hoje. A arte é construída também pela espontaneidade. 


(Alguns alunos trocaram olhares atônitos.)
(Eu não sei porquê, mas eu já gosto dele. Ele parece mesmo... apaixonado pelo que faz.)


Diretora: Eu gostaria de agradecer aos pais dos alunos que puderam vir nos ajudar hoje.


(Eu reconheço todos eles!)
(A morena é a mão do Armin e do Alexy e a loira é a mãe da Kim.)
(Não vamos nos entediar, essa duas parecem ter a personalidade forte.)


Diretora: Não temos tempo a perder. Peço a todos que se dirijam as suas salas ou espaços na escola que correspondem ao ateliê escolhido. Vocês irão conhecer o tema imposto para as suas criações por lá.


(Próximo)


Professora Delanay: Quem vai para o ateliê de escultura, por favor, siga-me.


(Próximo)


Audrey: Eu vou ajudar os alunos do ateliê de costura.


(Próximo)


Vitória: E eu o ateliê de pintura.


(Próximo)


Professor Faraize: Os alunos do grupo de fotografia, por favor, sigam-me.


(Próximo)


Boris: Eu ficarei com os alunos do ateliê de vídeo.


(Próximo)


Diretora: Vamos, rápido! Já perdemos muito tempo hoje!


(Terminara a conversa.)


Sala de Aula A


Vitória: Bom, é a nossa vez. 


(Próximo)


Vitória: Para aqueles que não me conhecem, meu nome é Vitória e eu sou a mãe do Armin e do Alexy. Eu sou decoradora e é um prazer estar aqui para ajudar vocês.


(Próximo)


Vitória: Eu não ficarei aqui o dia todo. Nós, pais dos alunos, iremos passa de grupo em grupo, assim como o monitor e os seus professores, para que vocês tenham o máximo de liberdade! Uma boa ideia, não?


(O Castiel parecia não estar convencido.)
(A Iris e a Violete pareciam contentes em estar com alguém tão descontraído.)


Vitória: Fiquem tranquilos, eu não mordo!


(Próximo)


Vitória: O tema para as suas criações é "Pecado Capital". Vocês devem escolher um dos sete pecados capitais e representá-los no sue trabalho.


(Eu, o Castiel, a Iris e a Violette olhamos para ela pasmos.)


Vitória: Vocês parecem não estarem muito inspirados pelo tema escolhido...


(Próximo)


Iris: Digamos que é um pouco... Ousado como tema, não?


(Próximo)


Castiel: Ora, miss, eu não pensei que você fosse assim tão careta.


(Próximo)


Iris: N-Não é bem isso, é que eu acho o tema... um pouco... difícil.


(Próximo)


Violette: É um tema bem rico, podemos fazer várias coisas.


(Eu fico tão feliz em ver a Violette à vontade, fazendo o que conhece...)


Castiel: Eu também acho, nada mal como tema. Eu pensei que seria algo bem chato.


(Próximo)


Vitória: E você, o que achou do tema?


Eu achei interessante.
Eu confesso que estou perplexa.
Eu não vou conseguir me inspirar com um tema desse.


Vitória: Esse é o tema escolhido, vocês vão precisar se acostumar e começar a trabalhar com ele. Uma vantagem desse tema é que vocês poderão escolher com qual "pecado" preferem trabalhar.


(Próximo)


Vitória: Vocês vão precisar votar para escolher com qual "pecado"  preferem trabalhar. Se houver empate, eu posso opinar,. Começamos com quem?


(Próximo)


Castiel: Eu acho que a Docete quer dizer algo.


(Eu olhei para ele reprovando o comentário.)
(Depois de beijar uma garota, ele consegue deixá-la envergonhada... Só ele mesmo.)


*murmura* Você vai me pagar por isso...


Castiel: *murmura* Eu não vejo a hora...


(Próximo)


Vitória: Vamos, senhorita, estamos esperando.


(Eu não vou escolher a luxúria... Eu não quero nem imaginar a reação dos outros... Além disso, provavelmente todos ficariam constrangidos vendo o tema escolhido no quadro.)
(Eu ainda tenho seis possibilidades.)


Eu vou escolher o orgulho.
Eu vou escolher a preguiça.
Eu vou escolher a inveja.
Eu vou escolher a ira.
Eu vou escolher a gula.
Eu vou escolher a avareza.


Castiel: Eu também prefiro a ira.


(Não me diga...)


Iris: Eu prefiro a gula.


(Próximo)


Violette: Eu prefiro a ira...


(Eu fiquei sem palavras.)
(O Castiel escolhendo a ira eu até entendo, mas a Violette?)


Vitória: Bom, então o tema será a ira.


(Próximo)


Vitória: Agora que a decisão foi tomada, só me resta guiá-los na escolha das técnicas e cores.


(Próximo)


Vitóiria: Eu te proponho conversar com essas duas senhoritas aqui.


(Ela mostrou a Iris e a Violette.)


Vitória: E vocês dois, que tal pegar alguns manuais de história da arte  na biblioteca? Eu acho que vai ser muito útil.


(Ela está falando comigo e com o Castiel...)


Castiel: Sim, ok.


Está bem.


Biblioteca


Hum, história da arte deve ser nessa parte aqui.


(O Castiel começou a procurar os livros que poderiam nos ajudar.)


Castiel: Você está muito estudiosa...


(Quando eu estava tentando pegar um livro na prateleira mais alta, eu senti alguém colocando as mãos nos meus quadris.)
(Sem saber como reagir, me senti completamente paralisada.)
(Depois, eu senti os lábios dele tocando levemente o meu pescoço...)


Castiel: Deixe os adultos fazerem esse tipo de trabalho, garota.


(Ele pegou o livro que eu não conseguia alcançar.)


O-Obrigada... Eu nunca iria conseguir, não sou tão alta quanto você.


Castiel: Eu sei.


(No mesmo instante um grupo chegou na biblioteca falando bem alto.)
(São os alunos do ateliê de fotografia!)
(O Castiel deu um passo atrás, sem dúvida para que ninguém suspeitasse.)


Nathaniel: Está tudo bem, Docete?


Sim... Por quê?


Castiel: Qual é o seu problema?


(Próximo)


Nathaniel: Eu acho que não preciso te pedir autorização para conversar com uma colega.


(Próximo)


Castiel: Sim, mas você deu a entender que eu estava fazendo algo de errado.


Castiel, não precisa se...


Nathaniel: Você está ficando paranoico, cara.


(Próximo)


Melody: Parem com isso.


Parem com isso! (Nós duas falamos ao mesmo tempo.)


Melody: Por favor, não briguem...


E-Essa conversa é ridícula, o melhor é voltarmos para os nossos grupos de trabalho respectivos.


Peggy: Que pena...


(Eu pude ver que ela segurava uma câmera fotográfica antiga.)
(Que decepção... Imaginar que ela queria tirar foto da discussão.)
(Quando os alunos foram embora, o Castiel olhou para mim.)


Castiel: O representante de turma gosta de você.


O quê? N-Não diga bobagem!


Castiel: É evidente.


(Próximo)


Castiel: Enquanto ele ficar na dele, eu não vou fazer nada.


Eu não sabia que você era do tipo possessivo.


Castiel: Eu sou. Se ele ficar na dele, tudo vai ficar bem.


(Nós acabamos pegando dois livros cada.)
(Só me resta voltar para a sala de aula A.)


Sala de Aula A


(Quando voltamos na sala, a mãe do Armin e do Alexy não estava mais lá.)
(Mas o Patrick, sim.)


Patrick: Aqui estão os que faltavam... Castiel e Docete, é isso mesmo?


S-Sim...


Castiel: Não estávamos atrasados, fomos procurar alguns livros para nos ajudar.


(Próximo)


Patrick: É interessante observar a obra de outros pintores... Mas nesse caso, o melhor é ir direto a um museu.


(Próximo)


Iris: O senhor quer dizer que olhar esses livros não servirá de nada?


(Próximo)


Patrick: Não foi o que eu disse. Mas esse tipó de livro serve apenas para a teoria. Na prática, as coisas são bem diferentes.


(Próximo)


Patrick: O que eu quero é...


(Ele deixou o suspense durar por alguns segundos e todos ficamos na expectativa do que seria dito...)


Patrick: Comida caseira e ão comida enlatada!


(Próximo)


Iris: C-Como?


(O Castiel me olhou desanimado.)
(Ok, a comparação é um pouco estranha, mas eu acho que entendi o que ele quis dizer.)


O senhor quis dizer que é melhor olhar os quadros dos grandes pintores do que tentar fazer o mesmo?
O senhor quer dizer que não adianta nada tentar copiar os grandes pintores?


Patrick: Exatamente, eu quero algo mais pessoal, o que a ira significa para vocês.


(Próximo)


Iris: Acho que vai ser bem complicado.


(Próximo)


Violette: Talvez não. Todo mundo já ficou com muita raiva um momento ou outro da sua vida.


(Próximo)


Violette: Q-Quer dizer... Eu acho.


(Próximo)


Castiel: Claro.


Agora nos resta saber o que vamos pintar! Pessoas, figuras abstratas?


Patrick: Não espere que eu responda algo. Vocês que devem dizer o que a palavra "ira" representa.


(Próximo)


Patrick: Eu posso aconselhar sobre a mistura de cores e a escolha dos pincéis.


(O Patrick nos entregou algumas explicações técnicas e nos deixou a sós.)


Castiel: Eu acho que nós não avançamos muito.


(Próximo)


Violette: E eu acho que ele demonstrou confiar no nosso trabalho.


(Próximo)


Violette: Se criarmos algo em relação a nossa própria ira, não tem como errarmos.


O problema é que podemos ter visões diferentes sobre o assunto.


Iris: Nós já perdemos tempo demais, temos que começar...


(Próximo)


Violette: O que acham se fizéssemos um retrato?


(Próximo)


Castiel: Um retrato de quem?


(Próximo)


Violette: Eu não sei... Não precisa ser alguém que nós conhecemos...


Não vai ser uma bagunça se trabalharmos juntos no mesmo retrato?


Violette: Basta dividirmos as tarefas. Eu posso fazer as formas e linhas e vocês, as cores...


(Próximo)


Castiel: É o melhor a fazer. Você parece saber o que faz, garota.


(Próximo)


Violette: Eu vou tentar fazer o melhor possível.


(Nós escolhemos um dos maiores formatos e a Violette começou a traçar algumas linhas no rosto, enquanto eu, a Iris e o Castiel começamos a misturar as cores.)
(Eu dei uma olhadinha na mistura que o Castiel preparava.)


Arghn! Que mistura nojenta é essa? Cáqui...


Castiel: Ei, você acha que o seu azul fluorescente é melhor? Ele é tão intenso que está queimando a minha retina!


Você vai ver se ele é intenso!
Meu azul está perfeito!


(Sem pensar duas vezes, eu balancei o pincel e algumas gotas da pintura caíram na roupa dele.)


Castiel: Você...


(Próximo)


Castiel: Você vai se arrepender, mocinha...


(Ele revidou me sujando de tinta...)


Ei!!





(A situação se transformou rapidamente em uma batalha de pintura.)
(A Iris teve que participar quando percebeu que eu e o Castiel estávamos jogando nela também.)
(E a Violette seguiu tranquila e calma com o só ela sabe ser, concentrada na própria tela, mesmo com o campo de batalha ao redor.)
(Nós tivemos que limpar tudo antes de poder voltar ao trabalho, mas pelo menos rimos muito.)
(A Violette desenhou o contorno de um rosto que prometia ser bem assustador.)
(Nós começamos a colorir rapidamente.)


Violette: Nós vamos precisar da cor preta.


(Próximo)



Iris: Talvez ainda tenha tinta no ginásio? Eu vou conferir.


(Dessa vez não serei eu que irei no ginásio.)


Violette: Enquanto isso, podemos cuidar do restante.


(A Iris foi procurar a tinta enquanto eu, a Violette e o Castiel continuamos trabalhando.)


Vitória: Nossa, assustador!


Nós escolhemos a ira, então...


Vitória: Eu imaginei! Vocês não estão precisando de alguma coisa?


Nossa colega foi procurar um pouco de tinta. Senão, está tudo bem.


Vitória: É o retrato de quem?


(Próximo)


Violette: Ninguém. É a penas uma alegoria.


(A Violette parece tão segura do que está fazendo... Ela fica outra pessoa!)


Vitória: Você parece ser uma verdadeira artista!


(Enquanto a mãe da Kim tentava puxar conversa com a Violette, o Castiel se aproximou de mim.)


Castiel: Talvez seja melhor procurar o monitor antes que o dia acabe, não acha?


Você está preocupado mesmo com o desenrolar das coisas ou eu estou imaginando coisas?


Castiel: Você quer mesmo que tudo dê certo, não? O melhor é ter a opinião de alguém que conhece o assunto.


Sim, verdade.


Castiel: Só nos resta irmos juntos procurar.


Sim... Claro.


(Não é porque eu ando com ele pelos corredores que  alguém vai desconfiar de alguma coisa, não é mesmo?)


Eu e o Castiel iremos procurar o Patrick para que ele dê uma opinião sobre o nosso trabalho.


Violette: Ok.


Vitória: Boa ideia!


(Terminar a conversa)


Ginásio


Patrick...?


Patrick: Ah, os nossos pintores! Vocês precisam de ajuda?


(Próximo)


Castiel: Nós queríamos saber a opinião do senhor. Já estamos quase terminando.


(Próximo)


Patrick: Claro! Mas antes quero saber, qual é a opinião de vocês sobre o próprio trabalho?


Está muito bem feito, é impressionante! Quer dizer, graças a Violette...


Castiel: Sempre tão segura, não exagera, nós também contribuímos.


(Ele fez uma leve pressão no meu ombro, carinhosamente.)


Patrick: Ah, o amor... Um tema tão amplo.


(Ele disse isso mesmo?)
(Eu e o Castiel nos distanciamos um do outro timidamente.)


Patrick: Muito bem, vamos agora olhar o que vocês fizeram.


(Terminar a conversa.)


Sala de Aula A


(A Iris voltou, mas a mãe da Kim sumiu.)


Patrick: Bom, vamos ver o que temos aqui...


(Nós prendemos a respiração.)


Patrick: Impressionante. A obra não está finalizada, mas já carrega muita emoção.


(Próximo)


Violette: V-Verdade?


(Próximo)


Patrick: Exatamente! Essa pintura está cheia de tremores e rachaduras!


(Próximo)


Castiel: É um elogio? 


(Próximo)


Patrick: A fragilidade, meu jovem, quando é expressa assim, tem mais valor do que o domínio técnico perfeito.


(Próximo)


Patrick: O único porém é que ainda há muitas aproximações. Se vocês quiserem ver o trabalho reconhecido no momento da exposição, vocês precisam se dedicar um pouco mais.


Exposição?


Patrick: A exposição de amanhã. Nós iremos expor os melhores trabalhos.


(Mais uma informação que eu não sabia. Ela deve ter sido passada durante a reunião no ginásio.)


E-Espere... Se vai haver uma exposição, a escola vai abrir as portas para pessoas de fora, não?


Patrick: Isso mesmo. Assim, pais e convidados poderão apreciar o trabalho de todos vocês. Vocês vão ver, não há nada mais gratificante do que ver um público prestigiando as suas obras.


(Os meus pais... O Castiel... Em um mesmo lugar...)
(Eu preciso conversar com o Castiel imediatamente.)
(Foi mais difícil me concentrar na pintura depois disso.)
(A Violette teve que chamar a minha atenção várias vezes. Bom... Do jeito dela.)


Violette: Não é nada mal essa cor vermelha... Mas, olhe... Se você fizesse movimentos mais leves, o efeito ficaria mais sutil.


(O Castiel pode dizer o que for, mas se a nossa obra estiver em destaque amanhã, vai ser graças a Violette. Ela tem uma paciência de anjo e dedos de fada!)
(Nós passamos várias horas com melhorias para a nossa "obra".)
(O resultado não é nada mal...)
(Infelizmente, o talento da Violette não é o suficiente para para esconder a minha falta de experiência, além do Castiel e da Iris.)
(Vamos ver o que o Patrick dirá.)


Castiel: O melhor é deixar como está. Com tanto retoque, vamos acabar estragando o resultado final.


(Próximo)


Iris: Eu estou muito orgulhosa! É uma pintura impressionante!


(Próximo)


Castiel: Verdade... Dá até medo.


(Próximo)


Iris: Eu nunca imaginai que você pudesse criar esse tipo de coisa, Violette. De onde você tirou esse lado tão sombrio?


(Próximo)
(Ops...)


Iris: Violette?


(Eu acho melhor mudarmos de assunto.)


T-Talvez é melhor avisar a um professor que nós já terminamos?


Castiel: Sim, também acho... Temos tantos professores e pais presentes, eles já deveriam ter passado aqui.


(Próximo)


Castiel: É inadimis...


(Próximo)


Professora Delanay: Algum problema com a organização, Castiel?


(Próximo)


Castiel: ...


Não, nós só gostaríamos de avisar alguém que já terminamos a nossa pintura...


Professora Delanay: Vamos deixar a tela secando aqui por enquanto. Senhor Savin vai examinar os trabalhos de vocês para a exposição de amanhã.


(Próximo)


Castiel: Isso significa que nós podemos sair da escola agora?



(Próximo)


Professora Delanay: Se vocês têm certeza de ter terminado tudo, sim.


(Próximo)


Professora Delanay: Só preciso que vocês arrumem o material antes de ir embora.


(Próximo)


*murmura* Precisamos conversar...


Castiel: *murmura* Eu sei que você sente falta de estar nos meus braços, mas acalme-se.


(Eu suspirei, olhando para o alto, mas não pude deixar de achar graça.)
(É tão gostoso saber que o amor que sentimos por alguém é correspondido e o nosso namorado está apaixonado também.)
(Nós acabamos decidindo nos encontrar na frente da escola.)


Pátio


(Não tem mais ninguém aqui...)


Então, eu queria te dizer...
Eu não pude falar ainda com os meus pais sobre a visita à escola amanhã, mas talvez eles virão, então...


Castiel: Ei, calma, respire fundo, ok?


(Próximo)


Castiel: Não precisa entrar em pânico, eu entendi. Nada de beijos.


Não vai ser suficiente... O melhor é que eles não nos vejam juntos.


Castiel: Você está me pedindo para que não fale com você durante o dia todo?


Bem, eu...


Castiel: Eu entendi... Eu vou ficar invisível, você vai ver. Você vai mesmo esquecer a minha existência.


(Ele foi embora, fazendo que não coma cabeça.)


E-Espere!


(Não acredito... Finalmente tenho tudo o que quero e estou estragando...)
(Eu tenho que achar um jeito de reverter a situação.)


Apê


(Eu estou completamente desanimada...)


Lety: Olá!


(Eu levantei a cabeça, estou em estado de choque.)


Lety: Surpresa!


Lety?!


Então pessoal, estou escrevendo uma fanfic no Social Spirit, o nome é Game Over! espero que acompanhem, beijos para todos <3

Ps: Se quiserem me add no amor doce é só enviar o covite para: EmilyCrisly.